Frases Latinas

 

 

 

 
 

Ab æterno: desde la eternidad, que no tiene principio ni fin; se le atribuye el sentido de permanente
Busca una palabra en esta web con Ctrl+F
 

_____________________
  • A barba stolidi discunt tondere novelli
  • A bonis ad meliora
  • A bonis bona disce
  • A bonis disces bona
  • A bove maiori discit
  • A caelo ad terram
  • A caliga ad consulatum perductus
  • A cantu avis dignoscitur
  • A capella
  • A capillis usque ad ungues
  • A capite
  • A capite ad pedes
  • A capite bona valetudo
  • A capite derivatur omnis malitia
  • A capite incipiendum
  • A capite usque ad calcem

_____________________

Busca una palabra en esta web con Ctrl+F
A Deo est enim omnis medela. [Vulgata, Eclesiástico 38.2] De Deus vem todo remédio. De Deus vem o mal e o bem.

LATÍN / PORTUGUÉS

1. A barba stolidi discunt tondere novelli. [Pereira 111] Na barba do tolo aprendem a barbear os novatos.  Na barba do tolo aprende o barbeiro novo.  Na barba do néscio todos aprendem a rapar.  Nas barbas do homem astroso se ensina o barbeiro novo. A barba stulti discit tonsor. [DAPR 98] É na barba do tolo que o barbeiro aprende. Español: Es en la barba del necio que el tonto aprende.

2. A bonis ad meliora. [Divisa] Do bom para o melhor. Español: De bueno a mejor.

3. A bonis bona disce. [Erasmo, Adagia 4.8.37] Aprende coisas boas com os bons.  Com o bom só se aprende o bem.  Chega-te aos bons, e serás um deles. VIDE: Disce, sed a doctis. Disce, sed a doctis; consilium pete, sed a consultis. Qui bonus est, ab eo bona discito. Español: Aprende cosas buenas con los buenos. Con el bueno solo se aprende lo bueno.

4. A bonis disces bona; et malis te immiscens mentem amittes. [Teógnis / Eiselein 230] Com os bons aprendes o bem, e misturando-te com os maus, perdes o juízo.  Com qual te achares, com tal te afazes. Español: Con los buenos aprendes el bien, y mezclándote con los malos, pierdes el juicio.

5. A bove ante, ab asino retro, a muliere undique caveto.  Guarda-te do boi pela frente, do burro por detrás, e da mulher por todos os lados. A bove ante, ab asino retro, a stulto undique caveto.  Guarda-te do boi pela frente, do burro por detrás, e do tolo por todos os lados. Español: Guárdate del buey por delante, del burro por detrás, y del necio por todos lados.

6. A bove maiori discit arare minor. [Binder, Thesaurus 1] O boi mais novo aprende a arar com o mais velho.  Boi velho ensina a arar o novo.  Homem grande carrega o pequeno. A bove maiori discat arare minor. Que o boi novo aprenda a arar com o boi mais velho. Español: El buey joven aprende a arar con el buey viejo.

7. A caelo ad terram. [Erasmo, Adagia 2.5.95] Do céu à terra. (=De um extremo a outro. Do começo ao fim).  De cabo a rabo.  De ponta a ponta. A caelo usque ad centrum. [Jur / Black 1] Desde o céu até o centro da terra. VIDE: A fine usque ad finem. Ab extremo initio ad supremum finem. Ab ore usque ad os. Español: De cabo a rabo. De un extremo a otro. Del inicio al fin. De punta a punta. Desde el cielo hasta el centro de la tierra.

8. A caliga ad consulatum perductus. [Sêneca, De Beneficiis 5.16] Levado de soldado a cônsul.  Subiu na vida como um foguete. VIDE: Ad consulatum a caliga perductus. Español: De soldado ha llegado a consul.

9. A cane muto et aqua silente cave tibi. Cuidado com o cão que não late e com a água silenciosa.  Cuidado com o homem que não fala e com o cão que não ladra.  A água silenciosa é a mais perigosa.  Boi sonso, marrada certa. VIDE: Cave tibi a cane muto et aqua silenti. Español: Cuidado con el hombre que no habla y con el perro que no ladra. El agua silenciosa es la más peligrosa.

10. A cane non magno saepe tenetur aper. [Ovídio, Remedia Amoris 422] Muitas vezes o javali é apanhado por um cão pequeno.  Pequeno machado derruba grande carvalho.  Tamanho não é documento.  Não há pequeno inimigo. VIDE: Enecat ingentem vipera parva bovem. Parva necat morsu spatiosum vipera taurum. Ut noceat sat quisque potens.

11. A cantu avis dignoscitur.  Pelo canto se conhece a ave.  Pelo canto se conhece o pássaro. VIDE: Avis a cantu dignoscitur. Cantu dignoscitur ales. E cantu cognoscitur avis. E cantu dignoscitur avis. Ex cantu dignoscitur avis. Ex cantu et plumis volucris dignoscitur omnis. Nulla unquam avis mala bene cecinit. Nulla unquam avis mala bonum cantum edidit. Quaelibet avis a proprio cantu dignoscitur. Qualis avis, talis cantus.

12. A capella. Da capela. (=A capela. Designa a melodia cantada sem acompanhamento instrumental, como o cantochão).

13. A capillis usque ad ungues. [Petrônio, Satiricon 102.13] Dos cabelos até as unhas.  Da cabeça aos pés.

14. A capite. Desde a cabeça. (=Desde o princípio). VIDE: A capite incipiendum.

15. A capite ad pedes. [S.Agostinho, De Civitate Dei 15.26]  Da cabeça aos pés.  De ponta a ponta.  De cabo a rabo. A capite ad calcem. [DAPR 713] Da cabeça ao calcanhar. VIDE: A capite usque ad calcem. A capite usque ad pedes. A principio ad finem. A vertice usque ad calcem.

16. A capite bona valetudo. [Sêneca, De Clementia 2.2.1] A boa saúde vem da cabeça.

17. A capite derivatur omnis malitia. [VES 91] Da cabeça é que provém toda maldade.

18. A capite foetet piscis.  O peixe começa a feder pela cabeça.  Mau capelão, pior sacristão.  O exemplo vem de cima. VIDE: Piscis a capite olere incipit.

19. A capite incipiendum. Deve-se começar do princípio. VIDE: A capite.

20. A capite usque ad calcem. [Erasmo, Adagia 1.2.37] Da cabeça ao calcanhar. A capite usque ad pedes. [S.Agostinho, Confessiones 6.4]  Da cabeça aos pés.  De cabo a rabo.  De ponta a ponta. VIDE: A capite ad calcem. A capite ad pedes. A principio ad finem. A vertice usque ad calcem.

21. A carcere. [Erasmo, Adagia 2.5.94] Desde ponto de partida. Desde o princípio. (=Carcer, cárcere, masmorra, era, nos estádios romanos, o nome dado ao ponto donde, nas competições, partiam os carros). A carceribus. [Erasmo, Adagia 1.6.58] VIDE: A linea. A principio. Ab ipso rei principio.

22. A carceribus ad metam. [Branco 171] Do ponto de partida até a meta.  Do princípio ao fim.  De ponta a ponta. A carceribus ad metas. A carceribus ad calcem. A carcere ad metam. A carcere ad carcerem. [Branco 171] VIDE: E carceribus ad calcem pervenire.

23. A casu describe diem, non solis ab ortu. Descreve o dia pelo seu fim, não pelo nascimento do sol.  A noite coroa o dia.  Não gabes um dia bom sem lhe veres o fim.  Não julgues os cabos pelos começos. VIDE: Diem vesper commendat. Lauda finem. Laus in fine cantatur et vespere laudatur dies. Omnis laus in fine canitur. Post factum lauda. Tunc beatam dico vitam, cum peracta fata sunt Vespere laudatur dies. Vespere laudari debet amoena dies.

24. A caula ad aulam. Do curral para a corte.  Ontem vaqueiro, hoje cavaleiro. VIDE: A trivio ad sceptrum. E caula ad aulam.

25. A communi observantia non est recedendum. [Jur / Black 1] Não se deve afastar do uso comum.

26. A contrario sensu. [Dante, De Monarchia 2.10] Em sentido contrário. Pela razão contrária. Pelo contrário. A contrario. VIDE: Contrario sensu. E contrario. E converso.

27. A cruce salus. [Divisa] Da cruz (vem) a salvação. VIDE: In cruce salus.

28. A cuspide corona. Uma coroa obtida pela espada. (=Honraria conseqüente de ação militar bem sucedida).

29. A datu. Por dádiva. Por doação.

30. A deducto. Por dedução.

31. A Deo est enim omnis medela. [Vulgata, Eclesiástico 38.2] De Deus vem todo remédio.  De Deus vem o mal e o bem.

32. A Deo et rege. [Divisa] Por Deus e pelo rei.

33. A Deo lux nostra. [Divisa] Nossa luz vem de Deus.

34. A deo necesse est mundum regi. [Cícero, De Natura Deorum 2.77] O mundo sem dúvida é governado por uma divindade.

35. A Deo principium. O começo vem de Deus. VIDE: Ab Iove principium.

36. A Deo rex, a rege lex. [Atribuído a James I, da Inglaterra] O rei vem de Deus, a lei vem do rei.

37. A Deo victoria. [Divisa] Nossa vitória vem de Deus.

38. A dextris. À direita. Pela direita. A dextris meis. [Vulgata, Salmos 109.1] À minha direita.

39. A die. [Jur] A partir desse dia. A partir do dia do início da contagem do prazo.

40. A digito cognoscitur leo. Pelo dedo se conhece o leão.  Pelas unhas se conhece o leão. A digito dignoscitur leo. VIDE: Ab unguibus leo. Ex ungue leo. Ex ungue leonem. Ex unguibus leonem. Leonem ex unguibus aestima. Ungula testatur pectus generosa leonis.

41. A digniori fieri debet denominatio. [Jur / Black 2] A indicação deve ser feita pelo mais eminente.

42. A dis quidem immortalibus quae potest homini maior esse poena furore atque dementia? [Cícero, De Haruspicum Responso 39] Para o homem que punição dos deuses imortais pode ser maior que a loucura e a demência?

43. A divinis. [Da linguagem eclesiástica] (Afastado) das funções sacras. VIDE: A sacris.

44. A dolio figulinam auspicaris. [Apostólio 8.40] Começas a arte do oleiro pelo barril. (=Começas pela parte mais difícil).  Começas por onde os outros acabam. VIDE: Dolio figularem artem discere. In dolio figlinam discere. In dolio figlinam exercere. In dolio figularem artem discere. In dolio sic figulus artem exerceat.

45. A Domino factum est istud, et est mirabile in oculis nostris. [Vulgata, Salmos 117.23] Pelo Senhor foi feito isto, e é coisa admirável nos nossos olhos. (=Inscrição em moeda inglesa).

46. A fabulis ad facta veniamus. [Cícero, De Republica 2.4] Passemos das lendas aos fatos. VIDE: Abeamus a fabulis, propiora videamus. Propiora videamus.

47. A facto ad ius non datur consequentia. [Jur / Rezende 183] Do fato para o direito não se dá conseqüência. (=O fato por si não constitui direito).

48. A falsis principiis proficisci. [Cícero, De Finibus 4.53] Partir de princípios falsos.

49. A femina, nil femina ulla discrepat. [Schottus, Adagia 607] Em nada uma mulher se diferencia de outra. VIDE: Absente luce feminae cunctae pares. Exstincta lucerna, omnis mulier eadem. Lucerna sublata nihil discriminis inter mulieres. Lucerna sublata, nihil discriminis. Lucerna sublata, omnis mulier eadem est. Omnis enim mulier sublata lucerna eadem est. Sublata lucerna, nihil interest inter mulieres. Sublata lucerna, nihil discriminis est inter mulieres. Sublata lucerna, omnes mulieres aequales sunt.

50. A feminis utcumque spoliantur viri, ament, amentur. [Fedro, Fabulae 2.2.1] Quer amem, quer sejam amados, os homens são sempre enganados pelas mulheres. Não há como a mulher para fazer do homem quanto quer.

51. A festo omnium Sanctorum usque ad Natale Domini. Desde o dia de Todos os Santos até o Natal. VIDE: Natale Domini.

52. A filo pendet. [Schottus, Adagialia Sacra 2] Está pendurado por um fio.  Está por um fio. VIDE: De filo pendet. De pilo pendet. E pilo pendet.

53. A fine usque ad finem. [Vulgata, Sabedoria 8.1] Desde uma extremidade à outra. VIDE: A caelo ad terram. Ab extremo initio ad supremum finem. Ab ore usque ad os.

54. A fonte. Da fonte. Da origem. Desde a origem.

55. A fonte puro pura defluit aqua. [Teógnis de Mégara / Sweet 25] De fonte limpa corre água limpa.  Boa árvore não dá ruim fruto.  Cão de caça vem de raça. VIDE: A puro fonte defluit aqua pura.

56. A fortiori ratione. Com mais forte razão. Por mais forte razão. A fortiori. VIDE: A multo fortiori.

57. A fronte atque a tergo. [Erasmo, Adagia 3.1.53] Pela frente e pelas costas. A fronte et a tergo. A fronte et tergo.

58. A fronte et occipitio oculatus est. Tem olhos no rosto e na nuca.  Tem olhos para ver.  Tem olhos de lince. A fronte simul et occipitio oculatus est. A fronte pariter et a tergo oculatus est. VIDE: In occipitio quoque habet oculos. Oculos in occipitio habet.

59. A fronte praecipitium, a tergo lupi. [Apostólio 8.23] À frente o precipício, às costas, os lobos.  Estar entre dois fogos.  Estar entre a cruz e a caldeirinha.  Mal daqui, pior dali.  Se correr, o bicho pega, se ficar, o bicho come. A fronte praecipitium, a tergo lupus. [Dumaine 240] À frente o precipício, às costas, o lobo. VIDE: Inter canem et lupum. Inter lupos et canes nullam salutem esse. Peribo si non fecero; si faxo, vapulabo.

60. A fructibus arborem aestima. Avalia a árvore pelos seus frutos.  A árvore se conhece pelos frutos.  Pela obra se conhece o obreiro. VIDE: Fructu, non foliis, arborem aestima.

61. A fructibus eorum cognoscetis eos. Pelos seus frutos vós os conhecereis.  Pelo fruto conheço a árvore.  Pela obra se conhece o obreiro.  A acha sai ao madeiro. A fructibus eorum cognoscetis eos. Numquid colligunt de spinis uvas aut de tribulis ficus? [Vulgata, Mateus 7.16] Porventura os homens colhem uvas dos espinhos, ou figos dos abrolhos? VIDE: Ex fructibus eorum cognoscetis eos.

62. A furore inimicorum libera nos, Domine. Senhor, livra-nos da fúria de nossos inimigos. A furore rusticorum libera nos, Domine. Senhor, livra-nos da fúria dos vilãos.

63. A generatione in generationem. [Vulgata, Êxodo 17.16] De geração em geração. VIDE: A progenie in progeniem.

64. A gratia. [Jur / Black 2] Por graça. Por favor. (=Não por direito).

65. A gratia excidistis. [Vulgata, Gálatas 5.4] Vós decaístes da graça.

66. A iure suo nemo recedere praesumitur. [Jur] Supõe-se que ninguém renuncia a direito seu.

67. A iustitia, quasi a quodam fonte, omnia iura emanant. [Jur / Black 2] Todos os direitos emanam da justiça, como de uma fonte.

68. A lasso rixa quaeritur. [Manúcio, Adagia 260] O homem esgotado procura desavença. A lasso rixam quaeri. [Sêneca, De Ira 3.9.5] VIDE: Lassus rixam quaerit. Vetus dictum est a lasso rixam quaeri; aeque autem et ab esuriente et a sitiente et ab omni homine quem aliqua res urit.

69. A latere. Ao lado. Do seu lado. Paralelamente. (=1.Legatus a latere. Cardeal encarregado pelo Papa de uma missão especial, quase sempre temporária. 2.Argumentação a latere. [Jur] Argumentação não necessariamente ligada ao fato principal, mas que se acrescenta em reforço).

70. A limine. Desde a porta. Desde o início. Liminarmente. Imediatamente. Sem maior exame.

71. A linea. [Apostólio 3.94] Desde a linha de partida. (=Desde o princípio). A linea incipere. [Erasmo, Adagia 1.6.57] Começar do começo. VIDE: A carcere. A principio.

72. A lucis ortu. [Apuleio, Florida 6] Desde o nascer do sol. A lucis ortu ad usque diei finem. Do amanhecer até o fim do dia. VIDE: A solis ortu usque ad occasum. A sole ortu usque diei ultimum. Ab ortu lucis ad umbram. Ab ortu solis usque ad occasum. Ab orto sole usque ad diei finem. Ad finem lucis ab ortu.

73. A lumine motus. [Inscrição em quadrante solar] Sou movido pela luz.

74. A magnis maxima. [Divisa / Rezende 265] As maiores coisas (saem) das grandes.  De grandes causas, grandes efeitos.

75. A magnis proprio vivitur arbitrio. [Pereira 109] Vive-se segundo a vontade dos poderosos.  Lá vão as leis aonde as querem os reis.

76. A magno dubiam cenam tibi posce Lucullo. [Pereira 111] Do grande Luculo exige para ti um jantar variado. (=1.Cena dubia. Banquete em que são servidas tantas iguarias, que o convidado fica indeciso sobre qual delas escolher. 2.Lucullus. General romano que se tornou célebre pelo seu luxo).  Na casa cheia asinha se faz a ceia.

77. A maiori ad minus. Do maior para o menor. A maiori usque ad minus.

78. A maioribus sumitur enim exemplum. [VES 91] O homem sempre segue o exemplo dos mais velhos.

79. A malis hominibus tutissimum est cito effugere. [DM 134] De quem não presta, o mais seguro é fugir sem demora.  Ao bom darás e do mau te afastarás.

80. A malis igitur mors abducit, non a bonis. [Cícero, Tusculanae Disputationes 1.83] A morte nos afasta das coisas más, não das boas. VIDE: Mors a malis abducit nos, non a bonis.

81. A mane ad noctem usque. Desde a manhã até a noite. A mane ad vesperum. [Plauto, Miles Gloriosus 503] Desde a manhã até o entardecer. A mane usque ad vesperum. A mane usque ad vesperam. [Vulgata, Eclesiástico 18.26] Desde a manhã até a tarde.

82. A manu servi. [DAPR 808] (Escrito) pela mão do servo. (=Diz-se de texto elaborado por escritor assalariado). VIDE: Servus a manibus.

83. A mari usque ad mare. [Vulgata, Salmos 71.8 / Divisa do Canadá] De um mar a outro.

84. A maximis ad minima. Das maiores coisas para as menores.

85. A me nullum tempus praetermittitur de tuis rebus et agendi et cogitandi. [Cícero, Ad Familiares 2.5] Não deixo passar nenhuma ocasião de agir e de pensar nos teus interesses.

86. A me quidem familia mea incipit, tua autem in te desinit. [Apostólio 19.38] Minha família, na verdade, começa comigo, mas a tua termina contigo.

87. A mensa et toro. [Jur / Black 2] Da mesa e da cama. (=Designava a separação legal, na antiga lei inglesa). VIDE: Divortium a toro. Separatio a mensa et toro.

88. A minimis ad maxima. Das menores coisas para as maiores.

89. A minimis quoque timendum. [Alciato, Emblemata 164] Deve-se ter medo também dos pequenos.  Não há pequeno inimigo.  Não há pequeno que não possua veneno.

90. A minore usque ad maiorem omnes avaritiae student. [Vulgata, Jeremias 6.13] Desde o menor até o maior, todos estão entregues à avareza.

91. A minori ad maius. Do menor para o maior.

92. A morte nullum est effugium. [Manúcio, Adagia 1209] Da morte não há escapatória.  À morte não há casa forte.

93. A morte semper homines tantumdem absumus. [Publílio Siro] Nós, homens, estamos sempre à mesma distância da morte.  A hora é incerta, mas a morte é certa.  A morte é a coroa de todos na terra.

94. A mortuo non exspectes sermonem, nec ab avaro gratiam. De morto não esperes discurso, nem de avarento favor. VIDE: Nec a mortuo sermonem, nec ab avaro gratiam exspectes.

95. A mortuo tributum exigere. [Erasmo, Adagia 1.9.12] Exigir contribuição do morto. (=Extorquir dinheiro por bem ou por mal). A mortuo tributum colligere. A mortuis tributum exigere. Exigir tributo dos mortos. VIDE: Et a mortuo tributum colligis. Exigit et a statuis farinam. Statuis ab ipsis hic farinas exigit. Vel a defuncto vectigal aufert. Vel a mortuo tributum auferat.

96. A muliere repudiata et ab amico reconciliato libera nos, Domine! [Eiselein 633] Senhor, livra-nos de mulher repudiada e de amigo reconciliado.  Amigo quebrado soldará, mas não sarará.

97. A multo fortiori. Por razão muito mais forte. VIDE: A fortiori (ratione).

98. A nativitate. [Vulgata, João 9.1] Desde o nascimento.

99. A nave quae submergitur, quodcumque ceperis, est lucrum. De barco que afunda, tudo que tirares é lucro.

100. A mulieribus barbatis et inimicis reconciliatis caveas. [Bebel, Adagia Germanica] Cuidado com mulheres barbudas e inimigos reconciliados.  De inimigo reconciliado nunca bom bocado.  Amizade reconciliada, chaga mal fechada.

101. A natura discedimus, populo nos damus nullius rei bono auctori. [Sêneca, Epistulae Morales 99.17] Nós nos afastamos da natureza e nos entregamos à multidão, que não é autora de nenhuma coisa boa.

102. A natura mihi videtur potius quam ab indigentia orta amicitia. [Cícero, De Amicitia 27] A mim me parece que a amizade nasceu mais da natureza do que da necessidade.

103. A non domino. [Codex Iustiniani 7.27.1] Por um não-proprietário. De quem não é dono.

104. A notis ad ignota. Do conhecido ao desconhecido.

105. A novo. De novo. Novamente.

106. A nullo diligitur qui neminem diligit. Quem não gosta de ninguém, por ninguém é amado.  Quem de si faz lixo, pisam-no as galinhas.

107. A numine salus. [Stevenson 1100] Salvação vinda da providência divina.

108. A nutricibus. [Schottus, Adagia 417] Desde as nutrizes. (=Desde criancinha). A parvulo. Desde pequenino. A parvulis. Desde pequeninos. VIDE: A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. Ab adulescentia. Ab aetate tenera. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

109. A pactis privatorum publico iuri non derogatur. [Jur] O direito público não pode ser derrogado por acordos de particulares. VIDE: Ius publicum privatorum pactis mutari non potest.

110. A pari ratione. Por razão igual. A pari.

111. A pedibus usque ad caput. Dos pés à cabeça.

112. A peiore rota semper sunt murmura nota. Sempre se percebem ruídos vindos da pior roda.  A pior roda é sempre a que chia. VIDE: Semper deterior vehiculi rota perstrepit.

113. A periculosis negotiis abstinendum. [Grynaeus 208] Devemos abster-nos de atividades arriscadas.  Não metas a mão onde te fiquem as unhas.  Não te metas em contenda, que não te quebrarão a cabeça. VIDE: Gladium acutum avertas. Gladium acutum averte.

114. A piratis aut latronibus capti liberi permanent. [Jur / Black 2] As pessoas mantidas prisioneiras por piratas ou ladrões (para o direito) permanecem livres. A piratis et latronibus capti liberi permanent. [Rodrigues 9] Os presos pelos piratas e ladrões permanecem livres.

115. A piratis et latronibus capta dominium non mutant. [Jur / Black 2] Os bens tomados por piratas e ladrões não mudam de domínio.

116. A planta pedis usque ad verticem. [Vulgata, Jó 2.7; Isaías 1.6] Desde a planta do pé até o alto da cabeça. VIDE: Ab imis unguibus ad verticem summum. Ab imis unguiculis ad verticem summum. Ab imis unguibus adusque summos capillos. Ab imo ad summum. Ab infimo ad summum.

117. A posse ad esse. Do poder ao ser. Da possibilidade à realidade. A posse ad esse non valet consequentia. Não tem força a conexão da possibilidade à realidade. VIDE: Ab esse ad posse valet consequentia.

118. A posteriori. Depois do fato. A partir da observação. A partir da conseqüência. Do efeito para a causa. (=Argumento a posteriori. Argumento que procura provar a causa a partir do efeito).

119. A prima aetate. [Cícero, Ad Familiares 4.4] Desde a primeira idade. Desde pequeno. A prima pueritia. VIDE: A nutricibus. A parvulo. A parvulis. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis.A teneris annis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

120. A prima die. [Vulgata, Atos 20.18] Desde o primeiro dia.

121. A primaevo flore iuventae. Desde a primeira flor da juventude. A primaevo flore iuventutis.

122. A primis temporibus. Desde os primeiros tempos.

123. A primis vitae rudimentis. Desde os primeiros sinais de vida. VIDE: Ab usque primis vitae rudimentis.

124. A primo ad ultimum. Do primeiro ao último.

125. A primo instanti vitae usque ad extremum halitum. Desde o primeiro momento de vida até o último suspiro.

126. A primo tempore. Em primeiro lugar. Antes de tudo. A primo.

127. A primo vitae limine. Desde a primeira porta da vida. (=Desde criancinha). VIDE: A nutricibus. A parvulo. A parvulis. A prima aetate. A prima pueritia. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

128. A principio. Desde o princípio. VIDE: A carcere. A linea.

129. A principio ad finem. Do princípio ao fim. VIDE: A capite ad calcem. A capite usque ad calcem. A vertice usque ad calcem.

130. A priori. Antes de verificar. Sem verificação. Da causa para o efeito.

131. A priori ratione quam experientia. Por um raciocínio anterior à experiência.

132. A progenie in progeniem. De geração em geração. VIDE: A generatione in generationem.

133. A pueritia usque ad hanc aetatem. [Cícero, Pro Cornelio Balbo 3] Desde a infância até esta idade.

134. A puero. Desde menino. A pueris. Desde meninos. VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A rudibus annis. A teneris annis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

135. A pumice aquam petis. [Pereira 110] Buscas água numa pedra.  Buscas água em fonte seca.  Malhas em ferro frio. A pumice aquam postulas. VIDE: Aquam a pumice ne expostules. Aquam a pumice nunc postulas. Aquam e pumice postulas. E pumice aquam petis.

136. A puro fonte defluit aqua pura. [Medina 588] De fonte limpa corre água limpa.  Boa árvore não dá ruim fruto.  Cão de caça vem de raça. VIDE: A fonte puro pura defluit aqua.

137. A quo. [Jur] A partir do qual. De onde. (=1.Ponto de partida de um processo judicial. 2.Dia a partir do qual se começa a contar um prazo). Outros usos da expressão a quo em português: 1. Estar a quo. Estar em jejum. 2. Ficar a quo. Ficar sem saber. [Novo Dicionário Aurélio, 1a ed., p. 123]

138. A quo nihil speres boni rei publicae, quia non vult, nihil speres mali, quia non audet. [Cícero, Ad Atticum 1.13] Dele não esperes nada de bom para o país, porque ele não quer; nada esperes de mal, porque ele não ousa. VIDE: Ab illo nihil spera boni, quia non vult; nihil metue mali, quia non audet.

139. A radice. Desde a raiz. Desde a origem.

140. A radice mala non procedunt bona mala. [Jogo de palavras] De raiz má não procedem bons frutos.  Árvore ruim não dá bom fruto.  De mau corvo, mau ovo. A radice mala nascuntur pessima mala. [Eiselein 653] De má raiz nascem péssimos frutos. VIDE: Mali corvi malum ovum.

141. A radice sapit pomum quocumque rotatur. [DAPR 512] Para onde quer que seja jogada, a maçã sabe à macieira.  O figo sabe à figueira.  De tal pedaço, tal retraço. VIDE: Stirpe saporatur pomum, quocumque rotatur.

142. A ratione. Pela razão. Por raciocínio. Por conjectura. Por hipótese.

143. A rebus alienis manus abstine. Afasta as mãos das coisas alheias.  Com a coisa alheia, o homem mal se honra. VIDE: Abstine manus!

144. A recta conscientia non oportet discedere. [Cícero, Ad Atticum 13.20] Ninguém deve afastar-se da consciência honesta.

145. A regibus cavendum, quod eis praelonga sint brachia. [Manúcio, Adagia 76] Deve-se tomar cuidado com os reis, pois eles têm braços longos.  O braço do rei e a lança longe alcançam.  Os reis abrangem muito com o seu poder. VIDE: An nescis longas regibus esse manus? Longae regum manus. Longae sunt regibus manus. Longas esse regibus manus. Magna est manus regis, et valida. Manus regum longae.

146. A risu effuso abstine te. [Grynaeus 773] Evita o riso imoderado.  Muito riso, pouco siso.

147. A remotis. Ao longe. De longe. Afastado.

148. A rubro ad nigrum. [Jur / Black 3] No vermelho ao negro. (=Do título ao texto. O costume antigo era que o título de um estatuto fosse escrito em vermelho, e o seu corpo, em preto).

149. A rudibus annis. Desde os anos em que não tinha experiência. VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A teneris annis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

150. A sacris. [Da linguagem eclesiástica] (Afastado) das coisas sagradas. (Afastado) das ordens sacras. VIDE: A divinis.

151. A sacris abstinendae manus. [Erasmo, Adagia 3.9.45] As mãos devem abster-se das coisas sagradas.  Não mexas no santo, que borras a pintura.

152. A saeculo et usque in saeculum. [Vulgata, Salmos 40.14] Por todos os séculos. Por todas as épocas.

153. A sapiente viro sapientiam discere convenit. [Eurípides / Schottus, Adagia 150] Convém aprender sabedoria com o homem sábio. VIDE: Disce, sed a doctis.

154. A scintilla una augetur ignis. [Vulgata, Eclesiástico 11.34] De uma única fagulha nasce um braseiro.  De uma faísca se queima a vila.  De pequena fagulha, grande labareda.  Um fósforo acaba um palácio. VIDE: De parva scintilla magnum saepe excitatur incendium. Ex minima magnus scintilla nascitur ignis. Ecce quantus ignis quam magnam silvam incendit! Ex minima magnus scintilla nascitur ignis. Ex scintilla incendium. Ex sola scintilla conflagrat saepe tota domus. Exiguus ignis quantam silvam incendit! scintilla una augetur ignis. Parva saepe scintilla magnum excitat incendium. Parva saepe scintilla contempta magnum excitavit incendium. Scintilla contempta excitat magnum incendium. Scintilla contempta excitavit magnum incendium. Scintilla, quamvis parva, magnum ignem excitat. Videmus accidere ex una scintilla incendia passim.

155. A se. Por si. Por seus próprios meios.

156. A signis caeli nolite metuere quae timent gentes. [Vulgata, Jeremias 10.2] Não temais os sinais do céu, como temem as gentes.

157. A sinistris. [Vulgata, Paralipômenos 3.17] Pela esquerda. Do lado esquerdo.

158. A solis occasu, non ortu, describe diem. [Binder, Thesaurus 15] Descreve o dia pelo anoitecer, não pela alvorada.  A noite coroa o dia.  O fim coroa a obra.

159. A solis ortu usque ad occasum. [Inscrição em quadrante solar] Do nascer do sol ao ocaso. A solis ortu usque ad occasum laudabile nomen Domini. [Vulgata, Salmos 112.3] Desde o nascimento do sol até ao seu ocaso, é digno de louvor o nome do Senhor. A solis ortu usque ad occasum benedictum sit nomen Domine. Bendito seja o nome do Senhor desde o nascimento do sol até o seu ocaso. A sole ortu usque diei ultimum. [Amiano Marcelino, Historia 19.2.5] Do nascer do sol até o fim do dia. VIDE: A lucis ortu ad usque diei finem. Ab ortu lucis ad umbram. Ab ortu solis usque ad occasum. Ab orto sole usque ad diei finem. Ad finem lucis ab ortu.

160. A solis ortu vitam hominis umbra notat. [Inscrição em quadrante solar] A sombra registra a vida do homem desde o nascer do sol.

161. A studiis venter nimium distentus abhorret. [Binder, Thesaurus 16] Barriga cheia demais odeia esforço.  Barriga farta, pé dormente.  Barriga cheia, pé dormente. VIDE: Impletus venter non vult studere libenter. Ingenium excellens non gignit venter obesus. Plenus venter non studet libenter. Venter plenus somnum parit. Ventre pleno corpus sopore gravatum.

162. A summo usque ad novissimum. [Vulgata, Isaías 56.11] Desde o mais alto até o mais baixo.

163. A summo usque deorsum. [Vulgata, Mateus 27.3] De alto a baixo.

164. A tardigradis asinis equus prosiliit. [Apostólio 4.4] De asnos vagarosos saiu um cavalo.  Cavalo formoso de potro sarnoso. A tardigradis asinis equus prodiit. [Schottus, Adagia 186] A tardigradis asinis ad equos. [Schottus, Adagia 366] De asnos vagarosos passaram a cavalos. VIDE: E tardigradis asinis equus prodiit. E tardo asino equus prodiit. Emersit ex asinis equus tardigradis. Quoties ab indocto praeceptore proficiscitur discipulus eruditus.

165. A temerario iudice praeceps sententia. [Binder, Thesaurus 17] De juiz temerário, sentença precipitada.  Julgamento apressado, juiz aloucado. VIDE: Iudicium praeceps, insani iudicis index.

166. A teneris annis. [Erasmo, Colloquia 11] Desde os tenros anos.  Desde garotinho. A teneris. VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris unguiculis. A tenero ungue. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

167. A teneris consuescere, multum est. [Grynaeus 389] É importante habituar-se desde a tenra idade.  De pequenino se torce o pepino. A teneris assuescere, multum est. VIDE: Cui puer assuescit, maior dimittere nescit. In teneris consuescere multum est. Quod nova testa capit, inveterata sapit.

168. A teneris crimen condiscitur annis. O crime se aprende desde a tenra idade. VIDE: Ars fit, ubi a teneris crimen condiscitur annis.

169. A teneris unguiculis. [Cícero, Ad Familiares 1.6; Erasmo, Adagia 1.7.52] Desde (quando tinha) as unhas tenras.  Desde criancinha. A tenero ungue. VIDE: A nutricibus. A parvulo. A parvulis. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

170. A teneris unguiculis rem accepi hanc. [Pereira 100] Desde criancinha acostumei-me a isso.  Com isto me embalaram.

171. A tenui filo vita dependet. [Apostólio 8.92] A vida está suspensa por um tênue fio. A tenui filo pendet vita. [Schottus, Adagia 368] VIDE: Vita e tenui filo pendet.

172. A tergo. Pela retaguarda. Por trás. Da parte de trás.

173. A terra ad caelum, quid lubet. [Plauto, Persia 604] O que quiseres, da terra ao céu.

174. A trivio ad sceptrum. Da rua para o cetro.  Ontem vaqueiro, hoje cavaleiro. VIDE: A caula ad aulam. E caula ad aulam.

175. A tuo lare incipe. Começa pela tua própria casa.  Cada um olhe para si, e já não faz pouco. VIDE: Ab ipso lare incipe.

176. A tutiori. Do lado mais seguro (da questão). Com mais segurança.

177. A verbis ad verbera. (Passar) das palavras às pancadas. VIDE: De verbis perventum est ad verbera.

178. A verbis legis non recedendum. [Jur / Broom 479] Não se deve afastar das palavras da lei.

179. A vero domino. [Jur] Pelo verdadeiro dono. Do verdadeiro proprietário.

180. A vertice usque ad calcem. [Polydorus, Adagia] Da cabeça ao calcanhar.  Da cabeça aos pés.  De ponta a ponta.  Do princípio ao fim. VIDE: A capite ad calcem. A capite usque ad calcem. A principio ad finem.

181. A via et veritate aberrare durum est. [Apostólio 13.100] É duro perder-se do caminho e da verdade.

182. A vinculo matrimonii. [Jur / Broom 395] (Dissolução) do vínculo do matrimônio. VIDE: Separatio a vinculo matrimonii.

183. A vitiis abstineto. Fica longe dos vícios.

184. Ab A usque ad Z. De A a Z.  Do princípio ao fim.  De ponta a ponta.

185. Ab abrupto. [DAPR 711] Abruptamente. De repente. De súbito. Bruscamente. Sem preparação. VIDE: Ex abrupto.

186. Ab absurdo. Por absurdo. Partindo do absurdo. VIDE: Ex absurdo.

187. Ab abusu ad usum non valet consequentia. [Jur / Black 3] É inválida a conclusão do abuso para o uso.  O abuso não tira o uso.  Não por causa de o abuso ser repreensível deixa o uso de ser lícito. VIDE: Abusus non tollit usum. Ex abusu non arguitur in usum.

188. Ab acia et acu mi omnia exposuit. [Petrônio, Satiricon 76.11] Contou-me tudo desde a linha e da agulha. Contou tim-tim por tim-tim.

189. Ab actis. Dos atos. Pelos atos. [Jur] Que provém dos autos. Que pertence aos autos.

190. Ab actu ad posse valet illatio. [Adágio Escolástico / Rezende 4] Do que se fez vale a ilação do que poderá ser feito. (=Do passado é possível inferir o futuro).

191. Ab Adamo usque ad finem huius mundi. Desde Adão até o fim deste mundo. Ab Adam usque ad finem huius saeculi.

192. Ab adulescentia. [Cícero, Ad Familiares 2.12] Desde a juventude. VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. A teneris. A teneris unguiculis. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

193. Ab aequitate vinci, pulchrum et bonum. [Apostólio 19.94] Ser vencido pela justiça é belo e bom.

194. Ab aeterno tempore. [Cícero, Tusculanae Disputationes 5.70] Desde a eternidade. Desde os tempos imemoriais. Desde sempre. Sempre.  Desde que o mundo é mundo.  Desde o começo dos tempos. Ab aeterno.

195. Ab aeterno usque in aeternum. [Vulgata, 1Paralipômenos 16.36] Desde a eternidade até a eternidade. Ab aeterno et usque in aeternum. [Vulgata, Salmos 102.17] Ab aeterno ad aeternum.

196. Ab aetate tenera. Desde tenra idade.

197. Ab alienatione. [Jur] Pela alienação. Pela venda.

198. Ab alio exspectes, alteri quod feceris. [Publílio Siro; Sêneca, Epistulae Morales 94.43]  Assim como fizeres, de outrem o esperes.  Faze o bem, sem olhar a quem, faze o mal e espera outro tal.  Como for teu trato, assim te trato.  Tal como fizeres, assim esperes. Ab alio spectes, alteri quod feceris. Ab alio speres alteri quod feceris. Ab altero exspectes, alteri quod feceris. [Schottus, Adagialia Sacra 17] VIDE: Ab illo exspectes, alteri quod feceris. Fac alteri, tibi ipse quod fieri cupis. Hoc fac aliis quod cupis fieri ab aliis tibi. Quod tibi non vis fieri, id et alteri ne feceris. Quod tibi vis ut homines faciant, idem fac hominibus. Quod vis tibi fieri, hoc idem fac alteri.

199. Ab alto. [Jur] Por alto. Superficialmente.

200. Ab amante lacrimis redimas iracundiam. [Publílio Siro] Acalma com tuas lágrimas a cólera de quem te ama.  Lágrimas quebrantam penhas.

201. Ab amicis libenter moneamur. De bom grado deixemo-nos advertir pelos amigos. De amigo que não ralha e de faca que não talha, não me dá migalha. Do amigo, o que te quiser dizer. Conselho de amigo vale um reino.

202. Ab amicis honesta petamus. [Cícero, De Amicitia 44] Peçamos aos amigos somente coisas honestas.

203. Ab amico indiscreto libera nos, Domine! [Walther 122 / Tosi 1276] Senhor, livra-nos do amigo inseparável! A familiaridade produz o desprezo.

204. Ab amico reconciliato cave. [DAPR 57] Guarda-te de amigo reconciliado. De amigo reconciliado, guarda-te dele como do diabo. Amigo reconciliado, inimigo dobrado.

205. Ab ante. [Jur / Black 3] Antes. Por antecipação.

206. Ab antecedente. [Jur / Black 3] De antemão.

207. Ab antiquo. [Ovídio, Ibis 81] Desde há muito tempo. Desde os tempos antigos. Pelo modo antigo.

208. Ab asinis ad boves transcendere. [Plauto, Aulularia 192] Passar de burros a bois. De bem em melhor. Ab asinis ad equos. [Apostólio 4.10] (Passar) de burros a cavalos. VIDE: Desiit gaudere lente.

209. Ab asino delapsus. [Manúcio, Adagia 296] Caído do burro. (=Diz-se de quem, por não saber utilizar suas oportunidades, perde a situação de que gozava).

210. Ab asino lanam quaeris. [Pereira 98] Estás procurando lã em burro. Procuras asas ao burro. Buscas água em fonte seca. Queres tirar leite de pedra. Ab asino lanam petis. Ab asino lanam. [Erasmo, Adagia 1.4.79] VIDE: Asini lanam quaeris. Asini vellera quaeris. Lupi alas quaeris.

211. Ab assuetis non fit iniuria. [Jur / Black 3] De coisas a que se está acostumado não nasce ofensa.

212. Ab assuetis non fit passio. [Rousseau, Émile 2.21] Das coisas costumeiras não nasce paixão. A familiaridade é a sepultura do amor. Ninguém se embebeda com o vinho de sua adega. VIDE: Assiduum mirabile non est. Assueta vilescunt. Cotidiana vilescunt.

213. Ab auditione mala non timebit. [Vulgata, Salmos 111.7] (O justo) não temerá ouvir palavra má.

214. Ab elephanto nihil differs. [Schottus, Adagia 275] Em nada diferes de um elefante. VIDE: Nihil ab elephante differs.

215. Ab equi pedibus procul secedite. [Grynaeus 212] Afastai-vos para longe das patas do cavalo. Ab equinis pedibus procul recede. Afasta-te das patas do cavalo. VIDE: Procul a pedibus equinis!

216. Ab equis ad asinos transeunt stulti. Os tolos passam de cavalos a burros. Ir de bispo a moleiro. De alcaide a verdugo, vê como subo. De rocim a ruim. Andar de mal a pior. Andar para trás, como o caranguejo. Ab equis ad asinos transivimus. [Grynaeus 161] Passamos de cavalos a burros. Ab equis ad asinos. [Apostólio 5.9] De cavalos a burros. Ab equo ad asinum. De cavalo a burro.

217. Ab esse ad posse valet consequentia. Tem força a relação entre o acontecimento e a possibilidade de acontecer. VIDE: A posse ad esse non valet consequentia.

218. Ab executione incipiendum non est. [Jur] Não se deve começar da execução.

219. Ab exordio generis humani. [S.Agostinho, De Civitate Dei 7.32] Desde o começo da raça humana. VIDE: Ab initio generis humani.

220. Ab exordio mundi. Desde o começo do mundo. Desde a criação do mundo. Ab exordio mundi usque in annum salutis nostrae ... Desde a criação do mundo até o ano ... de nossa salvação. (=As reticências são substituídas pelo número do ano da era cristã correspondente). Ab exordium mundi usque ad tempus suum. Desde a criação do mundo até a sua época.

221. Ab exordio vitae. Desde o começo da vida. VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. A teneris. A teneris unguiculis. Ab adulescentia. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

222. Ab extra. [Bacon, Novum Organum 2.48.7] De fora. Vindo de fora.

223. Ab extremo initio ad supremum finem. [Grynaeus 11] De um extremo a outro. De ponta a ponta. Do começo ao fim. VIDE: A caelo ad terram. A fine usque ad finem. Ab ore usque ad os.

224. Ab extremo terrae usque ad extremum eius. [Vulgata, Jeremias 12.12] Desde um extremo da terra até outro extremo.

225. Ab extrinseco. [Jur] (Vindo) de fora.

226. Ab hac cura mens relevata mea est. [Ovídio, Tristia 1.11.12] Dessa preocupação minha mente está aliviada.

227. Ab Herode ad Pilatum. [Polydorus, Adagia] De Herodes para Pilatos. (=De um lado para outro. Daqui para ali).

228. Ab hoc et ab hac. [Rezende 12] Deste e desta. (=Desordenadamente. Atabalhoadamente. Ao acaso). A torto e a direito. Por paus e por pedras. Ab hoc, ab hac, ab illa. Deste, desta e daquela. VIDE: Quando conveniunt Domitilla, Sibylla, Drusilla, sermonem faciunt et ab hoc et ab hac et ab illa. Quando conveniunt Catharina, Camilla, Sybilla, sermones faciunt et ab hoc, et ab hac, et ab illa. Quando conveniunt Ludmilla, Sybilla, Camilla, miscent sermones et ab hoc et ab hac et ab illa.

229. Ab hoc momento pendet eternitas. [Inscrição em quadrante solar] A eternidade depende deste momento.

230. Ab hoc tempore. [Cícero, De Republica 1.58] Desde esse tempo. Desde então.

231. Ab hodierno die. A partir de hoje. Ab hodierno.

232. Ab homine homini cotidianum periculum. [Sêneca, Epistulae Morales 103] É do homem que vem ao homem o perigo de cada dia. O homem é o lobo do homem. VIDE: Homo homini lupus.

233. Ab homine et flumine taciturno cave. Toma cuidado com o homem e com o rio silenciosos. Água silenciosa, a mais perigosa. Cuidado com o homem que não fala e com o cão que não ladra. VIDE: Cave tibi a cane muto et aqua silenti. Cave tibi ab aquis silentibus et a cane muto. Quo minus est murmur, plerumque est altior unda.

234. Ab honesto virum bonum nihil deterret. Nada desvia o homem honesto do que é digno. Ab honesto vir bonus nulla re deterrebitur. [Sêneca, Epistulae Morales 76.18] O homem honesto não será desviado do que é digno por coisa nenhuma.

235. Ab hoste dicta ne unquam amica duxeris. [Manúcio, Adagia 133] Nunca me tragas palavras elogiosas de inimigo.

236. Ab hoste maligno libera nos, Domine. [Rabelais, Gargantua 1.47] Ó Senhor, livra-nos do inimigo malvado.

237. Ab igne ignem. [Cícero, De Officiis 1.52] Do fogo só se tira fogo.

238. Ab ignotis abstinendum. Devemos ficar longe das coisas desconhecidas.

239. Ab illa die. [Gesta Romanorum 61] A partir daquele dia.

240. Ab illo exspectes, alteri quod feceris. Assim como fizeres, de outrem o esperes. Como for teu trato, assim te trato. Tal como fizeres, assim esperes. VIDE: Ab alio exspectes, alteri quod feceris. Ab altero exspectes, alteri quod feceris.

241. Ab illo nihil spera boni, quia non vult; nihil metue mali, quia non audet. Dele não esperes nada de bom, porque ele não quer; dele não temas nada de mal, porque ele não ousa. VIDE: A quo nihil speres boni rei publicae, quia non vult, nihil speres mali, quia non audet.

242. Ab illo tempore usque in praesens. Desde aquele tempo até o presente.

243. Ab imis fundamentis. [Bacon, Aphorismi 31] Desde os mais profundos alicerces.

244. Ab imis unguibus ad verticem summum. [Cícero, Pro Roscio 7.20] Dos pés à cabeça. Ab imis unguiculis ad verticem summum. Ab imis unguibus adusque summos capillos. Ab imo ad summum. VIDE: A planta pedis usque ad verticem. Ab infimo ad summum.

245. Ab immemorabili (tempore). De época indeterminada. Desde tempo imemorial.

246. Ab immundo quid mundabitur? [Vulgata, Eclesiástico 34.4] Do impuro o que pode sair de puro?

247. Ab imo ad summum. [Quintiliano, Institutio Oratoria 2.8] Do ponto mais baixo ao mais elevado. VIDE: A planta pedis usque ad verticem. Ab imis unguibus ad verticem summum. Ab imis unguiculis ad verticem summum. Ab imis unguibus adusque summos capillos. Ab infimo ad summum.

248. Ab imo corde. Do fundo do coração. (=Com sinceridade. Com toda a franqueza). Ab imo pectore. Ab imo pectore fatur. [Cláudio Claudiano, In Rufinum 2.205] Ele fala do fundo do coração. VIDE: Ex corde. Ex imo corde. Ex imo pectore. Imo pectore.

249. Ab impiis egredietur impietas. [Vulgata, 1Reis 24.14] Dos ímpios sairá a impiedade. Ab impiis egressa est iniquitas. [Erasmo, Adagia 1.9.26] Dos ímpios saiu a iniqüidade.

250. Ab improbis irrideri laudari est. Ser ridicularizado por desonestos é ser elogiado. Há injúrias que louvam, e louvores que injuriam. VIDE: Ii sunt, a quibus vituperari laudari est. Malis displicere est laudari. Sunt ii a quibus vituperari laudari est.

251. Ab improbo debitore quidvis accipe. De mau devedor aceita qualquer coisa. De ruim pagador, em farelos. VIDE: Accipias paleam, si non vult solvere nequam. Arripias paleas, si non vult solvere nequam debitor; accipias, si miser est, paleas. Debitor, accipias, si miser est, paleas. Pro veteri debito accipimus stramen avenae.

252. Ab incepto. Desde o começo.

253. Ab inclusione unius ad exclusionem alterius. [Jur] Da inclusão de um à exclusão do outro. VIDE: Ab inclusione unius ad exclusionem alterius. Designatio unius est exclusio alterius. Inclusio unius est exclusio alterius. Inclusione unius fit exclusio alterius.

254. Ab incunabulis. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 4.36.9; Erasmo, Adagia 1.7.53] Desde o berço. (=Desde a infância. Desde o princípio. Desde a origem). VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. A teneris. A teneris unguiculis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

255. Ab ineunte adulescentia usque ad hanc aetatem. Desde o começo de minha juventude até esta idade. VIDE: Usque ad hanc aetatem ab ineunte adulescentia.

256. Ab ineunte aetate. [Cícero, Ad Familiares 13.6] Desde a idade mais tenra. Desde criancinha. Desde o começo da vida. Ab infantia. [Schottus, Adagia 417] Desde a infância. Ab infantia prima. Desde a primeira infância. VIDE: A nutricibus. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. A teneris unguiculis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab infantia. Ab infantia prima. Ab initio aetatis. De tenero ungue.

257. Ab ineunte pueritia tua. [Cícero, Ad Familiares 10.3] Desde o começo de tua meninice.

258. Ab infantia nostra usque in praesens. Desde minha infância até agora.

259. Ab infantia usque ad decrepitam senectutem. [S.Agostinho, Sermones 17] Desde a infância até a decadente velhice. Ab infantia usque ad diem mortis. Desde a infância até o dia da morte.

260. Ab infimo ad summum. Do ponto mais baixo ao mais elevado. Ab infimo erigitur ad summum. [Apuleio, De Mundo 12] Sobe do ponto mais baixo ao mais elevado. VIDE: Ab imis unguibus ad verticem summum. Ab imis unguiculis ad verticem summum. Ab imis unguibus adusque summos capillos. Ab imo ad summum.

261. Ab inimicis possum mihi ipsi cavere, ab amicis vero non. [DAPR 327] Dos inimigos eu posso guardar-me, mas dos amigos não. Deus me guarde dos amigos, que dos inimigos me guardo eu. Ao amigo que não é certo, um olho fechado e outro aberto.

262. Ab initio. Desde o começo. Desde a origem. No início. VIDE: Ab origine. Ab ovo.

263. Ab initio ad finem. Do início ao fim. VIDE: Ab initio usque ad finem. A carcere ad metam.

264. Ab initio aetatis. [Cícero, Ad Familiares 4.3] Desde o começo da vida. VIDE: A nutricibus. A parvulis. A parvulo. A prima aetate. A prima pueritia. A primo vitae limine. A pueris. A puero. A rudibus annis. A teneris annis. A teneris. A teneris unguiculis. Ab adulescentia. Ab exordio vitae. Ab incunabulis. Ab ineunte aetate. Ab infantia. Ab infantia prima. De tenero ungue.

265. Ab initio est ordiendum. É preciso começar do começo. Ab initio est ordiendus. [Cornélio Nepos, De Excellentibus Ducibus, Themistocles 2] Devo começar (a história de Temístocles) desde o começo.

266. Ab initio generis humani. [S.Agostinho, De Cathechizandis Rudibus 32] Desde o começo da raça humana. VIDE: Ab exordio generis humani.

267. Ab initio litis. [Jur] Desde o início da demanda. No início da demanda.

268. Ab initio mundi usque ad eius finem. Do começo do mundo até o seu fim.

269. Ab initio mundi ad hodiernum diem. [Jur / Black 4] Do princípio do mundo até hoje.

270. Ab initio nullum, semper nullum. [Jur] O que é nulo no início sempre é nulo.

271. Ab initio usque ad finem. [Sêneca Retórico, Controversiae 1.4.8] Do começo ao fim. Ab initio usque ad finem terrae. [Vulgata, Deuteronômio 13.7] Desde uma extremidade da terra até a outra. VIDE: Ab initio ad finem.

272. Ab inope nunquam spectes. [Medina 599] Nunca esperes nada do pobre. Mais dá o cru que o nu.

273. Ab inquieto saepe simulatur quies. [Sêneca, Oedipus 684] Muitas vezes o homem atormentado simula tranqüilidade.

274. Ab integro. [Jur] Por inteiro. Não alterado. Fielmente. VIDE: De integro.

275. Ab intestato. [Jur] (Vindo) de pessoa que não fez testamento. (=Morrer ab intestato. Morrer sem deixar testamento). VIDE: Abintestato. Hereditas ab intestato. Successio ab intestato.

276. Ab intrinseco. (Vindo) do interior. (Vindo) de dentro. Internamente.

277. Ab intra. (Vindo) de dentro.

278. Ab intus enim de corde hominum malae cogitationes procedunt, adulteria, fornicationes, homicidia, furta, avaritiae, nequitiae, dolus, impudicitiae, oculus malus, blasphemia, superbia, stultitia. [Vulgata, Marcos 7.21-22] Do coração dos homens é que saem os maus pensamentos, os adultérios, as fornicações, os homicídios, os furtos, as avarezas, as malícias, as fraudes, as desonestidades, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura.

279. Ab invito. [Cícero, De Lege Agrária 1.14] (Feito) por pessoa que reluta. (=Involuntariamente. Contra a vontade).

280. Ab Iove principium. [Virgílio, Eclogae 3.60] Comecemos por Júpiter. Comecemos pelo começo. VIDE: A Deo incipiamus.

281. Ab Iove principium generis. [Virgílio, Eneida 7.219] A origem de nossa raça remonta a Júpiter.

282. Ab ipsa messe discedere. [Erasmo, Adagia 4.5.90] Abandonar a própria colheita. Deixar o certo pelo duvidoso. Deixa a tua casa, vem-te à minha, terás negro dia.

283. Ab ipso lare. Da própria casa. Da própria origem.

284. Ab ipso lare incipe. [Erasmo, Adagia 1.6.83] Começa pela tua própria casa. Cada um olhe para si, e já não faz pouco. VIDE: A tuo lare incipe.

285. Ab ipso rei principio. Desde o princípio da coisa. VIDE: A carcere.

286. Ab ira. De raiva.

287. Ab irato. [Jur / Black 4] (Vindo) de uma pessoa irada. (=Num impulso de cólera. Movido pela ira. Arrebatadamente).

288. Ab occasu describe diem, non solis ab ortu. Descreve o dia ao pôr-do-sol, não ao amanhecer.

289. Ab occursu faciei cognoscitur sensatus. [Vulgata, Eclesiástico 19.26] Pelo semblante se conhece o homem sensato. Pelos olhos se conhece quem tem lombriga.

290. Ab officio decedere. Faltar à obrigação. Não cumprir o dever.

291. Ab officio et beneficio. (Suspenso) de sua função e benefícios.

292. Ab omni malo libera nos, Domine! Senhor, livra-nos de todo mal!

293. Ab omni munere immunis. [Jur] Isento de todo imposto.

294. Ab omni parte. Sob todos os aspectos.

295. Ab omnibus pretium accipiunt et omnes fallunt. [Aulo Gélio, Noctes Atticae 11.10] Recebem dinheiro de todos e a todos enganam.

296. Ab ore ad aurem. [DAPR 720] Da boca ao ouvido. (=Reservadamente. Em segredo).

297. Ab ore usque ad os. [Vulgata, Esdras 9.11] De uma extremidade à outra. VIDE: A caelo usque ad centrum. A fine usque ad finem. Ab extremo initio ad supremum finem.

298. Ab origine. Desde a origem. Desde o início. (=Aborígene. Pessoa que é originária do país em que vive; indígena; nativo). VIDE: Ab initio. Ab ovo.

299. Ab origine mundi. [Lucrécio, De Rerum Natura 5.548] Desde a criação do mundo.

300. Ab ortu solis usque ad occasum. [Rezende 27] Desde o nascer do sol até ocaso. Ab orto sole usque ad diei finem. Do nascimento do sol até o fim do dia. Ab ortu lucis ad umbram. Desde o clarear até o escurecer. VIDE: A lucis ortu ad usque diei finem. A sole ortu usque diei ultimum. A solis ortu usque ad occasum. Ad finem lucis ab ortu. Ad umbram lucis ab ortu. Ad umbram lucis ab ortu.

301. Ab ovo. [Horácio, Ars Poetica 147] Desde o ovo. (=Desde a origem. Desde a concepção. Desde o começo). Ab initio. Ab origine.

302. Ab ovo usque ad mala. [Horácio, Satirae 1.3.1.6] Do ovo às maçãs. (=Do antepasto até a sobremesa, isto é, do começo ao fim. O jantar romano começava com ovos e terminava com frutas). De cabo a rabo. Ab ovo ad mala. Ab ovo ad malum.

303. Ab pace mea. Com minha permissão.

304. Ab re. [DAPR 799] Contra toda razão. Contrariamente a seus interesses. Fora de propósito.

305. Ab reo dicere. [Jur] Falar em favor do réu.

306. Ab transenna cibum petere. [Erasmo, Adagia 4.5.71] Buscar comida na armadilha. Ir buscar lã e voltar tosquiado. VIDE: E transenna cibum petere. E flamma cibum petere. Cibum e flamma petere. Nunc ab transenna hic turdus lumbricum petit.

307. Ab stirpe interiit. [Salústio, Catilina 10] Morreu a partir da raiz.

308. Ab ultima cave. [Inscrição em quadrante solar] Cuidado com a última hora.

309. Ab ultima aeternitas. [Inscrição em quadrante solar] Da última (hora) depende (tua) eternidade. Ab una pendet aeternitas. A (tua) eternidade depende de uma única (hora).

310. Ab ultima cave. [Inscrição em quadrante solar] Cuidado com a tua última (hora).

311. Ab umbra lumen. [Inscrição em quadrante solar] A luz (vem) da sombra.

312. Ab unguibus incipere. [Manúcio, Adagia 1142] Começar pelas unhas. (=Começar pelos detalhes).

313. Ab unguibus leo. [Pereira 99] Pelas unhas se conhece o leão. Ab unguibus leonem iudicant. Julgam o leão pelas unhas. VIDE: A digito cognoscitur leo. A digito dignoscitur leo. Ex ungue leo. Ex ungue leonem. Ex unguibus leonem. Leonem ex unguibus aestima. Ungula testatur pectus generosa leonis.

314. Ab uno ad omnes. De um para todos.

315. Ab uno amore multa bona. [Inscrição em medalha] De um só amor vêm muitos bens. (=Refere-se ao amor divino).

316. Ab uno disce omnes. [Virgílio, Eneida 2.65] Por um só conhece-os todos. Conhecido um, conhecê-los-ás todos. Pela amostra se conhece a chita. VIDE: Crimine ab uno disce omnes. Ex uno disce omnes. Ex uno omnes. Ex uno omnia specta. Ex uno omnia videre. Ex uno videt omnia. Unum cum noris, omnes noris. Unum cognoris, omnes noris.

317. Ab Urbe condita. Desde a fundação da cidade de Roma. (=A data da fundação de Roma corresponde ao ano 753 a.C.).

318. Ab usque primis vitae rudimentis. Desde os primeiros sinais de vida. VIDE: A primis vitae rudimentis.

319. Ab utraque parte dolum compensandum. [Juliano, Digesta 2.10.3.3] O dolo deve ser compensado por ambas as partes.

320. Ab utroque latere. [Cícero, De Natura Deorum 2.125] De ambos os lados.

321. Ab utroque parte. [Jur] De ambas as partes.

322. Abbati, medico, patronoque intima pande. [Pereira 95] Ao abade, ao médico e ao advogado conta as coisas íntimas. Ao médico, ao advogado e ao abade, falar a verdade. VIDE: Medico, patrono et confessario dic verum libere.

323. Abdicatio hereditatis. [Jur] Renúncia à herança.

324. Abdicatio tutelae. [Jur] Renúncia à tutela.

325. Abdita mentis. Os segredos da mente. VIDE: Abscondita mentis.

326. Abdita quid prodest generosi vena metalli, si cultore caret? [Schottus, Adagialia Sacra 6] De que serve uma mina rica em metal nobre escondida, se falta quem a explore? O saber escondido, da ignorância vista, pouco dista. VIDE: Egregia musica quae sit abscondita nullius rei est. Musica abscondita nulli rei est. Musicae occultae nullus respectus. Non erit ignotae gratia magna lyrae. Nullus latentis musicae respectus est. Occultae musicae nullum esse respectum. Occultae musicae nullus respectus. Si solus sapias, nempe quis usus erit?

327. Abditae causae. Causas desconhecidas.

328. Abducere gradum in terga. [Dantas 213] Dar passo para trás. (=Fugir). Dar no pé. VIDE: Terga dare. Terga vertere.

329. Abducet praedam, qui occurrit prior. Quem chega primeiro, levará a presa. Quem primeiro vai à fonte, primeiro enche o cântaro. Quem chega primeiro é servido primeiro. Quem chega tarde acha o lugar tomado. Abduxisse alium praedam, qui occurrit prior. [Plauto, Pseudolus 1197] O outro, que chegou primeiro, levou a presa. VIDE: Prior in tempore, potior in iure.

330. Abeamus a fabulis, propiora videamus. [Cícero, De Divinatione 2.9] Deixemos as lendas, vejamos o que está mais perto (de nós). Vamos aos fatos. VIDE: A fabulis ad facta veniamus. Propiora videamus.

331. Aberrare a fortuna tua non potes, obsidet te. [Sêneca, De Clementia 1.8.2] Não podes escapar da tua sorte, pois ela está à tua frente. Ninguém foge de sua sorte.

332. Aberras a scopo. Erras o alvo. VIDE: Extra scopum iaculare.

333. Aberras ab ianua. Erras a porta.Bater a outra porta, que esta não se abre.

334. Aberratio delicti. [Jur] Desvio de delito. (=Erro do criminoso quanto ao objetivo do delito). Aberratio criminis.

335. Aberratio finis legis. [Jur] O afastamento da finalidade da lei.

336. Aberratio ictus. [Jur] Desvio de golpe. (=Erro de alvo: erro na execução do delito, sendo atingida a pessoa errada).

337. Aberratio personae. [Jur] Erro de pessoa. VIDE: Error in persona.

338. Aberratio rei. [Jur] Erro de coisa.

339. Abeunt studia in mores. [Ovídio, Heroides 15.83] Nossos gostos passam a costumes.

340. Abhorrent a vero principum aures. [Erasmo, Encomium Moriae 36] Os ouvidos dos reis têm horror à verdade.

341. Abhorrent inter se orationes. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 38.55, adaptado] Os argumentos se contradizem.

342. Abhorrentes lacrimae. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 30.44] Lágrimas intempestivas. Lágrimas fora de propósito.

343. Abi ad Acherontem! [Plauto, Amphitruo 1002] Vai para o Aqueronte! (=Aqueronte, na mitologia, era um rio do inferno). Vai para o inferno! Vai para o diabo que te carregue!

344. Abi ad corvos! [Schottus, Adagia 380] Vai para os corvos! Que o diabo te carregue!

345. Abi ad formicam, o piger. Vai ter com a formiga, ó preguiçoso. Segue a formiga, viverás com fadiga. VIDE: I, piger, ad formicam. Vade ad formicam, o piger. Vade ad formicam, o piger, et considera vias eius, et disce sapientiam.

346. Abi domum ac suspende te. [Plauto, Poenelus 309] Vai para casa e te enforca.

347. Abi et fac tu similiter. Vai e faze o mesmo. VIDE: Vade et fac tu similiter. Vai e faze o mesmo.

348. Abi hinc, fur temporis! [Vieira, Sermões Escolhidos, vol 2] Fora daqui, ladrão de tempo!

349. Abi hinc in malam crucem! [Plauto, Mostellaria 48] Vai daqui para a tortura! Vai para o inferno! Vai-te enforcar! Abi in malam crucem!

350. Abi hinc in malam rem cum suspicione ista. [Terêncio, Andria 317] Vai daqui para o inferno com essa suspeita.

351. Abi in malam rem! [Plauto, Captivi 807] Que a má sorte te alcance! Que o diabo te carregue! VIDE: Aufer te in malam rem. I in malam rem! Ito in malam rem.

352. Abiciens disciplinam cito sentiet ruinam. [S.Beda, Proverbiorum Liber] Quem abandona a educação logo sentirá a ruína.

353. Abiecit beluam. [Sófocles / Cícero, Tusculanae Disputationes 2.22] Matou a fera. (=Usa-se a expressão para indicar uma vitória importante). Matou a cobra!

354. Abiecit hastam. Atirou a arma ao chão. (=Depôs as armas. Deu-se por vencido. Desistiu do empreendimento). Abiecit hastas. [Cícero, Pro Murena 45]

355. Abiecta omni cunctatione. [Cícero, De Officiis 1.72] Eliminada toda hesitação. Sem nenhuma hesitação.

356. Abige abs te lassitudinem, cave pigritiae praeverteris. [Plauto, Mercator 112] Afasta de ti o cansaço, trata de evitar a preguiça.

357. Abigeator. Ladrão de gado. Abigeatus crimen publici iudicii non est, quia furtum magis est. [Digesta 47.14.2] O abigeato não é crime de direito público, pois é mais furto.

358. Abiit ad plures. [Petrônio, Satiricon 42.5] Foi juntar-se à maioria. (=Morreu). Abiit ad maiores. Foi juntar-se aos antepassados. Abiit ad deos. [Cícero, Tusculanae Disputationes 1.32] Foi juntar-se aos deuses. Abiit e vita. Saiu da vida. Abiit e medio. Deixou a sociedade humana. VIDE: Ad divina migravit. Ad manes abiit. Ad patres abiit. Animam Deo reddidit. Migravit ad regna celestia. Migravit ex vita. Migravit in caelum. Spiritum Deo reddidit.

359. Abiit, excessit, evasit, erupit. [Cícero, In Catilinam 2.1.1] Foi embora, desapareceu, escapou, fugiu.

360. Abiit nemo salutato. Foi embora sem cumprimentar ninguém.

361. Abiit, non obiit. Partiu, não morreu. Abiit, non obiit; abiit ut vivat in aeternum. Partiu, não morreu; partiu para viver para sempre. VIDE: Non obiit, sed abiit.

362. Abiit tempus. O tempo passou. Abiit tempus illud. Aquele tempo passou.

363. Abintestato. [Jur] Sem testamento. (=Morrer abintestato. Morrer sem deixar testamento). VIDE: Ab intestato.

364. Ablata iustitia, quid sunt regna nisi magna latrocinia? Sem a justiça, que são os governos, senão grandes rapinagens? VIDE: Remota itaque iustitia, quid sunt regna nisi magna latrocinia?

365. Ablue peccata tua. [Vulgata, Atos 22.16] Lava os teus pecados. Ablue peccata, non solum faciem. [Tradução latina de uma inscrição bizantina que se lia na Igreja de Santa Sofia, em Constantinopla / Rezende 24] Lava os teus pecados, não apenas o rosto.

366. Abluis Aethiopem frustra. [Rezende 25] Em vão queres branquear o etíope. Trabalhas para o bispo. Abluis Aethiopem quid frustra? [Alciato, Emblemata 59] Por que perdes teu trabalho branqueando o etíope? VIDE: Aethiops non albescit. Mutare non potest Aethiops pellem suam. Mutare non potest pardus varietates suas. Si mutare potest Aethiops pellem suam, aut pardus varietates suas, et vos poteritis benefacere cum didiceritis malum. Pardus maculas non deponit. Vestem mutare potest Aethiops, faciem non potest.

367. Abluit manus manum. Uma mão lava a outra. Abluit manus manum: da aliquid et accipe. [Schottus, Adagia 639] Uma mão lava a outra: dá alguma coisa e recebe. É dando que se recebe. VIDE: Amicus amicum adiuvat. Manus manum lavat. Manus manum, digitumque digitus abluit. Manus manum lavat, et digitus digitum. Palma palmam piet, illota vel utraque fiet. Una manus reliquam lavat, ut relavetur ab ipsa. Utraque mundatur, dum palma palma lavatur.

368. Abolitio criminis. [Jur] A extinção do crime. A anistia.

369. Abominandum remedii genus salutem debere morbo. [Publílio Siro] É um tipo lamentável de recurso dever a salvação a uma doença.

370. Abominatio est apud Dominum pondus et pondus; statera dolosa non est bona. [Vulgata, Provérbios 20.23] Ter um peso e outro peso é abominação diante do Senhor; a balança enganosa não é boa. VIDE: Pondus et pondus, mensura et mensura.

371. Abrenuntio! Renuncio! Detesto!

372. Abrogata fide, societas humana tollitur. Suprimida a confiança, destrói-se a sociedade humana.

373. Abrogatio legis. [Jur] A cassação da lei. A ab-rogação.

374. Abs quovis homine, cum est opus, beneficium accipere gaudeas. [Terêncio, Adelphi 254] É um prazer receber o benefício que chega na hora certa, venha de quem vier.

375. Abs re qui vadit, res sibi nulla cadit. [Eiselein 219] Quem anda sem dinheiro, nada lhe cai nas mãos. Quem anda sem dinheiro, não arranja companheiro.

376. Abscede hinc. [Plauto, Asinaria 469] Cai fora daqui.

377. Abscinduntur facilius animo quam temperantur. [Sêneca, Epistulae Morales 108.16] É mais facil arrancá-las (as paixões) da alma do que dominá-las.

378. Abscondi Deo nihil potest. De Deus nada se pode esconder. A Deus nada se esconde. Deus vê o que o diabo esconde.

379. Abscondit piger manum suam sub ascella. [Vulgata, Provérbios 19.24] O preguiçoso esconde a sua mão debaixo da axila.

380. Abscondita mentis. Os segredos da mente. VIDE: Abdita mentis.

381. Absens absentis curator esse nequit. [Jur] Ausente não pode ser curador de ausente.

382. Absens carens. [Eiselein 149] Ausente, carente. Ausência aparta amor. Quem não aparece, esquece. O ausente nunca tem razão.

383. Absens corpore, praesens autem spiritu. [Vulgata, 1Coríntios 5.3] Ausente com o corpo, mas presente com o espírito.

384. Absens heres non erit. [Demóstenes / Manúcio, Adagia 1407] O ausente não será herdeiro. O ausente nunca tem razão. Quem não aparece, esquece. Absens heres non est. [Jur] O ausente não é herdeiro.

385. Absens non dicitur reversurus. [Jur] Não se considera ausente aquele que vai retornar.

386. Absens, studiorum causa, habetur pro praesente. [Jur] Reputa-se presente aquele que está ausente por motivo de estudo.

387. Absente custode, dulce pomum est. Quando o vigia está ausente, a fruta é doce. O fruto proibido é mais doce. Não há melhor bocado que o furtado. VIDE: Aquae furtivae dulciores sunt. Custos ubi deest, dulce pomum est scilicet. Dulce pomum, cum abest custos. Dulcia poma custode absente. Dulcia poma sunt, absente custode. Iucunda poma, si procul custodia.

388. Absente domino res male geritur. [Medina 595] Quando o dono está ausente, as coisas vão mal. Patrão fora, dia santo na loja. Fazenda, teu dono te veja. VIDE: Oculus domini facit equum pinguem. Oculus domini saginat equum. Ovium nullus usus, si pastor absit. Ovium nulla utilitas, si pastor absit. Ovium nulla utilitas, si absit upilio. Res male dilabitur, quae conspectu domini caret. Si pastor absit, non oves sunt usui.

389. Absente luce feminae cunctae pares. [Schottus, Adagia 607] Não havendo luz, todas as mulheres são iguais. No escuro tanto vale a rainha como a negra da cozinha. Prata falsa de noite passa. De noite todos os gatos são pardos. VIDE: A femina, nil femina ulla discrepat. Exstincta lucerna, omnis mulier eadem. Lucerna sublata nihil discriminis inter mulieres. Lucerna sublata, nihil discriminis. Lucerna sublata, omnis mulier eadem est. Omns enim mulier sublata lucerna eadem est. Sublata lucerna, nihil interest inter mulieres. Sublata lucerna, nihil discriminis est inter mulieres. Sublata lucerna, omnes mulieres aequales sunt.

390. Absente reo. [Jur / Black 15] Na ausência do acusado. Estando ausente o acusado.

391. Absente vino, nulla tunc adest Venus. [Eurípides / Grynaeus 458] Se o vinho está ausente, então o amor não está presente. Sem vinho e sem pão, o amor é vão. Sem Ceres e Baco o amor é fraco. Absente vino pariter exsulat Venus. [Schottus, Adagia 617] Faltando vinho, igualmente o amor está proscrito. VIDE: Mortua res Venus sine Baccho et Cerere. Sine Baccho et sine Cerere friget Venus. Sine Cerere et Baccho friget Venus. Sine Cerere et Libero friget Venus.

392. Absentem laedit cum ebrio qui litigat. [Publílio Siro] Quem briga com um ébrio agride um ausente. VIDE: Qui ebrium ludificat, laedit absentem.

393. Absentem qui rodit amicum, hic niger est. [Horácio, Satirae 4.81, adaptado] Quem critica o amigo ausente é mau caráter.

394. Absentes, adsunt. [Cícero, De Amicitia 1.23] (Os amigos) mesmo ausentes, estão presentes.

395. Absentes habentur pro mortuis. [Binder, Thesaurus 32] Ausentes são considerados como mortos. VIDE: Absentia longa et mors aequiparantur.

396. Absentes nec amor, nec habet mors invida amicos. [Pereira 95] Nem o amor, nem a cruel morte têm amigos ausentes. A mortos e idos não há amigos. VIDE: Procul ex oculis, procul ex corde. Quantum oculis, animo tam procul ibit amor.

397. Absenti nemo non nocuisse velit. [Propércio, Elegiae 2.19.32] Ninguém respeita um ausente. O ausente nunca tem razão. Os ausentes são assassinados a golpes de língua.

398. Absentia cor amantior fit. Com a ausência o coração fica mais apaixonado. Amor ausente, amor para sempre. De longe também se ama.

399. Absentia eius qui reipublicae causa abest, neque ei, neque aliis damnosa esse debet. [Digesta 50.17.140] A ausência daquele que se ausenta por causa do país não pode ser danosa nem a ele, nem a outros.

400. Absentia longa et mors aequiparantur. [Jur] A longa ausência e a morte se equiparam. VIDE: Absentes habentur pro mortuis.

401. Absentia omnis doloris. [Divisa da Sociedade Brasileira de Anestesiologia] Ausência de toda dor.

402. Absentum causas contra maledicta tuere. [Dionísio Catão, Monosticha, Appendix 78] Defendei a causa dos ausentes contra as injúrias.

403. Absim, vos animo semper adesse meo. [Ovídio, Tristia 3.4.74] Embora eu esteja ausente, vós estais sempre presentes no meu coração.

404. Absit. Ausente-se. (=Fórmula usada como autorização para alguém ausentar-se). ?Absit! Fora com isso! Que isso não aconteça! ¦Deus me livre!

405. Absit, absit hoc a me. [Vulgata, 2Reis 20.20] Longe, longe de mim isso.

406. Absit, absit tantum nefas et ignominia! [Martim Figueiredo / Ramalho 150] Longe, fique longe tão grande sacrilégio e ignomínia.

407. Absit clamor in colloquio, aut lusu. [Erasmo, Adagia 3.9.37] Na conversa ou na brincadeira não haja gritaria.

408. Absit hic error. [S.Agostinho, De Civitate Dei 1.18] Longe de nós esse erro.

409. Absit iactantia verbis. [Branco 496] Que não haja jactância nestas palavras. ?Absit iactantia dicto. ?Absit iactantia. VIDE: ?Citra arrogantiam hoc dico.

410. Absit iniuria verbo. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 9.19.15] Não haja ofensa na palavra. Seja dito sem ofensa. ¦Com perdão da palavra. ¦Não leves a mal o que te digo. ?Absit iniuria dicto. ?Absit iniuria verbis. ?Absit invidia verbo. [Bacon, Advancement of Learning 2.25.18] ?Absit verbo invidia. [Branco 594] ?Absit invidia. VIDE: ?Sit venia verbo. ?Verbis meis absit invidia.

411. Absit omen! Fora com esse (mau) agouro! ¦Sai, azar! ¦Que Deus não permita! ¦Vira essa boca para lá!

412. Absit qui mea manducat mecum, et sua secum. [Pereira 112] Fora quem come o meu comigo e o seu consigo mesmo. ¦Não me pago do amigo que come o seu só e o meu comigo. ¦Arrenego do amigo que come o meu comigo e o seu consigo.

413. Absoluta sententia expositore non indiget. [Jur / Black 15] A sentença que não dá margem a dúvida não precisa de intérprete.

414. Absolutio ab instantia. [Jur] Absolvição da instância. (=Extinção do processo pela inexistência de um ou mais pressupostos exigidos para a sua formação).

415. Absolutio criminis. [Jur] Desistência do propósito criminoso.

416. Absolutus de certo crimine de eodem iterum accusari non potest. [Decretalia Gregorii Papae IX 1.6] Quem foi absolvido de determinada acusação não pode ser novamente acusado pelo mesmo crime. VIDE: ?De his criminibus, de quibus absolutus est accusatus, non potest accusatio replicari.

417. Absolvere debet iudex potius in dubio, quam condemnare. [Jur] Na dúvida, o juiz deve antes absolver que condenar.

418. Absolvere nocentem satius est quam condemnare innocentem. [Rezende 39] É preferível absolver um criminoso a condenar um inocente. VIDE: ?In multis rebus melius est nocentem absolvere quam innocentem damnare. ?Levius est nocentem absolvere quam innocentem condemnare. ?Melius est impune delictum relinquere quam innocentem damnare. ?Nocentem absolvere satius est quam innocentem damnare. ?Satius est impunitum relinqui facinus nocentis quam innocentem damnari.

419. Absolvo. [Jur] Eu absolvo.

420. Absque aere mutum est Apollinis oraculum. [Binder, Thesaurus 35] Sem dinheiro, o oráculo de Apolo fica mudo. ¦Sem dinheiro nada se alcança.

421. Absque argento omnia vana. [Rezende 40] ¦Sem dinheiro, tudo é vão. ¦Homem sem dinheiro, morto que caminha.

422. Absque baculo ne ingreditor. [Erasmo, Adagia 3.4.61] Não caminhes sem teu cajado. (=Para proteger-se dos cães). ¦Homem prevenido vale por dois. ?Absque baculo non ingreditor. [Apostólio 3.58]

423. Absque bona fide nulla valet praescriptio. [Jur] Nenhuma prescrição vale sem a boa-fé.

424. Absque canibus et retibus. [Grynaeus 93] Sem cães nem redes. (=Com os próprios recursos). VIDE: ?Sine canibus et retibus.

425. Absque consideratione curiae. [Jur / Black 16] Sem consideração do tribunal. Sem julgamento.

426. Absque dubio. Sem dúvida. VIDE: ?Sine dubio.

427. Absque labore gravi non possunt magna parari. [Andreas Capellanus, De Amore 1.6.65] Sem trabalho pesado não se pode fazer coisas grandes. ¦Sem trabalho, só a pobreza. ¦O trabalho tenaz vence todas as dificuldades. VIDE: ?Absque sudore et labore, nullum opus perfectum est.

428. Absque labore nihil. [Divisa] Sem esforço, nada (se consegue).

429. Absque modo tractus saepissime frangitur arcus. [Tosi 1733] O arco esticado em excesso na maioria das vezes se quebra. ¦Arco muito retesado é arco quebrado. ¦Nem tanto puxar que se quebre a corda. ¦Arco sempre armado, ou frouxo ou quebrado. VIDE: ?Arcum nimia frangit intentio. ?Arcus nimis intensus rumpitur. ?Arcus qui nimis intenditur, rumpitur. ?Arcus tensus saepius rumpitur. ?Arcus, si nunquam cesses tendere, mollis erit. ?Cito rumpes arcum, semper si tensum habueris; at si laxaris, cum voles, erit utilis. ?Intensus arcus nimium facile rumpitur.

430. Absque oleo pingere. [Grynaeus 338] Pintar sem tinta. (=Fazer trabalho inútil).

431. Absque praeiudicio. [Grynaeus 432] Sem opinião preconcebida.

432. Absque praeparatione praevia. Sem preparação prévia.

433. Absque sanitate nemo felix. [Grynaeus 104] Sem saúde ninguém é feliz. ¦Saúde e paz, dinheiro atrás. ¦Saúde é riqueza. VIDE: ?Firma valetudine nihil melius: sani aegris ditiores. ?Homini nihil utilius sanitate. ?Nil sanitate vita habet praestantius. ?Nihil utilius firma valetudine. ?Valetudine firma nihil melius.

434. Absque scopo iacularis. [Schottus, Adagia 589] Atiras sem objetivo. ¦Atiras a esmo.

435. Absque sole, absque usu. [Inscrição em quadrante solar] Sem sol, (o quadrante solar fica) sem utilidade.

436. Absque sudore et labore, nullum opus perfectum est. [Schrevelius 1176] Sem suor e trabalho, não se faz nenhuma obra. ¦Sem trabalho, só a pobreza. VIDE: ?Absque labore gravi non possunt magna parari.

437. Absque ulla condicione. Sem qualquer condição. Incondicionalmente. VIDE: ?Sine ulla condicione.

438. Absque ulla nota. Sem qualquer marca. Sem qualquer anotação.

439. Absque ullo remorsu conscientiae. Sem nenhuma mordida da consciência. (=Sem remorso. Com a consciência tranqüila). VIDE: ?Sine remorsu conscientiae ac praeiudicio.

440. Absque vado fluvius, nec stat sine paelice proles. [Pereira 103] ¦Não há rio sem vau, nem geração sem mau. ¦Em longa geração há conde e ladrão.

441. Abstine et sustine. [Epícteto] Abstém-te e suporta. VIDE: ?Abstinete et sustinete.

442. Abstine manus! Não ponhas as mãos! ?Abstine alieno. Fica longe do alheio. VIDE: ?A rebus alienis manus abstine.

443. Abstine te a lite, et minues peccata. [Vulgata, Eclesiástico 28.10] Abstém-te de litígios e diminuirás os erros.

444. Abstineas avidas, Mors, modo, nigra, manus. [Tibulo, Elegiae 1.3.4] Ó negra Morte, contém tuas mãos insaciáveis.

445. Abstinebis alieno sanguine, abstinebis alieno matrimonio. [DM 29] Ficarás longe do sangue alheio, ficarás longe do casamento alheio.

446. Abstinenda vis a regibus. [Erasmo, Adagia 3.10.43] A força deve ser evitada pelos reis. ¦Deve temer a muitos aquele a quem muitos temem. ?Qui terret, plus ipse timet.

447. Abstinendum est a mutua pecunia. Devemos ficar longe de dinheiro emprestado.

448. Abstinentia et quiete multi morbi curantur. Muitas doenças são curadas com abstinência e descanso. VIDE: ?Multi morbi curantur abstinentia.

449. Abstineri debet aeger. [Celso, De Medicina 2.12] O doente deve abster-se.

450. Abstinete et sustinete. Abstende-vos e suportai. VIDE: ?Abstine et sustine.

451. Absurdo uno dato, sequitur alterum. [Signoriello 371] Permitido um absurdo, logo se segue outro. ¦Um abismo atrai outro. VIDE: ?Dato uno absurdo, sequitur alterum. ?Uno absurdo dato, infinita sequuntur.

452. Absurdum est illum commoda hereditatis habere, alium onera sustinere. [Digesta 37.5.15.4] É um absurdo um ter as vantagens da herança e outro suportar os encargos. ?Absurdum est alium commoda hereditatis habere, alium onera portare.

453. Absurdum est ut alios regat, qui seipsum regere nescit. [Jur / Stevenson 2060] É inaceitável que governe a outros quem não sabe governar a si. ¦Quem não se governa a si, como quer governar os outros? ?Absurdum est ut alios regat, qui seipsum regere nequit. [Jur] É inaceitável que governe a outros quem não pode governar a si. VIDE: ?Alios enim praesumitur male regere qui seipsum regere nescit.

454. Abundans cautela non nocet. [Jur / Black 17; Rodrigues 46] Precaução copiosa não prejudica. ¦Cautela e caldo de galinha nunca fizeram mal a doentes.

455. Abundans corporis, exiguusque animi. Grande de corpo e pequeno de espírito.

456. Abundantia contemptum parit. A abundância gera desprezo. ¦Barriga cheia, goiabada tem mofo. ¦Quando a barriga está cheia, toda goiabada tem mofo.

457. Abundat divitiis, non honoribus. É rico de dinheiro, mas não de prestígio.

458. Abundat divitiis, nulla re caret. [Lhomond, Grammaire 149] Tem muitas riquezas, nada lhe falta.

459. Abundat dulcibus vitiis. [Quintilino] É rico em vícios agradáveis. (=Refere-se a autor em cujos erros encontram-se coisas que agradam).

460. Abundat virtutibus, qui virtutes alienas amat. Tem virtudes de sobra quem ama as virtudes alheias.

461. Abunde accipit solus is qui memor est beneficii. [Schrevelius 1176] Só recebe em abundância quem não se esquece do benefício.

462. Abunde est! [Sêneca, Thyestes 278] Basta!

463. Abusus non est usus, sed corruptela. [Jur] Abuso não é uso, mas degradação.

464. Abusus non tollit usum. [Signoriello 24] O abuso não impede o uso. (=O abuso não pode ser usado como argumento para impedir o uso). ¦O abuso não tira o uso. ¦Um erro não justifica outro. VIDE: ?Ab abusu ad usum non valet consequentia. ?Ex abusu non arguitur in usum. ?Usus propter abusum minime tollendus.

465. Abusus optimi pessimus. O abuso do ótimo é o pior.

466. Abusus potus caffeae tremores producit. [Nenter 96] O abuso da bebida de café produz tremores.

467. Abyssus abyssum invocat. [Vulgata, Salmos 41.8] ¦Um abismo atrai outro. ¦Um abismo chama outro. ¦Uma desgraça nunca vem só. ¦Desgraça só quer princípio. VIDE: ?Ex peccato peccatum nascitur.

468. Ac etiam. E também.

469. Accedas ad curiam. [Jur] Compareças ao tribunal.

470. Accede ad ignem hunc, iam calesces plus satis. [Terêncio, Eunuchus 85] Chega perto deste fogo, logo te aquecerás mais.

471. Accedere ad rempublicam plerumque homines nulla re bona dignos, cum quibus comparari sordidum. [Cícero, De Republica 1.5] A maior parte dos homens que se dedicam aos negócios públicos são indignos, e é vergonhoso se ajuntar a eles.

472. Accelera, nec quid futuras differ in horas: qui non est hodie, cras minus aptus erit. [Georg von Gaal, Sprüchwörterbuch in Sech Sprachen 891] Apressa-te, não deixes nada para depois: quem não está preparado hoje, amanhã estará ainda menos preparado. VIDE: ?Propera, nec venturas differ in horas.

473. Accendit magis, quae refugit, Venus. [Claudiano, Epithalamium] O amor que foge, excita mais.

474. Accendit praeterea et stimulat animos dolor, iniuria, indignitas. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 21.44] Além disso a dor, a injustiça, a indignidade provocam e estimulam os espíritos.

475. Accensa candela, candelabrum quaerebamus. [Grynaeus 16] Estando acesa a vela, procurávamos o candelabro. ¦Busca o asno e está montado em cima. VIDE: ?Accepta candela, candelabrum quaerebamus. ?Ardente candelabra quaerimus lychno. ?Frondem in silvis non cernit. ?Intus habet quod poscit. ?Quaerit aquas in aquis.

476. Accensa domo proximi, tua quoque periclitatur. [Schrevelius 1178] Quando a casa do vizinho pegou fogo, a tua também corre perigo. ¦Quando vires a barba do vizinho pegar fogo, põe a tua de molho. VIDE: ?Nam tua res agitur, paries cum proximus ardet. ?Qui videt ardere vicini tecta, timere debet de propriis: nequeunt sua tuta manere. ?Res agitur tua, paries cum proximus ardet. ?Tua res agitur, et de tuo periculo, non de meo agitur. ?Tunc tua res agitur, paries dum proximus ardet.

477. Accepisti alapam, para alteram maxillam. [S.Agostinho, De Vera Religione 1.3] Recebeste uma bofetada; oferece a outra face. VIDE: ?Si quis te percusserit in dexteram maxillam tuam, praebe illi et alteram.

478. Accepta candela, candelabrum quaerebamus. [Manúcio, Adagia 1133] Depois de termos recebido a vela, procurávamos o candelabro. VIDE: ?Accensa candela, candelabrum quaerebamus. ?Ardente candelabra quaerimus lychno.

479. Accepta et expensa. [Sêneca, Epistulae Morales 81.18] A receita e a despesa. VIDE: ?Accepti et expensi tabulae.

480. Accepta reddito, homo, recipies denuo. [Schottus, Adagia 615] Paga o que recebeste, homem, que receberás de novo. ¦Quem paga dívida faz cabedal.

481. Acceptans actum, cum omnibus suis qualitatibus acceptare videtur. [Jur] Considera-se que quem aceita um ato aceita-o com todas as suas qualidades.

482. Accepti et expensi tabulae. [Cícero, In Verrem 2.2.186] Os registros de receitas e de despesas. VIDE: ?Accepta et expensa.

483. Accepti memores nos decet esse boni. [Gualterius Anglicus, Fabulae Aesopicae 41.30] Devemos lembrar-nos sempre do favor recebido.

484. Accepti nunquam, cito dati obliviscere. Esquece logo o que deste, mas nunca te esqueças do que recebeste. VIDE: ?Alter statim oblivisci debet dati, alter accepti nunquam.

485. Acceptissima semper munera sunt, auctor quae pretiosa facit. [Ovídio, Heroides 17.72] São muito bem recebidas as dádivas que o doador torna valiosas. VIDE: ?Auctor pretiosa facit dona.

486. Accepto claudenda est ianua damno. [Juvenal, Satira 13.129] Depois de recebido o prejuízo, é preciso trancar a porta. ¦Casa arrombada, trancas às portas. ?Accepto damno, ianuam claudis. Recebido o prejuízo, trancas a porta. VIDE: ?Nihil iuvat amisso claudere saepem grege. ?Sero accepto clauditur ianua damno.

487. Acceptum beneficium aeternae memoriae infigendum. [Júlio César / Cecílio Balbo, De Nugis Philosophorum] O favor recebido deve ser gravado na memória para sempre.

488. Acceptum habeo. [Jur] Tenho como aceito.

489. Acceptum reddimus officium. [Emblema] Retribuímos o favor recebido.

490. Accessio cedat principali. [Ulpiano, Digesta 34.2.19] O acréscimo faz parte do principal. VIDE: ?Accessorium sequitur naturam sui principalis. ?Accessorium sequitur suum principale.

491. Accessio possesionis. [Jur] O acréscimo da posse.

492. Accessio temporis. [Digesta 44.3.15.3] Acréscimo de tempo. Aumento de prazo.

493. Accessit. Atingiu. (=Fórmula usada para indicar que o candidato obteve votos suficientes para a aprovação). VIDE: ?Proxime accessit.

494. Accessit huic patellae dignum operculum. [S.Jerônimo, Epistulae 7.5] Deu-se a esta marmita uma tampa digna dela. ¦Achou forma para seu pé. ¦Não há panela feia que não ache seu cobertouro. ¦Tais alfaces para tais beiços. ¦A cada santo a sua lâmpada. VIDE: ?Dignum patella operculum. ?Invenit patella operculum. ?Nacta est suum patella operculum.

495. Accessoria sequuntur ius et dominium rei principalis. [Jur / Rodrigues 58] Os acessórios acompanham o direito e o domínio da coisa principal.

496. Accessorium corruit sublato principali. [Jur] Retirado o principal, o acessório se perde. VIDE: ?Sublato principali tollitur adiunctum.

497. Accessorium non ducit, sed sequitur suum principale. [Jur / Broom 376] O que é acessório não conduz, mas segue seu principal. ?Accessorium non trahit principale. [Broom 381] O acessório não atrai o principal.

498. Accessorium sequitur suum principale. [Gaio, Lex 26.1] O acessório segue o (regime jurídico de) seu principal. ?Accessorium sequitur naturam sui principalis. [Jur] O acessório segue a natureza do seu principal. ?Accessorium naturam sequi congruit principalis. [Regulae Iuris Bonifacii VIII] É congruente que o acessório siga a natureza do principal. VIDE: ?Accessio cedit principali. ?Res accessoria sequitur rem principalem.

499. Accessorius sequitur naturam sui principalis. [Jur / Black 22] O cúmplice segue a natureza do seu chefe.

500. Accidentalia negotii. [Jur] Coisas acidentais do negócio. Acontecimentos imprevistos do negócio.

501. Accidit divinitus. [Brewer, Dictionary of Phrase and Fable] Aconteceu por inspiração divina. ¦Foi a mão de Deus. ?Accidit casu. [César, De Bello Gallico 6.30] Aconteceu por acaso.

502. Accidit in puncto quod non contingit in anno. [Abraham France, Victoria, Ato 4; Goldoni, Il Servitore di Due Padroni, Ato 1] Acontece num instante o que não acontece num ano. ¦O que não acontece num ano, acontece num minuto. ?Accidit uno puncto quod non speratur in anno. [Rezende 54] Acontece num momento o que não se espera em um ano. ?Accidit in puncto quod non speratur in anno. [Binder, Thesaurus 37] VIDE: ?Praestat saepe dies, annus quod ferre recusat. ?Quod donare mora nequit annua, dat brevis hora. ?Quod non factum anno, puncto fit temporis uno. ?Quod praestare mora nequit annua, dat brevis hora. ?Saepe dat una dies quod non evenit in anno. ?Saepe dat una dies quod totus denegat annus. ?Solet hora, quod multi anni abstulerunt, reddere.

503. Accipe daque fidem. [Ênio / Macróbio, Saturnalia 6.1; Virgílio, Eneida 8.150] Aceita a minha palavra e dá-me a tua.

504. Accipe librum et devora illum. [Vulgata, Apocalipse 10.9] Toma o livro e devora-o.

505. Accipe non dura supplicis aure preces. [Ovídio, Ex Ponto 2.8.44] Recebe com ouvidos favoráveis os pedidos do suplicante.

506. Accipe quale datur, si cupis esse satur. [Binder, Thesaurus 39] Aceita o que te é dado, se desejas matar a fome. ¦Quem tem fome, cardos come. VIDE: ?Quae dantur necesse est accipere.

507. Accipe quam primum, brevis est occasio lucri. [Marcial, Epigrammata 8.9] Pega o mais rápido possível, pois a oportunidade de vantagem dura pouco. ¦Quando te derem o porquinho, acode com o baracinho. VIDE: ?Arripienda quae offeruntur. ?Noli oblatam occasionem praetermittere. ?Quae dantur necesse est accipere. ?Statim arripienda oblata occasio lucri.

508. Accipe quod tuum, alterique da suum. [Rezende 58] Recebe o que é teu e dá ao outro o que é dele. ¦O seu, a seu dono.

509. Accipe, redde, cave. [Rezende 59] Recebe, retribui, toma cuidado.

510. Accipe! Sume! Cape! sunt verba placentia cuique. [Sweet 263] Aceita! Recebe! Pega! são palavras que agradam a todos.

511. Accipe, sume, cape, sunt verba placentia Papae. [Rabelais, Gargantua 42] Aceita, recebe, pega, são palavras que agradam ao Papa.

512. Accipere est libertatem vendere. Aceitar favor é vender a liberdade.

513. Accipere humanum est, inopi donare, deorum. [Owen, Epigrammata 4.67.2] Receber é humano, doar ao necessitado é dos deuses.

514. Accipere quam facere praestat iniuriam. [Platão / Cícero, Tusculanae Disputationes 5.56] É melhor receber uma injúria do que praticá-la. ¦Antes sofrer o mal que fazê-lo. ¦Em matéria de ofender, antes réu que autor ser. ?Accipere praestat quam inferre iniuriam. ?Accipias praestat quam inferas iniuriam. [Publílio Siro] VIDE: ?Facere iniuriam peius est quam pati. ?Melius est iniuriam accipere quam facere.

515. Accipere quid ut iustitiam facias, non est tam accipere quam extorquere. [Jur / Black 24] Receber qualquer coisa (como recompensa) por fazer justiça é mais extorquir do que aceitar.

516. Accipias paleam, si non vult solvere nequam. [DAPR 506] Aceita até mesmo uma palha, se o maroto não quer pagar. ¦De ruim pagador, em farelos. VIDE: ?Ab improbo debitore quidvis accipe. ?Arripias paleas, si non vult solvere nequam debitor; accipias, si miser est, paleas. ?Debita si vetera sunt, accipiatur avena. ?Debitor, accipias, si miser est, paleas. ?Pro veteri debito accipimus stramen avenae.

517. Accipiat cineres terra paterna meos. [Ovídio, Ars Amatoria 2.26] Que a terra dos antepassados receba minhas cinzas.

518. Accipiat felis quae vellent rodere mures. [Pereira 115] Receba o gato o que os ratos querem roer. ¦Dá ao gato o que há de levar o rato. ¦Se há de se dar ao rato, dê-se ao gato.

519. Accipis ut taceas. [Marcial, Epigrammata 1.95.2] Recebes (dinheiro) para ficar calado.

520. Accipit et glaebam erro. [Plutarco / Erasmo, Adagia 2.3.36] O vagabundo também aceita um pedacinho de terra. ¦Homem pobre com pouco se alegra. VIDE: ?Etiam glaebam erro admittit. ?Etiam pauper glaebam capit erro. ?Glaebam quoque accipit erro.

521. Accipit optatum finem, qui coeperit apte. Atinge o objetivo desejado quem começar corretamente. ¦O que bem começa bem acaba. VIDE: ?Boni principii bonus finis. ?Principii boni finis bonus.

522. Accipite uxores, et generate filios et filias; et date filiis vestris uxores, et filias vestras date viris, et pariant filios et filias, et multiplicamini ibi, et nolite esse pauci numero. [Vulgata, Jeremias 29.6] Tomai mulheres, e gerai filhos e filhas, e daí a vossos filhos mulheres, e daí maridos a vossas filhas, e criem filhos e filhas, e multiplicai-vos aí, e não queirais ser poucos em número.

523. Accipitri timidas credis, furiose, columbas! [Ovídio, Ars Amatoria 2.1.363] Tu confias, ó louco, as temerosas pombas ao gavião!

524. Accusare et amare tempore uno ipsi vix fuit Herculi ferendum. [Petrônio / Tosi 1646] Acusar e amar ao mesmo tempo ao próprio Hércules teria sido difícil de suportar.

525. Accusare et iudicare simul fas non est. [Binder, Thesaurus 43] Não é justo acusar e ao mesmo tempo julgar. ¦Quem acusa não pode julgar. ¦Ninguém pode ser juiz em causa própria. ?Accusare et iudicare idem non potest. A mesma pessoa não pode acusar e julgar.

526. Accusare nemo se debet nisi coram Deo. [Jur / Black 80] Ninguém deve acusar-se senão perante Deus. (=A lei não deve forçar ninguém a fazer declarações ou apresentar provas contra si mesmo).

527. Accusator post rationabile tempus non est audiendus, nisi se bene de omissione excusaverit. [Jur / Black 30] O acusador, depois de um tempo razoável, não deve ser ouvido, salvo se justifique adequadamente a omissão.

528. Accusatores multos esse in civitate utile est, ut metu contineatur audacia. [Cícero, Pro Roscio 56] É útil que haja muitos delatores na cidade, para que a audácia seja contida pelo medo.

529. Acer in absentes linguae iactator. [Claudiano. In Eutropium 2.380] É um acerbo agitador de língua contra os ausentes.

530. Acer iudex. Um juiz severo.

531. Acerba audire tolerabilius est quam videre. Ouvir (o relato de) fatos cruéis é mais tolerável que presenciá-los. VIDE: ?Quamquam haec etiam auditu acerba sunt, tamen audire tolerabilius est quam videre.

532. Acerba lingua. Uma língua ferina.

533. Acerba sunt bella fratrum. [Medina 595] São cruéis as guerras entre irmãos. ¦Ira de irmãos, ira do diabo. ?Acerba enim bella fratrum. [Manúcio, Adagia 101] VIDE: ?Fratrum irae acerbissimae.

534. Acerba sunt tempora, quibus lupum lupus est. É terrível o tempo em que um lobo come outro. ¦Quando um lobo come outro, fome há no souto.

535. Acerbum nuntium. [Cícero, Pro Balbo 64] Uma notícia amarga.

536. Acerrima proximorum odia sunt. [Tácito, Historiae 4.70] O ódio dos parentes é o mais violento. ¦Ódio de irmãos, ódio de diabos.

537. Acerrima virtus est, quam ultima necessitas extundit. [Sêneca, De Clementia 1.12.5] A coragem mais impetuosa é a impelida pelo extremo desespero. ?Acerrima virtus est, quam ultima necessitas excutit.

538. Acerrimus ex omnibus nostris sensibus est sensus videndi. [Cícero, De Oratore 87.3] O mais agudo dos nossos sentidos é o sentido da visão.

539. Aceto acrius. [Grynaeus 389] Mais azedo que o vinagre.

540. Acetum habet in pectore. [Erasmo, Adagia 2.3.52] Tem vinagre no coração.

541. Acheronta movebo, flectere si nequeo superos. [Albertatius] Se eu não conseguir dobrar os deuses superiores, comoverei os deuses infenais. VIDE: ?Flectere si nequeo superos, Acheronta movebo. ?Si non possum flectere superos, commovebo inferos.

542. Acherontis pabulum. [Plauto, Casina 678] Comida de Aqueronte. (=Um cadáver). VIDE: ?Pabulum Acherontis.

543. Achivos a turre iudicare. [Pereira 101] Julgar os gregos da torre. (=Julgar de longe, sem ver, sem conhecer a questão). ¦Dar sentença de baque e boque. VIDE: ?Quid Achivos a turre iudicatis? ?Quid Achivos iudicatis ex moenibus?

544. Acies hebescit. A espada perde o fio. VIDE: ?Ingenium studio si non acuatur, hebescit. ?Mentis acies nonnunquam hebescit.

545. Acquisisti aurum? Somnum perdidisti. [S.Agostinho / Bernardes, Luz e Calor 1.220.42] Adquiriste ouro? Perdeste o sono. ¦Ouro adquirido, sono perdido.

546. Acribus initiis, incurioso fine. [Tácito, Annales 6.17] Com começo difícil, com fim sem interesse. ¦Princípios ruins, desgraçados fins.

547. Acrior est cupiditas ignota cognoscendi quam nota repetendi. [Sêneca Retórico, Controversiae 4.1] É mais ardente o desejo de conhecer coisas desconhecidas do que o de rever coisas conhecidas.

548. Acrius appetimus nova quam iam parta tenemus. [DC, Monosticha, Appendix 33] Desejamos com mais intensidade coisas novas do que conservarmos o que já temos.

549. Acta agimus. [Cícero, De Amicitia 85] Fazemos o que já está feito. ?Acta agis. [Albertatius 18] Fazes o que já está feito.

550. Acta Apostolicae Sedis. [Nome de publicação oficial do Vaticano] Atos da Sé Apostólica.

551. Acta deos nunquam mortalia fallunt. [Ovídio, Tristia 1.2.97] Os atos dos mortais nunca enganam os deuses.

552. Acta diurna. [Jur / Black 37] Atos do dia. Acontecimentos diários. Crônica. (=Registros públicos dos procedimentos diários do senado, das assembléias do povo, dos tribunais, etc).

553. Acta eruditorum. Documentos elaborados por eruditos. (=Nome de gazeta publicada em Leipzig, Alemanha, no período de 1682-1731).

554. Acta est fabula. Acabou-se o espetáculo. ¦Acabou-se a comédia. ¦Acabou-se a festa. ¦Acabou-se o que era doce. ?Acta est fabula, plaudite! [Suetônio, Augustus 99.1] Acabou-se o espetáculo, aplaudi! (=Últimas palavras do imperador Augusto). VIDE: ?Spectatores, fabula haec est acta: vos plausum date.

555. Acta exteriora indicant interiora secreta. [Jur / Broom 248] Os atos exteriores indicam os pensamentos ocultos. ¦Pela obra se conhece o obreiro.

556. Acta ne agamus. [Cícero, Ad Atticum 9.6.7] Não cuidemos do que está feito. ¦Não penses mais nisso. ¦É negócio consumado. ¦É página virada. VIDE: ?Actum ne agas.

557. Acta, non verba. Atos e não palavras. ¦Atos valem mais do que palavras.

558. Acta publica. [Jur / Black 37] Atos públicos. (1.Fatos de conhecimento geral. 2.Atos realizados diante de funcionários autorizados).

559. Acta publicam fidem faciunt. [Jur] Os autos gozam de fé pública.

560. Acta sanctorum. Os feitos dos santos. (=Coleção das vidas dos mártires e santos da Igreja Católica).

561. Acta simulata veritatis substantiam mutare non possunt. [Codex Iustiniani 4.22.2] Os atos simulados não podem mudar a essência da verdade.

562. Acta sunt vehiculum ad sententiam. [Jur] Os atos são o veículo para a sentença.

563. Acti labores iucundi sunt. [Polydorus, Adagia] As dificuldades passadas são agradáveis. ¦O que foi duro de passar é doce de lembrar. ?Acti laboris comes est laetitia. [Binder, Thesaurus 46] A alegria é a companheira da dificuldade superada. VIDE: ?Dulcis malorum praeteritorum memoria. ?Iucundi acti labores. ?Meminisse dulce est quod fuit durum pati. ?Memoria dulcis iam peracti olim mali. ?Memoria dulcis iam peracti incommodi. ?Quae durum fuit pati, meminisse dulce est. ?Quae fuit durum pati, meminisse dulce est. ?Quod durum fuit pati, meminisse dulce est. ?Suavis laborum est praeteritorum memoria. ?Suavis laborum post salutem memoria est.

564. Actibus aut verbis noli tu assuescere pravis. [Columbano 16] Não te acostumes ao mal, seja por atos, seja por palavras.

565. Actio ad exhibendum. [Jur / Black 38] Ação exibitória.

566. Actio aestimatoria. [Jur / Black 38] Ação estimatória. (=Ação de abatimento de preço). VIDE: ?Actio quanti minoris.

567. Actio arbitraria. [Jur] Ação arbitrária.

568. Actio calumniae. [Jur / Black 38] Ação de calúnia.

569. Actio civilis. [Jur / Black 38] Ação civil.

570. Actio criminalis. [Jur] Ação criminal.

571. Actio damni iniuria. [Jur / Black 38] Ação de dano por injúria.

572. Actio de damno infecto. [Jur] Ação (cautelar) de dano (ainda) não realizado. ?Actio damni infecti.

573. Actio de negotiis gestis. [Jur] Ação de tomada de contas do gestor dos negócios.

574. Actio depositi. [Jur] Ação de depósito.

575. Actio empti. [Jur / Black 39] Ação do objeto comprado. (=Ação destinada a compelir o vendedor a cumprir suas obrigações ou pagar compensação). VIDE: ?Actio ex empto.

576. Actio est ius persequendi in iudicio quod sibi debeatur. [Jur] Ação é o direito de perseguirmos em juízo o que nos é devido. ?Actio est remedium ius suum persequendi in iudicio. VIDE: ?Actio nihil aliud est quam ius persequendi in iudicio quod sibi debeatur. ?Nihil aliud est actio quam ius quod sibi debeatur, iudicio persequendi.

577. Actio est quasi sermo corporis. O gesto é como que a linguagem do corpo. VIDE: ?Est enim actio quasi sermo corporis.

578. Actio ex empto. [Jur] Ação a partir do que foi comprado. (=Ação de reivindicação, pelo comprador, da entrega da coisa comprada). VIDE: ?Actio empti.

579. Actio familiae herciscundae. [Jur] Ação de partilha de herança.

580. Actio famosa. [Jur] Ação de difamação.

581. Actio finium regundorum. [Digesta 2.1.11.2] Ação de demarcação de limites.

582. Actio furti et damni. [Jur] Ação de furto e dano.

583. Actio in personam. [Jur / Black 39] Ação contra a pessoa. Ação pessoal. VIDE: ?Actio personalis.

584. Actio in rem. [Jur / Black 39] Ação real. (=Ação para a recuperação da coisa que está em poder de outrem).

585. Actio indebiti. [Jur] Ação de indébito.

586. Actio nihil aliud est quam ius persequendi in iudicio quod sibi debeatur. [Institutiones 4.6] Ação nada mais é que o direito de perseguirmos em juízo o que nos é devido. VIDE: ?Actio est ius persequendi in iudicio quod sibi debeatur. ?Actio est remedium ius suum persequendi in iudicio. ?Nihil aliud est actio quam ius quod sibi debeatur, iudicio persequendi.

587. Actio non datur contra patrem. Não se move ação contra o próprio pai.

588. Actio non datur non damnificato. [Jur / Black 41] Não se concede ação a quem não foi prejudicado.

589. Actio non facit reum, nisi mens sit rea. [Jur / Black 41] O ato não torna ninguém culpado, a menos que a intenção seja má. VIDE: ?Actus non facit reum, nisi mens sit rea. ?Non est reus nisi mens sit rea.

590. Actio noxalis. [Jur] Ação de perdas e danos.

591. Actio nullitatis. [Jur] Ação de nulidade.

592. Actio personalis. [Jur / Black 40] Ação contra a pessoa. VIDE: ?Actio in personam.

593. Actio personalis moritur cum persona. [Jur / Broom 697] A ação pessoal extingue-se com o indivíduo.

594. Actio petitoria. [Jur] Ação petitória.

595. Actio pignoratitia. [Digesta 13.7] Ação pignoratícia.

596. Actio poenalis. [Jur / Black 40] Ação penal.

597. Actio poenalis in heredem non datur, nisi forte ex damno lucupletior heres factus sit. [Jur / Black 41] Não ocorre ação penal contra o herdeiro, salvo se esse herdeiro se beneficiou com o delito.

598. Actio popularis. [Jur] Ação popular.

599. Actio possessoria. [Jur] Ação possessória.

600. Actio prohibitoria. [Jur] Ação proibitória.

601. Actio quaelibet it sua via. [Jur / Black 41] Toda ação percorre seu próprio caminho.

602. Actio quanti minoris. [Jur] Ação de abatimento de preço. VIDE: ?Actio aestimatoria.

603. Actio reconventionalis. [Jur / Black 41] Ação de reconvenção.

604. Actio recta non erit, nisi recta fuerit voluntas. [Sêneca, Epistulae Morales 95.57] A ação não será honesta, se não for honesta a intenção.

605. Actio recuperandae possessionis. [Jur] Ação de recuperação de posse.

606. Actio redhibitoria. [Jur] Ação redibitória.

607. Actio rescissoria. [Jur] Ação rescisória.

608. Actio retinendae possessionis. [Jur] Ação de manutenção de posse.

609. Actio semel exstincta non reviviscit. [Jur] A ação, uma vez extinta, não revive.

610. Actio tutelae. [Jur / Black 41] Ação de tutela.

611. Actio utilis est quae, ex mente legis, ob aequitatem ad alios casus extenditur. [Jur] Ação útil é aquela que, de acordo com a intenção da lei, se estende a outros casos por razão da eqüidade.

612. Actionem dare. [Jur] Intentar uma ação. Acusar em juízo. ?Actionem intendere.

613. Actiones directae sunt quae nascuntur ex ipsis legum verbis. [Jur] Ações diretas são as que nascem das próprias palavras das leis.

614. Actiones legis. [Jur / Black 45] Ações legais. VIDE: ?Legitimae actiones.

615. Actiones transeunt ad heredes et in heredes. [Jur] As ações passam em favor dos herdeiros e também contra os herdeiros. (=”Há ações que são transmissíveis e ações que são intransmissíveis.” De Plácido e Silva, Vocabulário Jurídico 79).

616. Actioni contrarium semper et aequalem esse reactionem: sive corporum duorum actiones in se mutuo semper esse aequales et in partes contrarias dirigi. [Isaac Newton, Principia Mathematica] A uma ação há sempre uma reação contrária e igual; isto é, as ações de dois corpos são sempre mutuamente iguais e dirigidas às partes contrárias.

617. Actis aevum implet, non segnibus annis. Ele preenche sua vida com atos, não com anos de preguiça.

618. Actor agit quando vult, et non cogitur, sed contrarium est in reo. [Jur] O autor demanda quando quer, sem ser obrigado, mas dá-se o contrário com o réu.

619. Actor causarum. O autor das causas.

620. Actor debet venire instructior quam reus. [Jur] O autor da ação deve vir a juízo mais preparado que o réu.

621. Actor dicitur qui prius ad iudicium provocat. [Jur] Classifica-se como autor quem primeiro provoca em juízo. VIDE: ?Actor videtur qui prius ad iudicium provocavit.

622. Actor et reus idem esse non possunt. [Jur] O autor e o réu não podem ser a mesma pessoa. ?Actor et reus idem esse non potest. A mesma pessoa não pode ser autor e réu.

623. Actor negotii. O procurador.

624. Actor probat actionem, reus exceptionem. [Jur] O autor prova a ação, o réu, a exceção.

625. Actor qui contra regulam quid adduxit, non est audiendum. [Jur / Black 46] O querelante que aduz algo contra a regra não deve ser ouvido.

626. Actor sequitur forum rei. [Jur / Black 46] O autor segue o foro do réu. (=rei, por ser genitivo de res e de reus, pode ser entendido também como da propriedade. Black 46). ?Actor forum rei sequi debet. O autor deve seguir o foro do réu.

627. Actor videtur qui prius ad iudicium provocavit. [Gaio, Digesta 5.1.13] Considera-se autor o que primeiro apelou em juízo. VIDE: ?Actor dicitur qui prius ad iudicium provocat.

628. Actor voluntarie agitur, reus autem ex necessitate se defendit. [Jur] O autor aciona voluntariamente, o réu se defende por necessidade.

629. Actore non probante, reus absolvitur. [Jur / Black 46] Se o autor não provar, o réu é absolvido. ?Actore non probante, absolvendus est reus. Se o autor não provar, o réu deve ser absolvido. ?Actore non probante, reus etiamsi nihil probaverit, absolvitur. [Jur] Não provando o autor, o réu é absolvido, mesmo que nada tenha provado.

630. Actori incumbit onus probandi. [Jur / Black 46] Ao autor cabe o ônus da prova. ?Actori incumbit probatio. VIDE: ?Actori onus probandi incumbit.

631. Actori incumbit probatio, et reus in excipiendo fit actor. [Jur] Ao autor cabe a prova, e o réu, alegando exceção, se torna autor.

632. Actori non licet quod reo denegatur. [Jur] Ao autor da ação não é permitido o que é negado ao réu. ?Actori negatur quod reo non conceditur. Nega-se ao autor o que não se concede ao réu.

633. Actori onus probandi incumbit. [Jur] Ao autor cabe o ônus da prova. ?Actori onus probationis incumbit. VIDE: ?Actori incumbit onus probandi.

634. Actori potius credendum est. [Digesta 45.1.83.1] Deve-se antes dar crédito ao autor.

635. Actu vitam metiamur, non tempore. [Sêneca, Epistulae Morales 93.4, adaptado]. Meçamos a vida pelo que fazemos, não pelo tempo que vivemos.

636. Actum agere. Fazer o que já está feito. (=Trabalhar em vão). VIDE: ?Aethiopem dealbas. ?Aquam scindere. ?Scopulis canere.

637. Actum est. [Erasmo, Adagia 1.3.39] Acabou-se. ¦Lá vai tudo quanto Marta fiou. ¦Ao perdido, perder-lhe o sentido. ¦Lá vai o russo e as canastras. ¦A vaca foi para o brejo. VIDE: ?Conclamatum est. ?Cum cane simul et lorum. ?Lorum una cum cane periit. ?Peractum est.

638. Actum est abunde! [Sêneca, Thyestes 104] Basta!

639. Actum est de homine, cum actum est de nomine. O homem está acabado, quando sua fama se perde.

640. Actum est de me! [Plauto, Pseudolus 85] Estou acabado! ?Actum est de nobis! ¦Estamos perdidos!

641. Actum est de republica! O país está perdido! (=O país está em perigo). ¦Estamos perdidos!

642. Actum est de tua salute, ni vigilas. [Manúcio, Adagia 136] Tua segurança se perde, se não ficas atento.

643. Actum ne agas. [Terêncio, Phormio 419; Cícero, Ad Atticum 9.18] Não cuides do que está feito. ¦Não penses mais nisso. ¦É negócio consumado. VIDE: ?Acta ne agamus.

644. Actum nihil dicitur, cum aliquid superest agendum. [Jur] Nada se considera feito, quando resta alguma coisa para fazer. VIDE: ?Actus non dicitur perfectus, quando partim est factus, et partim non.

645. Actum saepe latet, cum res sine teste geruntur; at mens indicio proditur ipsa suo. [Seybold / Bebel, Proverbia Germanica 185] O feito muitas vezes fica oculto, cum as coisas acontecem sem testemunha, mas a intenção se revela por si mesma.

646. Actus a principio nullus nullum producit effectum. [Jur] Um ato nulo desde o princípio não produz nenhum efeito.

647. Actus corruit, omissa forma legis. [Jur] O ato perde o valor, se é omitida a forma legal.

648. Actus curiae. Um ato do senado. Um ato da corte. Um ato do tribunal.

649. Actus curiae neminem gravabit. [Jur / Broom 99] Um ato do tribunal não prejudicará a ninguém.

650. Actus debet semper interpretari, ut aliquid operetur, non ut sit inanis et inutilis. [Jur] O ato deve sempre ser interpretado de modo que produza algum efeito, e não que fique vão e inútil.

651. Actus Dei. [Jur] Ato de Deus. (=Diz-se do acontecimento inevitável, que não pode ser atribuído a ninguém). VIDE: ?Damnum fatale. ?Vis divina. ?Vis maior.

652. Actus Dei nemini est damnosus. [Jur / Black 47] Um ato de Deus não causa dano a ninguém. (=Ninguém é responsável por prejuízos causados por fenômenos naturais.), ?Actus Dei nemini facit iniuriam. [Broom 190]

653. Actus est perfectio potentiae. [Signoriello 34] O ato é a realização da potência.

654. Actus, in dubio, validus interpretari debet. [Jur] O ato, em caso de dúvida, deve ser interpretado como válido.

655. Actus interpretandus est potius ut valeat quam ut pereat. [Jur] O ato deve ser interpretado antes como válido do que como nulo.

656. Actus ipso iure nullus convalescere non potest. [Jur] Um ato nulo de pleno direito não pode ter prosseguimento.

657. Actus iudicialis. [Jur] Um ato do juiz.

658. Actus iudicialis potentior est extraiudiciali. [Jur] O ato judicial pode mais que o extra-judicial.

659. Actus iuridice perfectus. [Jur] Um ato juridicamente perfeito.

660. Actus legis nemini est damnosus. [Jur / Broom 102] O ato da lei não é prejudicial a ninguém. ?Actus legis nemini facit iniuriam. [Broom 103]

661. Actus legitimi non recipiunt modum. [Jur / Black 48] Os atos determinados pelas leis não admitem limitações. ?Actus legitimi conditionem non recipiunt neque diem. [Regulae Iuris Bonifacii VIII 50] Os atos determinados pelas leis não admitem condição nem prazo.

662. Actus legitimus. Um ato legítimo. Um ato imposto pela lei.

663. Actus limitatus limitatum producit effectum. [Jur] O ato limitado produz efeito limitado.

664. Actus me invito factus non est meus actus. [Jur / Black 48] Um ação realizado contra minha vontade não é ato meu.

665. Actus, non a nomine, sed ab effectu iudicatur. [Jur] Julga-se o ato não pelo nome, mas pelo efeito.

666. Actus non dicitur perfectus, quando partim est factus, et partim non. [Jur] O ato não se diz perfeito, quando está em parte feito, em parte não. VIDE: ?Actum nihil dicitur, cum aliquid superest agendum.

667. Actus non facit reum, nisi mens sit rea. [Jur / Broom 256] O ato não torna a pessoa culpada, a não ser que a intenção seja criminosa. VIDE: ?Actio non facit reum, nisi mens sit rea. ?Non est reus nisi mens sit rea.

668. Actus, semel confirmatus, perpetuus est, etiam si causa perficiens cesset. [Jur] O ato, uma vez confirmado, é perpétuo, mesmo que cesse a causa.

669. Actus simulatus nullius est momenti. [Jur] O ato simulado não tem qualquer valor. VIDE: ?Simulata nullius momenti sunt.

670. Actutum fortunae solent mutari; varia vita est. [Plauto, Truculentus 200] A sorte costuma mudar num piscar de olhos; a vida é instável. ¦A fortuna é vária: hoje a favor, amanhã contrária.

671. Acu tangere. [DAPR 163] Tocar com uma agulha. ¦Dar no cravo. ¦Acertar na mosca. VIDE: ?Rem acu tetigisti. ?Tetigisti acu. ?Tetigisti ulcus!

672. Aculeum emittere in aliquem. Cravar uma farpa em alguém. (=Injuriar. Dizer um gracejo ofensivo).

673. Aculei irriti. Farpas que não ferem.

674. Acum in meta faeni quaerere. [Mota 171] ¦Procurar agulha em palheiro.

675. Acuti morbi in quatuordecim diebus iudicantur. [Hipócrates / Rezende 88] As doenças agudas resolvem-se em quatorze dias.

676. Acutiora sunt auri tela quam ferri. [S.Pedro Damião / Bernardes, Nova Floresta 4.293] Mais penetrantes são as lanças de ouro que as de ferro. ¦Para arrombar porta de ferro, não há como chave de prata.

677. Ad absurdum. Até o absurdo. (=Expressão empregada para nomear um raciocínio que demonstra a verdade de uma proposição pela falsidade ou impossibilidade da contrária).

678. Ad abundantiorem cautelam. [Jur / Black 48] Para mais abundante cautela.

679. Ad accusandum. [Jur] Para acusar.

680. Ad adiuvandum. Para ajudar.

681. Ad aegrotos aegrotus veni. [Schottus, Adagia 66] Apresentei-me aos doentes como se eu fosse um doente. ¦Entre romanos, romano como eles. VIDE: ?Ad imbecillos debilis me contuli. ?Ad imbecillos imbecillus advenis. ?Factus sum infirmis infirmus, ut infirmos lucrifacerem. ?In debiles debilis incidit.

682. Ad aeternam rei memoriam. [Codex Iustiniani 6.23.29.4] Para eterna recordação do fato. VIDE: ?Ad perpetuam rei memoriam. ?In perpetuam rei memoriam.

683. Ad aeternum. Para sempre. VIDE: ?Ad saeculum. ?Ad saecula saeculorum. ?In aeternum. ?In saecula saeculorum. ?In saecula. ?In saeculum saeculi. ?In saeculum. ?In sempiterna saecula. ?Per omne saeculum.?Per omnia saecula saeculorum. ?Usque ad aeternum.

684. Ad agnatos et gentiles deducendus est. [Varrão, De Re Rustica 1.2] Deve ser conduzido aos parentes e conterrâneos. (=Está louco).

685. Ad alium examen. [Jur / Black 48] Para outro exame. Para ser examinado em outra jurisdição.

686. Ad alium diem. [Jur / Black 48] Para outro dia.

687. Ad alta virtute. [Divisa] Ao alto levado pela coragem.

688. Ad altare nihil opus consilio. [Apostólio 2.77] De nada serve decisão diante do altar. (=Quem vai fazer uma oferenda aos deuses providencia com antecedência as coisas que vai usar). ¦Antes de entrar pensa na saída. ¦Antes que te cases, olha o que fazes. VIDE: ?Non apud aram consultandum. ?Non est apud aram consilio locus. ?Non est apud aram consultandum. ?Non oportere in ipso opere, sed ante deliberare, ut qui litare volunt, rei divinae necessaria preparare solent.

689. Ad amicorum convivia tardus accedas, ad calamitates cito. [Quílon / Rezende 90] Aos banquetes dos amigos chegarás devagar, às desgraças chegarás depressa. ?Ad convivia amicorum tardus eas, ad calamitates autem cito.

690. Ad amussim. De acordo com a régua. (=Com exatidão. Com perfeição. Com pontualidade).

691. Ad amussim applica lapidem, non ad lapidem amussim. [Erasmo, Adagia 2.5.36] Coloca a pedra de acordo com a régua e não a régua de acordo com a pedra. VIDE: ?Lapis amussi est applicandus, non amussis ad petram.

692. Ad annum. Dentro de um ano. No fim de um ano.

693. Ad aperturam libri. Ao abrir-se o livro. Abrindo-se o livro ao acaso. VIDE: ?Aperto libro.

694. Ad appellandum. [Jur] Para apelar.

695. Ad aquam. À beira-mar.

696. Ad aram confugere. [Jur] Refugiar-se junto ao altar. (=Os templos eram lugar de asilo).

697. Ad arbitrium. À sua vontade. A seu bel-prazer. À discrição. Arbitrariamente. ?Ad arbitrium tuum. À tua escolha. Como quiseres. VIDE: ?Ad voluntatem. ?Ad votum. ?Arbitratu meo.

698. Ad arbitrium auctoritatis. Ao arbítrio da autoridade. VIDE: ?Ad nutum.

699. Ad arbitrium principis. Ao arbítrio do príncipe.

700. Ad argumentandum. [Cícero, De Inventione 1.79] Para argumentar. ?Ad argumentandum tantum. Apenas para argumentar.

701. Ad arma vocare. Convocar a tropa para a batalha.

702. Ad astra. Às estrelas. (=A uma posição elevada).

703. Ad astra doloribus itur. [Prudêncio, Cathemerinon 10.92] É com sofrimento que se chega às estrelas. ¦Nenhum caminho de rosas conduz à glória.

704. Ad astra per aspera. [Divisa de Kansas, EUA] (Chega-se) aos astros por caminhos difíceis. ¦Não é fácil o caminho do céu. ¦Para o céu não se vai de carruagem. ?Ad astra per ardua. VIDE: ?Ad summa per ardua. ?Per ardua ad astra. ?Per aspera ad astra. ?Sic itur ad astra.

705. Ad auctorem redit sceleris coacti culpa. [Sêneca, Troades 871] A responsabilidade do crime recai sobre seu instigador.

706. Ad audiendam considerationem curiae. [Jur / Black 48] Para ser ouvido o pronunciamento da corte.

707. Ad audiendum verbum. [Vulgata, Eclesiástico 5.13] Para ouvir a palavra.

708. Ad augusta per angusta. [Divisa / Rezende 96; Víctor Hugo, Hernani, ato 4] (Chega-se) aos cumes por caminhos estreitos. Por caminhos estreitos (chega-se) ao triunfo. ¦Não se vence perigo sem perigo. VIDE: ?Per angusta ad augusta.

709. Ad auxilium Dei tuo etiam opus est labore. [Bebel, Adagia Germanica] Para teres o auxílio de Deus também é necessário o teu trabalho. ¦A Deus rogando e com o maço dando. ¦Põe tu a mão, e Deus te ajudará. VIDE: ?Laborantes Deus adiuvat

710. Ad beneplacitum. A gosto. Com permissão. ?Ad beneplacitum tuum. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 1.16.2] Ao teu jeito. A teu talante.

711. Ad bestias. (Condenação) às feras. (=Condenação a lutar com feras na arena). ?Ad bestias! (Atirem-nos) às feras! VIDE: ?Christianos ad leones!

712. Ad breve tempus. [Cícero, De Finibus 2.93] Por pouco tempo. Por um tempo curto. ?Ad breve.

713. Ad calamitatem quilibet rumor valet. [Publílio Siro] Qualquer boato é capaz de causar uma calamidade.

714. Ad calendas Graecas. Nas calendas gregas. (=Expressão usada para designar um prazo que nunca se há de cumprir. As calendas eram o primeiro dia do mês no calendário romano; o mês grego não tinha calendas. Adiar qualquer coisa para as calendas gregas significa que nunca será realizada). ¦No dia de São Nunca. ¦No dia de São Nunca, à tarde. ¦Quando a galinha criar dentes. ¦Quando a vaca tossir. ?Ad calendas Graecas soluturus. [Suetônio, Augustus 87.1] Vou pagar nas calendas gregas. ¦Vou pagar no dia de São Nunca. VIDE: ?Ad Graecas calendas. ?Cum mula peperit. ?Cum muli pariunt. ?Mula ubi pepererit.

715. Ad captandum. Para capturar. Para cativar. Para agradar. ?Ad captandum vulgus. [Rezende 97] Para cativar o vulgo. (=Para atrair a multidão. Para obter o favor do povo. Para seduzir o povo). VIDE: ?Argumentum ad captandum vulgus. ?Argumentum ad captandum.

716. Ad captum vulgi. De acordo com o entendimento do povo.

717. Ad casus dubios. [Horácio, Sermones 2.1.108] Nas situações adversas.

718. Ad causam. [Jur] Para esta causa.

719. Ad causam pertinens. [Quintiliano, Institutio Oratoria 7.3] Relativo a esta causa.

720. Ad cautelam. Por precaução. Por segurança.

721. Ad cineres usque. Até as cinzas. Até a morte.

722. Ad clerum. Ao clero.

723. Ad coetum geniti sumus. [Sêneca, De Ira 2.31.7] Nascemos para a união. ?Ad coetum nati sumus. [DAPR 809]

724. Ad cogitandum et agendum homo natus est. O homem nasceu para pensar e realizar.

725. Ad commodum studiosorum. [Paulo Manúcio, Epistulae 1.7] Para proveito dos estudiosos. Como auxílio aos estudiosos.

726. Ad commodum suum quisquis callidus est. [Rezende 98] ¦Cada qual sabe para seu proveito. ¦Cada um acode onde mais lhe dói. ¦Cada um sabe onde lhe aperta o sapato. VIDE: ?Ad suum quaestum quisque callidus est. ?Ad suum quemque quaestum aequum est esse callidum.

727. Ad conclusum. [Jur] Para concluir. Em resumo.

728. Ad consilium ne accesseris, antequam voceris. [Erasmo, Adagia 1.2.90] Não irás à reunião antes de seres chamado. ¦A boda e batizado não vás, sem seres chamado. ¦Não te metas onde não és chamado. VIDE: ?Alterius festum solum invitatus adibis. ?Antequam voceris, ad consilium ne accesseris. ?Antequam voceris, ne accesseris. ?Consilium ne adeas invocatus. ?Haud advocatus ne ad consilium accesseris.

729. Ad consulatum a caliga perductus. [Sêneca, De Beneficiis 5.16.2] De simples soldado foi elevado ao consulado.

730. Ad corpus. [Jur] Pelo corpo. (=Por inteiro. Assim como está). VIDE: ?Ad mensuram.

731. Ad cuius veniat scit cattus lingere barbam. [Stevenson 298] O gato sabe de quem é a barba que vai lamber. ¦Bem sabe o gato cujas barbas lambe. ¦O porco sabe o pau em que se coça. VIDE: ?Scit bene qua prudens valle moretur aper.

732. Ad damnum adderetur iniuria. [Rezende 101] Ao dano se juntará o insulto. ¦Além de queda, coice.

733. Ad defendendum caput proprium. Para defender a própria vida.

734. Ad defensionem. Para defesa.

735. Ad Deum refugium. [Divisa] Meu refúgio é junto a Deus.

736. Ad dexteram. À direita. ?Ad dextram.

737. Ad diem (constitutam). [Jur] No dia aprazado.

738. Ad diem pecuniam solvere. Pagar a dívida no vencimento. ?Ad diem pecunia non soluta. [Digesta 18.1.6.1] Dívida não paga no vencimento.

739. Ad dies vitae. Pelos dias de sua vida. Por toda sua vida. Enquanto viver.

740. Ad digituli crepitum. [Erasmo, Adagia 2.7.99] Ao estalar dos dedos.

741. Ad discendum nulla aetas sera. Nenhuma idade é tardia para aprender. ¦Nunca é tarde para aprender. ?Ad discendum quod opus est, nulla mihi aetas sera videri potest. [S.Agostinho, Epistulae 1.66] Para aprender o que é preciso, para mim nenhuma idade pode ser considerada tardia. VIDE: ?Discendum quamdiu vivas. ?Etiam seni est discendum. ?Quamvis pulchrius sit senem docere quam discere, mihi tamen nulla aetas sera est ad discendum. ?Tamdiu discendum est, quamdiu vivas. ?Tamdiu discendum, quamdiu vivitur.

742. Ad divina migravit. Migrou para os deuses. (=Morreu). VIDE: ?Abiit ad maiores. ?Abiit ad plures. ?Abiit e vita. ?Abiit e medio. ?Ad manes abiit. ?Ad patres abiit. ?Animam Deo reddidit. ?Migravit ad Dominum. ?Migravit ad regna celestia.?Migravit ex vita. ?Migravit in caelum. ?Spiritum Deo reddidit.

743. Ad domum. Em casa. VIDE: ?Domi.

744. Ad duo festinans, neutrum bene peregeris. [Publílio Siro] Correndo a duas coisas, não alcançarás nenhuma. ¦Quem corre a duas lebres não apanha nenhuma. ¦Quem duas lebres caça, uma perde, a outra passa. VIDE: ?Duos insequens lepores, neutrum capit. ?Duos qui sequitur lepores neutrum capit. ?Lepores duos qui insequitur, is neutrum capit. ?Lepores duos insequens neutrum capit. ?Qui binos lepores una sectabitur hora, uno quandoque, quandoque carebit utroque. ?Qui binos lepores una sectabitur hora, non uno saltem, sed saepe carebit utroque. ?Qui duos insectatur lepores, neutrum capit. ?Qui duos lepores sequitur, neutrum capit. ?Qui duos sectatur lepores, neutrum capiet. ?Qui simul duplex captat commodum, utroque frustratur. ?Si binas sectere feras, neutra potieris.

745. Ad ea quae frequentius accidunt leges adaptantur. [Jur / Broom 30] As leis se ajustam às coisas que ocorrem com mais freqüência. ?Ad ea quae frequentius accidunt iura adaptantur. [Black 48] VIDE: ?Ius constitui oportet in his quae ut plurimum accidunt, non quae ex inopinato.

746. Ad effectum. Para efeito.

747. Ad eumdem gradum. No mesmo grau.

748. Ad exemplum. Para exemplo. Por exemplo.

749. Ad exemplum legis. De acordo com o exemplo da lei.

750. Ad exhibendum. [Jur] Para exibir.

751. Ad eximendam periculo civitatem. [Amiano Marcelino, Historiae 14.2.20] Para livrar do perigo a cidade.

752. Ad eximendum tempus. Para ganhar tempo.

753. Ad experimentum. Para um experimento.

754. Ad exquirendas dilationes. [VES 17] Para ganhar tempo.

755. Ad extra. Para fora. Por fora. Exteriormente.

756. Ad extrema perventum est. [Quinto Cúrcio, Historiae 4.14] Chegou-se à situação extrema.

757. Ad extremos morbos, extrema remedia exquisite optima. [Hipócrates] Para males extremos são muito bons os remédios extremos. ¦A grandes males, grandes remédios. ?Ad extremos morbos exacte extremae curationes optimae sunt.

758. Ad extremum. No fim. Até o fim. Até o final. Finalmente. Totalmente. VIDE: ?Ad finem.

759. Ad extremum casum. Em caso extremo.

760. Ad extremum virium. Até o limite das forças. No limite das forças. ?Ad extremum viris. Até o limite de (nossa) força.

761. Ad fastigium. Até enjoar. Até a saciedade. Até ficar farto. VIDE: ?Ad nauseam. ?Ad satietatem. ?Ad satietatem usque. ?Usque ad fastigium. ?Usque ad nauseam. ?Usque ad satietatem.

762. Ad felicem inflectere parietem. [Erasmo, Adagia 1.3.16] Encostar-se na parede favorável. ¦Seguir o bem parado. ¦Encostar-se ao bem parado. ¦Ter as costas quentes.

763. Ad feminam. [Walter Scott / Pierre Larousse 11] Contra a mulher. VIDE: ?Ad hominem.

764. Ad fidem. Com lealdade. Por lealdade.

765. Ad finem. Até o fim. Sem interrupção. No fim. Perto do fim. VIDE: ?Ad extremum. ?Usque ad finem.

766. Ad finem fidelis. [Divisa] Fiel até o fim.

767. Ad finem lucis ab ortu. [Ovídio, Metamorphoses 15.619] Do nascer do sol ao ocaso. VIDE: ?A lucis ortu ad usque diei finem. ?A sole ortu usque diei ultimum. ?A solis ortu usque ad occasum. ?Ab orto sole usque ad diei finem. ?Ab ortu lucis ad umbram. ?Ab ortu solis usque ad occasum.

768. Ad finem fidelis. [Divisa] Fiel até o fim.

769. Ad finem ubi perveneris, ne velis reverti. [Erasmo, Chiliades 30] Quando chegares ao extremo, não queiras recuar. ¦À morte o remédio é abrir a boca. ?Ad finem progressis non est redeundum. [Apostólio 12.87] Os que chegaram ao fim não devem recuar.

770. Ad fontes. De volta às fontes. De volta às origens.

771. Ad fores fortuna venit cui propitia est. [DAPR 242] A sorte vem à porta de quem ela quer favorecer. ¦Vem a ventura a quem ela procura.

772. Ad fractam canis. [Suidas / Manúcio, Adagia 258] Tocas com cítara desafinada. (=Trabalhas em vão). ¦Cantas fora do tom.

773. Ad futuram memoriam. Para a lembrança da posteridade. Para registro. ?Ad futuram memoriam et comprobationem. Para registro e comprovação. ?Ad futuram memoriam et probationem.

774. Ad galli cantum. [Branco 187] Ao cantar do galo. Ao amanhecer. Ao romper do dia. VIDE: ?Prima luce.

775. Ad gloriam. Pela glória. (=Sem proveito material. Gratuitamente). VIDE: ?Ad honorem. ?Ad honores.

776. Ad Graecas calendas. [Manúcio, Adagia 229] Nas calendas gregas. (=Nunca). ¦No dia de São Nunca. ¦No dia de São Nunca, à tarde. ¦Quando a galinha criar dentes. ¦Quando a vaca tossir. ?Ad Graecas, bone rex, fiant mandata calendas! [Rainha Elizabete I, da Inglaterra, ao rei da Espanha] Tuas ordens, bom rei, serão cumpridas nas calendas gregas! VIDE: ?Ad calendas Graecas. ?Cum mula peperit.

777. Ad gustum. [Sêneca, De Clementia 1.6] A gosto.

778. Ad haec. Diante disso. Além disso.

779. Ad haec quis non trepidat? Diante disso quem não treme?

780. Ad hanc diem. Até este dia. Até hoje. VIDE: ?Ad hoc tempus.

781. Ad Herculis columnas. [Erasmo, Adagia 3.5.24] Até as colunas de Hércules. (=As colunas de Hércules eram consideradas o ponto extremo do mundo. A expressão colunas de Hércules é usada para designar o extremo limite a que se pode chegar numa arte, numa ciência, etc). ¦Até aqui pude chegar. ?Ad Herculis columnas navigavit. [Pereira 100] Navegou até as colunas de Hércules. ¦Correu Seca e Meca e olivais de Santarém. VIDE: ?Ne plus ultra.

782. Ad Herculis columnas te sequar. [Pereira 107] Seguir-te-ei até as colunas de Hércules. ¦Seguir-te-ei até ao cabo do mundo. VIDE: ?Megaram usque tecum navigabo.

783. Ad hoc. Para isto. Para este caso específico. Para este fim específico. ?Ad hoc constitutum. Constituído para esta finalidade específica. ?Ad hoc delegatus. Delegado para esta finalidade específica.

784. Ad hoc tempus. Até este momento. Até hoje. VIDE: ?Ad hanc diem.

785. Ad hominem. (Dirigido) ao homem. Pessoal. VIDE: ?Argumentum ad hominem.

786. Ad honesta vadenti contemnendus est ipse contemptus. [Sêneca, Epistulae Morales 76.4] Para quem caminha para objetivos respeitáveis, o próprio desprezo deve ser desprezado.

787. Ad honorem. Para honra. Por honra. (=A título honorário. Sem remuneração). ?Ad honores. VIDE: ?Ad gloriam.

788. Ad horam compositam. À hora convencionada.

789. Ad hunc diem. [Jur / Black 49] Para este dia.

790. Ad hunc modum. [Gaio 4.16] Do seguinte modo. Dessa maneira. Assim.

791. Ad id. Até esse dia.

792. Ad idem. Ao mesmo ponto.

793. Ad ima. Até o fim.

794. Ad imbecillos debilis me contuli. [Schottus, Adagia 609] Apresentei-me aos doentes como se eu fosse um doente. ¦Entre romanos, romano como eles. ¦Romano em Roma, francês com os franceses. ?Ad imbecillos imbecillus advenis. [Apostólio 7.54] Aos doentes, tu te apresentas como doente. VIDE: ?Ad aegrotos aegrotus veni. ?Factus sum infirmis infirmus, ut infirmos lucrifacerem. ?In debiles debilis incidit.

795. Ad immortalitatem. [Divisa da Academia Brasileira de Letras] Para a imortalidade.

796. Ad impossibile nemo obligatur. [Jur] ¦Ninguém é obrigado a fazer o impossível. ¦Quem promete o que não pode a cumprir não está obrigado. ?Ad impossibile nemo tenetur. [Maloux 421] ?Ad impossibilia nemo tenetur. [Mota 139] VIDE: ?Impossibilium nulla obligatio est. ?Impotentia excusat legem. ?Lex non cogit ad impossibilia. ?Lex neminem cogit ad impossibile. ?Lex neminem cogit ad impossibilia. ?Lex non cogit ad impossibilia. ?Nemo ad impossibile tenetur. ?Nemo ad impossibilia tenetur. ?Nemo potest ad impossibile obligari. ?Nemo tenetur ad impossibilia. ?Obligatio impossibilium nulla est. ?Ultra posse nemo obligatur. ?Ultra posse suum nullum lex iusta cöegit. ?Ultra posse suum profecto nemo tenetur. ?Ultra vires nemo tenetur.

797. Ad imum. Até o fim. Em suma.

798. Ad incitas redactus est. [Plauto, Trinummus 537] Foi levado para a última fila. ¦Está num beco-sem-saída.

799. Ad infinitum. Até o infinito. (=Indefinidamente. Sem fim. Sem limite. Para sempre).

800. Ad initium. No começo. Para o começo.

801. Ad inopiam redactum esse. [Sêneca, Epistulae Morales 1.4] Ser reduzido à pobreza.

802. Ad inquirendum. [Jur / Black 49] Para ser feito um inquérito.

803. Ad instantiam partis. [Jur] Por insistência da parte. A pedido da parte.

804. Ad instantiam promotoris iustitiae. [Jur] A pedido do promotor de justiça.

805. Ad instar. À semelhança de. À maneira de. À guisa de. ?Ad instar omnium. À maneira de todos. Como todos.

806. Ad integrum. Inteiramente.

807. Ad interim. Nesse meio tempo. Enquanto isso. Provisoriamente. Temporariamente. Interinamente.

808. Ad internecionem. Até a completa destruição. Até o extermínio.

809. Ad intra. Por dentro. Interiormente.

810. Ad introitum. Para começo. Como introdução.

811. Ad invitas. Contra a vontade.

812. Ad iudicem. Na presença do juiz.

813. Ad iudicem dicere. [Rezende 119] Falar perante o juiz.

814. Ad iudicia. [Jur] Para fins judiciais. Para uso forense. ?Ad iudicium.

815. Ad iudicia et extra. [Jur] Para fins judiciais ou extrajudiciais.

816. Ad iudicium provocare. [Digesta 5.1.13; 5.1.14] Começar uma ação judicial.

817. Ad iura renuntiata non datur regressus. [Jur] Não se permite regresso a direitos renunciados.

818. Ad iuvandam memoriam. Para ajudar a recordação. Para registro.

819. Ad kalendas Graecas. VIDE: ?Ad calendas Graecas.

820. Ad laevam. [Plauto, Miles Gloriosus 360] À esquerda. VIDE: ?Ad sinistram.

821. Ad laudes et per horas. [DAPR 722] Continuamente. Freqüentemente.

822. Ad libitum. À vontade. A seu bel-prazer. A gosto. Como melhor pareça. Como quiser. Segundo o agrado de cada um. ?Ad libita. VIDE: ?Quantum placet. ?Quantum vis. ?Quantumvis.

823. Ad libitum mugit canis et mulier lacrimatur. Pro planctu tali sapiens non moveatur. Uiva o cão e chora a mulher quando querem. Por esse pranto o homem ajuizado não se deve comover.

824. Ad limina apostolorum. [Da linguagem eclesiástica] À porta dos apóstolos. (=Em Roma. Na Santa Sé). ?Ad limina. VIDE: ?Visitatio ad limina.

825. Ad litem. [Jur / Black 50] Para este processo. Relativamente ao litígio.

826. Ad litteram. À letra. Ao pé da letra. Literalmente. Exatamente. Fielmente. ?Ad litteram et verbum. De acordo com a letra e a palavra. ?Ad litteras et verba. De acordo com as letras e as palavras.

827. Ad locum. No lugar. Para o lugar. Sem demora.

828. Ad locum unde exeunt flumina revertuntur ut iterum fluant. [Vulgata, Eclesiastes 1.7] Os rios voltam ao mesmo lugar donde saíram, para tornarem a correr. VIDE: ?Adversus fontes fluunt amnes. ?Sursum versus fluminum feruntur fontes.

829. Ad lucem. Para a luz.

830. Ad lucernae lumen ne te speculo contempleris. [Grynaeus 773] Não te contemples no espelho à luz da lanterna. ¦Quem só vê de noite, mente de dia. ¦À noite todos os gatos são pardos.

831. Ad lucrandum vel perdendum. [Jur / Black 50] Para ganhar ou perder.

832. Ad magistri vocem quisque sui venit citatus. [Marcial, Epigrammata 4.30.5] Todos vêm, quando são chamados pela voz do mestre.

833. Ad magna gaudia perveniri non potest, nisi per magnos labores. [S.Beda, Proverbiorum Liber] Só se pode chegar a grandes prazeres através de grandes penas. ¦Não há prazer sem trabalho. ¦Não há obra-prima sem suor.

834. Ad maiora! Ao sucesso!

835. Ad maiora nati sumus. Nascemos para as coisas mais elevadas. ?Ad maiora natus. Nascido para as coisas mais elevadas. ?Ad maiora nati. Nascidos para as coisas mais elevadas.

836. Ad maiora tulit te virtus. A coragem te conduziu aos grandes feitos. VIDE: ?Nisi te virtus opera ad maiora tulisset.

837. Ad maiora veniamus. Passemos a questões mais importantes. VIDE: ?Sed nimis multa de nugis; ad maiora veniamus.

838. Ad maiorem cautelam. [Jur / Black 50] Para maior segurança.

839. Ad maiorem Dei gloriam. [Papa Gregório Magno, Dialogi 1.2 / Divisa da Companhia de Jesus] Para a maior glória de Deus. ?Ad maiorem regis gloriam. [Pierre Larousse 14] Para a maior glória do rei. ?Ad maiorem rei litterarum gloriam. [Voltaire / Pierre Larousse 15] Para a maior glória da literatura. VIDE: ?In maiorem Dei gloriam. ?Omnia ad Dei gloriam.

840. Ad maiorem Regis gloriam. [Divisa] Para a maior glória do Rei.

841. Ad mala facta malus socius socium trahit. [Binder, Thesaurus 57] O mau companheiro arrasta o companheiro a ações más. ¦Dize-me com quem andas, dir-te-ei as manhas que tens. ¦Quem com porcos anda, aprende a grunhir.

842. Ad mala quisque animum referat sua. [Ovídio, Remedia Amoris 559] Cada um ocupe sua cabeça com os próprios males.

843. Ad malum malae res plurimae se agglutinant. [Plauto, Aulularia 800] A um mal se juntam muitos males. ¦Uma desgraça nunca vem só.

844. Ad manes abiit. [Ausônio, Epitaphia 29] Foi (juntar-se) às almas. (=Morreu). VIDE: ?Abiit ad plures. ?Abiit e vita. ?Abiit e medio. ?Ad divina migravit. ?Ad patres abiit. ?Animam Deo reddidit. ?Migravit ex vita. ?Migravit in caelum. ?Spiritum Deo reddidit.

845. Ad manum. À mão. (=Pronto para ser usado).

846. Ad mare declivus omnis currit cito rivus. Todo rio que desce corre rápido para o mar. ¦Correm os rios para o mar, e cada qual para o seu natural. ¦Correm os ribeiros para os rios, os rios para o mar. VIDE: ?Omnia flumina intrant in mare.

847. Ad marginem. À margem.

848. Ad me nihil communia. [Schottus, Adagia 621] Isso não tem nada a ver comigo. ¦Isso nem me aquenta, nem me arrefenta.

849. Ad me redeo. Retorno a mim mesmo. (=Trato do meu e deixo o alheio). VIDE: ?Nunc ad me redeo.

850. Ad mediam noctem. [César, De Bello Gallico 5.31] Até a meia-noite. À meia-noite.

851. Ad meliora. [Emblema] Às coisas melhores.

852. Ad meliora tempora. Para tempos melhores. Até tempos melhores.

853. Ad meliora vertamur. Voltemo-nos a coisas melhores.

854. Ad mensuram. [Jur] Por medida. De acordo com a medida. (=Preço por unidade). VIDE: ?Ad corpus.

855. Ad mensuram aquam bibit; citra mensuram panem comedit. [Pereira 96] Mede a água que bebe, mas não mede o pão que come. ¦Aproveita o farelo e desperdiça a farinha. ¦Quebra a louça e guarda os palitos. ?Ad mensuram aquam bibunt, citra mensuram offam comedentes. [Zenódoto / Erasmo, Adagia 2.5.27] Comem o pão sem medir, medem a água que bebem. VIDE: ?Congregas folia, fructus vero dissipas. ?Haurit aquam metro, capit immoderatus offam. ?Lege bibunt undam, comedunt sine lege placentam. ?Mensura aquam bibentes, citra mensuram mazam edentes. ?Potat aquam metro, sed edit mazam sine metro.

856. Ad meridiem. Ao meio-dia.

857. Ad metalla. (Condenação) às minas. (=Condenação a trabalhos forçados).

858. Ad minus sustine patienter, si non potes gaudenter. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 4.57.11] Ao menos suporta com paciência, se não podes suportar com prazer.

859. Ad misericordiam. Por compaixão.

860. Ad modum. Segundo o modo. Conforme o uso. Dentro dos limites.

861. Ad modum redituum vive. Vive dentro dos limites de teus proventos. ¦Não estendas as pernas além do cobertor. ¦Viver de crédito, pagar dobrado.

862. Ad molam primo qui venit, non molet imo. [Binder, Thesaurus 58] O que chega primeiro ao moinho, não será o último a moer. ¦Quem primeiro vem, primeiro mói. ¦Quem chega primeiro, é servido primeiro. VIDE: ?Ante molam primus qui venit, non molat imus. ?Prior in tempore, potior in iure.

863. Ad montes oculos levavi. [Divisa] Elevei meus olhos para os montes.

864. Ad mores natura recurrit. [Juvenal, Satira 13.239] A natureza retorna aos seus costumes. ¦Cada qual conforme o seu natural. ¦Tudo quer o que é seu. VIDE: ?Lupus pilum mutat, non mores. ?Naturam expellas furca, tamen usque recurret.

865. Ad multos annos. [Rezende 131] Por muitos anos. (=Usado como fórmula congratulatória) ¦Que tenha muitos anos de vida! ?Ad multos et faustissimos annos. Por muitos e muito afortunados anos.

866. Ad mundum meliorem. [Divisa] Para um mundo melhor.

867. Ad naturam. Conforme a natureza. Naturalmente. Sem artifício.

868. Ad nauseam. Até enjoar. À saciedade. ?Ad nauseam usque. VIDE: ?Ad fastigium. ?Ad satietatem. ?Ad satietatem usque. ?Usque ad fastigium. ?Usque ad nauseam. ?Usque ad satietatem.

869. Ad necessitatem. Por necessidade.

870. Ad negotia. [Jur] Para fins de negócio. Para uso comercial.

871. Ad nihilum recidunt omnia. Tudo volta a ser nada. Tudo acaba em nada.

872. Ad nihilum venire. Não dar em nada. ¦Dar em água de barrela.

873. Ad nocendum potentes sumus. [Sêneca, De Ira 1.3.2] Para fazer mal todos somos poderosos.

874. Ad normam. Segundo a norma. Segundo o prescrito.

875. Ad nostram consuetudinem. Conforme o nosso costume.

876. Ad nova omnes concurrunt. [Binder, Thesaurus 60]. Todos correm para as coisas novas. ¦Do que é novo gosta o povo. ¦O desconhecido sempre parece sublime. ?Ad nova homines concurrunt, ad nota non veniunt. [Sêneca Retórico, Controversiae 4.1] Os homens se atiram à novidade, mas não se interessam pelo que já conhecem. VIDE: ?Est natura hominum novitatis avida. ?Est nova res grata: vilescit res inveterata. ?Est quoque cunctarum novitas carissima rerum. ?Grata rerum novitas. ?Grata novitas. ?Nova placent. ?Omne novum carum, vilescit cotidianum.

877. Ad novercae tumulum fletus. [Pereira 109] Choro à beira do túmulo da madrasta. ¦Lágrimas nos olhos, risos no coração. ?Ad novercae ploras tumulum. [Schottus, Adagia 305] Choras junto ao túmulo da madrasta. ?Ad novercae tumulum fles. ?Ad novercae tumulum lacrimari. [Manúcio, Adagia 370] Chorar junto ao túmulo da madrasta. ?Ad novercae sepulcrum flere. VIDE: ?Ad sepulchrum novercae plorat. ?Flere ad novercae tumulum. ?Ille flet ad novercae tumulum. ?Novercae ad tumulum plorare.

878. Ad nullam rem utilis. [Cícero, De Officiis 3.29] (Que) não serve para nada.

879. Ad nummum. [Cícero, Ad Atticum 5.21.12] Até a última moeda. ¦Até o último ceitil. ¦Até o último vintém.

880. Ad nutum. A um sinal de cabeça. A um aceno. (=À discrição da autoridade. Funcionários demissíveis ad nutum são os que podem ser dispensados do serviço a qualquer momento). VIDE: ?Ad arbitrium auctoritatis.

881. Ad nutum legislatoris. De acordo com a vontade do legislador.

882. Ad occasum tendimus omnes. [Inscrição em quadrante solar] Todos caminhamos para o ocaso.

883. Ad omne opus bonum inchoandum et perficiendum. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 1.25.11] Para encetar e executar toda boa obra.

884. Ad omne opus bonum instructus. [Vulgata, 2Timóteo 3.17] Instruído para toda boa obra.

885. Ad omnes homines ac nationes. Para todos os homens e povos.

886. Ad omnia trepidat, licet vel mus movet. [Schottus, Adagia 617] Treme diante de tudo, até mesmo se um rato se mexe. ¦Tem medo à própria sombra. VIDE: ?Muscas metuit praetervolantes. ?Vel muscas metuit praetervolitantes.

887. Ad opus manum admovendo fortunam invoca. [Apostólio 17.90] Ao mover tua mão para o trabalho, então invoca a sorte. ¦Deus ajuda a quem se ajuda. ¦A Deus rogando e com o maço dando. ¦Põe tu a mão, e Deus te ajudará. VIDE: ?Adesse gaudet, sed laboranti, Deus. ?Cum Minerva et manum move. ?Cum Minerva manus etiam move. ?Cum Minerva manum quoque move. ?Di facientes adiuvant. ?Deus facientes adiuvat. ?Deus laborantibus opem fert prospere. ?Deus laborantes ope adiuvat sua. ?Fac aliquid ipse, deinde Numen invoca. ?Fac interim aliquid ipse, dein deos voca. ?Facientes Deus adiuvat. ?Huic qui laborat, Numen adesse assolet. ?Manum admoventem Deum quemvis invocare debere. ?Manum admoventi fortuna est imploranda. ?Manum admoventi fortuna est invocanda. ?Manum admoventi sunt vocanda numina. ?Minerva auxiliante, manum etiam admove. ?Nulla preces numina flectunt ignavorum. ?Nunc ipse quid peragito, dein deos voca. ?Nunc ipse quid peragito, dein Deum voca. ?Sine opera tua, nihil di facere possunt.

888. Ad ostentationem. Por ostentação. Por vaidade. Por bazófia.

889. Ad ostium ecclesiae. [Jur / Black 50] À porta da igreja.

890. Ad paenitendum properat, cito qui iudicat. [Publílio Siro] Quem julga com precipitação, logo se arrepende. ¦Quem cedo se determina, cedo se arrepende. ¦Antes que conheças, nem louves, nem ofendas. ?Ad paenitendum propera, cito qui iudicas. Apressa-te ao arrependimento, tu que julgas com precipitação. VIDE: ?Audiatur et altera pars.

891. Ad parentes et magistros pertinet puerorum cura. Cabe aos pais e mestres a guarda das crianças.

892. Ad partus ovium noscuntur pondera ventrum. Nos partos das ovelhas é que se conhecem os conteúdos dos ventres. ¦No fim é que se cantam as glórias.

893. Ad patres abiit. Voltou aos antepassados. (=Morreu). ¦Bateu as botas. VIDE: ?Abiit ad maiores. ?Abiit ad plures. ?Abiit e vita. ?Abiit e medio. ?Ad divina migravit. ?Ad manes abiit. ?Animam Deo reddidit. ?Migravit ex vita. ?Migravit in caelum. ?Spiritum Deo reddidit.

894. Ad pedem litterae. [DAPR 766] Ao pé da letra.

895. Ad peiores nuntios subriguntur pili. [Sêneca, De Ira 2.2.1] Com as más notícias os cabelos ficam em pé.

896. Ad perdendum rusticum, nihil rustico aptius. Para destruir um vilão, nada mais adequado que outro vilão. ¦Um cravo com outro se tira. ¦Para vilão, vilão e meio.

897. Ad perditam securim manubrium adicere. [Henderson, Latin Proverbs] Juntar o cabo ao machado perdido. (=Estar desesperado). ¦Além de queda, coice. ¦Foi tudo pro brejo! ?Varam cum vibia proicit.

898. Ad perniciem solet agi sinceritas. [Fedro, Fabulae 4.13.3] A sinceridade costuma levar à ruína. ¦Dizendo-se as verdades, perdem-se as amizades. ¦Mal me querem as comadres, porque lhes digo as verdades.

899. Ad perpetuam rei memoriam. Para eterna recordação do fato. (=Para que produza efeito sempre e a qualquer momento). VIDE: ?Ad aeternam rei memoriam. ?In perpetuam rei memoriam.

900. Ad perpetuum. Para sempre. Definitivamente. VIDE: ?In perpetuum. ?In perpetuum tempore.

901. Ad petendam amicitiam Romanorum. [Frontino, Stratagemata 4, De Iustitia] Para buscar a amizade dos romanos.

902. Ad petendam pacem. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 30.36] Para conseguir a paz.

903. Ad petendam pluviam. Para pedir chuva.

904. Ad petitionem. A pedido.

905. Ad pios usus. [Jur / Black 50] Para usos nobres. Com objetivo nobre. Para caridade.

906. Ad poenam sufficit meditari punienda. [Apuleio, Florida 20] Para ser passível de punição, basta premeditar um ato punível.

907. Ad pompam. Por ostentação. Para ostentação. ?Ad pompam et ostentationem. Para pompa e ostentação.

908. Ad populum phaleras! ego te intus et in cute novi! [Pérsio, Satirae 3.30] Ao povo com esses enfeites! Eu te conheço por dentro e por fora! ¦Vai pregar em outra freguezia! ¦Não me venhas com conversa fiada!

909. Ad posteritatis memoriam. [Cícero, Philippica 5.17] Para a recordação da posteridade.

910. Ad postremum. Finalmente. Por último.

911. Ad praesens hominum crescit sapientia semper. [Aristóteles / Grynaeus 599] Atualmente o conhecimento dos homens cresce continuamente.

912. Ad praesens ova cras pullis sunt meliora. [Rabelais, Gargantua 3.42] É melhor ter ovos agora do que pintos amanhã. ¦Mais vale um ovo hoje que uma galinha amanhã. ¦Antes um pardal na mão que uma perdiz a voar.

913. Ad praeteritum. Para o passado. Retroativo. ?Ad praeteritum tempus.

914. Ad prave agendum parva satis occasio est. [Menandro / Grynaeus 388] Para agir desonestamente basta uma pequena oportunidade. ¦Formiga, quando se quer perder, cria asas. ?Ad prave agendum parvulo praetextu opus. [Schottus, Adagia 617] Para fazer o mal, basta um pequeno pretexto. ?Ad prave agendum parvus satis est praetextus. [Eiselein 330] VIDE: ?Male facere qui vult, nunquam non causam invenit.

915. Ad primos ictus non corruit ardua quercus. [Pereira 96] O forte carvalho não cai aos primeiros golpes. ¦A primeira machadada não derruba o pau. ¦De um só golpe não se derruba um carvalho. ¦A porfia mata a caça. VIDE: ?Arbor non primo ictu, sed saepe cadit feriendo. ?Arbor per primum quaevis non corruit ictum. ?Non annosa uno quercus deciditur ictu. ?Non uno ictu arbor cadit. ?Non uno ictu validam deicies quercum. ?Non semel ascia dat, quercus ut alta cadat.

916. Ad pristina praesaepia rediit miser. [Dumaine 244] O coitado voltou à sua antiga manjedoura.

917. Ad probandum tantum. [Jur] Apenas para provar.

918. Ad probationem. [Jur] Para prova. A título de prova.

919. Ad propositum nunc revertamus. [Sêneca, De Beneficiis 1.14.1] Agora voltemos ao nosso assunto. ?Ad propositum veniamus. Passemos ao que nos interessa. VIDE: ?Nos ad propositum revertamus. ?Nunc ad propositum veniamus.

920. Ad pugnam canere. Dar o toque de atacar. VIDE: ?Conclamare ad arma.

921. Ad pugnandum missus es, non ad nuntia ferenda. [Apostólio 12.44] Foste enviado para lutar, não para levar notícias.

922. Ad purpuram diiudicanda purpura est. [Schottus, Adagia 613] Uma concha só deve ser comparada com outra concha.

923. Ad quaestiones iuris respondeant iudices, ad quaestiones facti respondeant iuratores. [Jur] Às questões de direito respondam os juízes, às questões de fato respondam os jurados. ?Ad quaestiones facti non respondent iudices; ad quaestiones legis non respondent iuratores. [Jur / Broom 82] Os juízes não respondem às questões de fato; os jurados não respondem às questões de direito. ?Ad quaestiones legis iudices, et non iuratores, respondent. [Jur / Black 50] Às questões legais são os juízes que respondem, não os jurados. VIDE: ?De iure iudices, de facto iuratores respondent.

924. Ad quas res aptissimi erimus, in iis potissimum elaborabimus. [Cícero, De Officiis 1.31] Dediquemo-nos de preferência àquelas coisas para as quais tivermos mais aptidão.

925. Ad quem. Até o qual. (=Dia ad quem. Dia em que expira um prazo). VIDE: ?Dies ad quem. ?Dies termini.

926. Ad rationem et loci et temporis. [Plínio Moço, Epistulae 3.18.1] Segundo as regras do lugar e da época.

927. Ad referendum. [Jur] Para a apreciação. Para a homologação. Pendente de aprovação. Sujeito a consulta.

928. Ad rem. À coisa. Para esse objetivo. Relativo à matéria em questão.

929. Ad reparationem et sustentationem. [Jur / Black 51] Para reparar e manter.

930. Ad restim mihi quidem res rediit. [Terêncio, Phormio 686] A questão para mim chegou à corda. (=Só me resta enforcar-me).

931. Ad saeculum. Para sempre. ?Ad saecula saeculorum. VIDE: ?Ad aeternum. ?In aeternum. ?In saecula saeculorum. ?In saecula. ?In saeculum saeculi. ?In saeculum. ?In sempiterna saecula. ?Per omne saeculum. ?Per omnia saecula saeculorum.

932. Ad sanitatem gradus est novisse morbum. [Erasmo, Colloquia 2, Percontandi de Valetudine] Um passo para a cura é conhecer a própria doença.

933. Ad satietatem. [Grynaeus 107] Até a saciedade. Até ficar farto. ?Ad satietatem usque. [Erasmo, Adagia 2.8.73] VIDE: ?Ad fastigium. ?Ad nauseam. ?Usque ad fastigium. ?Usque ad nauseam. ?Usque ad satietatem.

934. Ad scopulum e tranquillo aufert. Da água tranqüila ele te leva para o rochedo.

935. Ad secreta poli curas extendere noli. [Trench, Proverbs 150] Não te preocupes com os segredos dos céus. VIDE: ?Quod est ante pedes, nemo spectat; caeli scrutantur plagas.

936. Ad semen nata respondent. Os frutos correspondem à semente. ¦Tal pai, tal filho. ?Ad semen nata respondent, bona degenerare non possunt. [Sêneca, Epistulae Morales 87.25] Os frutos correspondem à semente; o que é bom não pode degenerar.

937. Ad sensum. Pelo sentido. De acordo com o sentido.

938. Ad sepulchrum novercae plorat. [Apostólio 16.85] Ele chora junto ao túmulo da madrasta. ¦Lágrimas nos olhos, risos no coração. VIDE: ?Ad novercae tumulum fletus. ?Ad novercae ploras tumulum. ?Ad novercae tumulum fles. ?Ad novercae tumulum lacrimari. ?Flere ad novercae tumulum. ?Ille flet ad novercae tumulum. ?Novercae ad tumulum plorare.

939. Ad serviendum venisti, non ad regendum. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 1.17.9] Vieste para servir, não para mandar. VIDE: ?Non ad dominandum, sed ad serviendum.

940. Ad signum. Pelo sinal. Pela marca.

941. Ad similia. Por semelhança. Por analogia.

942. Ad sinistram. À esquerda. VIDE: ?Ad laevam.

943. Ad solemnitatem. [Jur] Para solenidade. Para o cumprimento de uma formalidade.

944. Ad solis occasum. [César, De Bello Gallico 5.8] Ao pôr do sol.

945. Ad solvendum. Para pagar. Para pagamento.

946. Ad sonitum musae ducuntur saepe choreae. [Binder, Thesaurus 66] A dança geralmente segue a música das musas. ¦Temos de dançar conforme a música. ¦Como o vigário entoar, deve o corista cantar.

947. Ad spem. Relativamente ao que se espera.

948. Ad submovendam turbam. [Bacon, Advancement of Learning 2.13.3] Para afastar a multidão.

949. Ad substantiam actus. [Jur] Para a substância do ato. (=Diz-se do instrumento público exigido como formalidade solene).

950. Ad succurrendum pronus esto, ad implorandum tardus. Sê rápido para socorrer, mas lento para pedir.

951. Ad summa nitamur. [Divisa] Busquemos a perfeição.

952. Ad summa per ardua. [Divisa / Rezende 144] A resultados grandiosos com muito trabalho. ¦Não é fácil o caminho do céu. VIDE: ?Ad astra per aspera. ?Ad astra per ardua. ?Per ardua ad astra. ?Per aspera ad astra. ?Sic itur ad astra.

953. Ad summa quisque contendat, sic enim futurum medium ut teneat. [Schottus, Adagia 19] Cada um lute pelo máximo para que assim venha a ter o justo. ¦Pede o máximo para teres o que te baste. ¦Pede o mais, para teres o certo. VIDE: ?Alta pete ut media adsint. ?Iniquum petas, ut aequum feras. ?Iniquum petendum, ut aequum feras. ?Iniquum postula, ut aequum auferas. ?Oportet iniquum petas, ut aequum feras. ?Summa cape, et medio potieris. ?Summum cape, et medium habebis. ?Summum cape et medium tenebis. ?Ut obtineas medium, summum cape.

954. Ad summam. Em resumo. Em uma palavra. Definitivamente.

955. Ad summos ascensus honores. A ascensão às mais altas honras.

956. Ad summos honores alios scientia iuris, alios eloquentia, alios gloria militaris provexit. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 39.40] A uns foi a ciência jurídica, a outros foi a eloqüência, a outros ainda foi a glória militar que conduziu às mais altas honrarias.

957. Ad summos honores perveniunt. [Petrônio, Satiricon 116] Chegam aos mais altos cargos.

958. Ad summum. Ao mais alto ponto. No máximo. Quanto muito.

959. Ad suum quaestum quisque callidus est. [Pereira 99] ¦Cada qual sabe para seu proveito. ¦Cada um sabe onde lhe aperta o sapato. ?Ad suum quemque quaestum aequum est esse callidum. [Plauto, Asinaria 171; Truculentus 396] É justo que cada um seja esperto, quando se trata de seu interesse. VIDE: ?Ad commodum suum quisquis callidus est.

960. Ad te confugio, et supplex tua numina posco. [Virgílio, Eneida 1.666] Recorro a ti e, suplicante, peço tua proteção.

961. Ad tempus. Até certo tempo. Para um tempo determinado. Segundo a ocasião. Segundo a oportunidade. Conforme as circunstâncias.

962. Ad terrae morem vitae decet esse tenorem. [DAPR 337] Convém que a vida acompanhe o costume da terra. ¦Na terra onde fores ter faze como vires fazer. ¦Entre judeus, judeu como eles. ¦Em Roma, como os romanos. ¦Em terra de sapos, de cócoras, como eles. VIDE: ?Vitae decet esse tenorem ad morem terrae.

963. Ad terrorem. Para atemorizar.

964. Ad tristem partem strenua est suspicio. [Publílio Siro] A suspeita espera sempre o pior.

965. Ad ultimum. Por último. No fim.

966. Ad umbilicum adducere. [Horácio, Epodi 14.8] Levar até o final. (=O vocábulo umbilicus, umbigo, era usado também para designar o eixo sobre o qual ficava enrolado o pergaminho manuscrito, e, figuradamente, com o significado de fim). ?Ad umbilicum ducere. [Erasmo, Adagia 1.2.32] ?Ad umbilicum deduxit hoc negotium. Ele completou o negócio.

967. Ad umbram lucis ab ortu. [Horácio, Epistulae 2.2.185] Do nascer do sol ao ocaso. VIDE: ?Ab ortu lucis ad umbram.

968. Ad una. Todos juntos.

969. Ad unguem factum. Feito à unha. (=Feito com esmero. Feito com cuidado. Bem acabado. Perfeito). ?Ad unguem factus homo. [Horácio, Satirae 1.5.32] Um homem polido. Um perfeito cavalheiro. VIDE: ?Homo factus ad unguem.

970. Ad unum (omnes). Até o último. Até o fim. Todos juntos. Todos sem exceção. Unanimemente. ?Ad unum omnes cum ipso duce occisi sunt. [Quinto Cúrcio, Historiae 4.1] Foram mortos todos sem exceção, inclusive o próprio comandante. VIDE: ?Omnes ad unum.

971. Ad usum. Segundo o uso. De acordo com o costume. Para o uso.

972. Ad usum asinorum. Para uso dos burros. (=Para uso dos ignorantes. Para uso dos principiantes). VIDE: ?Pons asinorum.

973. Ad usum Delphini. Para o uso do Delfim. (=1.Delfim, título atribuído aos herdeiros do trono da França. 2.Edição ad usum Delphini. Edição expurgada). VIDE: ?In usum Delphini.

974. Ad usum doctorum. Para uso dos eruditos. ?Ad usum docti. Para uso do erudito.

975. Ad usum fidelium. Para uso dos fiéis.

976. Ad usum forensem. Para uso forense. Segundo o uso forense.

977. Ad usum privatum. Para uso privado.

978. Ad usum proprium. Para o próprio uso.

979. Ad usum publicum. Para uso público.

980. Ad utilitatem vitae omnia consilia factaque nostra dirigenda sunt. [Tácito, De Oratoribus 5] Todas as nossas decisões e ações devem ser dirigidas para o nosso proveito. VIDE: ?Nos ita a maioribus instituti atque imbuti sumus, ut omnia consilia atque facta ad dignitatem et ad virtutem referremus.

981. Ad utrumque paratus. [Divisa da Universidade de Lund, Suécia] Preparado para qualquer das eventualidades. (=Preparado tanto para a sorte favorável, como para a desfavorável. Disposto a tudo). ?Ad utrumvis paratus. [Erasmo, Adagia 3.8.33] VIDE: ?In utrumque paratus.

982. Ad vacuum canis. [Schottus, Adagia 244] Cantas para o vazio. ¦Perdes teu latim. ¦Trabalhas para o bispo.

983. Ad vadimonium venire. [Cícero, Pro Quinctio 5] Comparecer em juízo mediante intimação. ?Ad vadimonium descendere.

984. Ad valorem. Pelo valor. Conforme o valor. Em proporção ao valor.

985. Ad verbum. Palavra por palavra. Ao pé da letra. ?Ad verbum reddere. Traduzir palavra por palavra.

986. Ad verbum vitae, cum dan dan dico, venite! [Inscrição no sino de S.Eustórgio, Milão / Rezende 152] Quando digo dan, dan, vinde ouvir a palavra da vida!

987. Ad vesperum. Ao anoitecer. Até o anoitecer.

988. Ad vesperum demorabitur fletus, et ad matutinum laetitia. [Vulgata, Salmos 29.6] De tarde estaremos em lágrimas, e de manhã em alegria.

989. Ad vicem. À semelhança. À maneira.

990. Ad vim maiorem vel ad casus fortuitos non tenetur quis, nisi sua culpa intervenerit. [Jur / Black 51] Ninguém responde pelos efeitos de uma força maior ou de acidentes, a não ser que sua negligência tenha contribuído.

991. Ad vindictam tardus, ad beneficentiam velox. Sê lento para a vingança e rápido para o benefício.

992. Ad vinum disertus. Eloqüente ao beber vinho. (=Diz-se de pessoa incapaz de cuidar de coisa séria, mas que fala muito sobre inutilidades). ?Ad vinum diserti. [Cícero, Pro Celio 67] Eloqüentes ao beberem vinho. ?Ad vinum diserti sunt, ad aquam fere muti sunt. [Manúcio, Adagia 1191] Com vinho são faladores, com água são quase mudos. VIDE: ?Fecundi calices quem non fecere disertum?

993. Ad virtutem una ardua via est. [Salústio, Epistulae ad Caesarem 1.7] Para a virtude há somente um caminho difícil.

994. Ad vitam. Para a vida. Para toda a vida. Vitalício.

995. Ad vitam aeternam. Para a vida eterna.

996. Ad vitam aut culpam. [Jur / Black 51] Enquanto viver ou até cometer uma falta. (=Enquanto viver e tiver bom comportamento). VIDE: ?Dum bene se gesserit. ?Quamdiu se bene gesserit.

997. Ad vocem. Por falar nisso. A propósito.

998. Ad voluntatem. À sua vontade. A seu bel-prazer. ?Ad votum. VIDE: ?Ad arbitrium.

999. Ad voluntatem domini. [Jur / Black 51] À vontade do dono.

1000. Ad voluptatem. Para o prazer.

1001. Adactum iusiurandum. [Manúcio, Adagia 819] Juramento forçado.

1002. Adam fodiente, quis nobilior, Eva nente? [Binder, Thesaurus 70] Quando Adão cavava e Eva fiava, quem era mais nobre? ¦Quando Adão cavava e Eva fiava, a fidalguia onde estava? ¦Nobre sou – ai não! – pela costela de Adão. VIDE: ?Dum Adam agrum coleret et Eva neret, quis tunc nobilis?

1003. Adamante durior. [Erasmo, Colloquia 18] Mais duro que diamante.

1004. Adamante notare. [Manúcio, Adagia 1389] Registrar com diamante. (=Registrar coisas que merecem ser eternamente lembradas).

1005. Adamantinus homo. [Pereira 107] Um homem duro como o diamante. (=Um homem incansável. Um homem inexorável).

1006. Addatur. Junte-se. Acrescente-se.

1007. Adde parvum parvo, magnus acervus erit. [DAPR 457] Junta o pequeno ao pequeno e haverá uma grande quantidade. ¦Um pouco, repetido, faz muito. ¦De grão em grão, a galinha enche o papo. ¦De muitos poucos se faz um muito. ¦Junta palha como ouro, e terás ouro como palha. ?Adde parum parvo, magnus acervus erit. Junta o pouco ao pouco, e logo haverá grande acervo. ?Adde parum parvo, modicum superadde pusillo, tempore sic parvo magnus acervus erit. [Binder, Thesaurus 72] Junta um pouco ao pouco, acrescenta um pouco ao pequeno, assim em pouco tempo haverá uma grande quantidade. VIDE: ?De minimis granis fit magnus acervus.

1008. Adde quod ingenuas didicisse fideliter artes emollit mores nec sinit esse feros. [Ovídio, Ex Ponto 2.9.47] Acrescenta que o fato de terem aprendido fielmente as belas letras suaviza os seus costumes e não permite que sejam selvagens.

1009. Adde rotas vetulo leviores usque caballo. [Apostólio 10.51] Ao cavalo velho, dá-lhe carroça menor. ¦A rês velha, aliviar-lhe a carga. VIDE: ?Cum senio est confectus equus, da cycla minora. ?Equo senescenti minora cycla admove. ?Nempe senescenti leviora impone caballo. ?Senibus labores corporis sunt minuendi. ?Trade senescenti iam cycla minora caballo.

1010. Addenda. Coisas que devem ser acrescentadas. (=Addenda é plural de addendum. Adenda, aquilo que se acrescenta a um livro para completá-lo, suplemento, apêndice).

1011. Addenda et corrigenda. Coisas que devem ser acrescentadas e coisas que devem ser corrigidas.

1012. Addendum. Coisa que deve ser acrescentada. Um suplemento.

1013. Addiscunt iuvenes quod cecinere senes. [Binder, Thesaurus 73] Aprendem os jovens o que cantaram os velhos. ¦Como canta o galo velho, assim cantará o novo.

1014. Addidisti calcaria sponte currenti. [Plínio Moço, Epistulae 1.8.1] Enfiaste as esporas (no cavalo) que corria espontaneamente. (=Estimulas à ação a quem já está agindo espontaneamente).

1015. Addito salis grano. [Plínio Antigo, Naturalis Historia 23] Com o acréscimo de um grão de sal. (=Usa-se com o significado de com certa ressalva). VIDE: ?Cum grano salis.

1016. Adeo bonus, ut ad nihil bonus. [Bacon, De Bonitate] Ele é tão bom, que não é bom para nada. (=Bacon dá como tradução do provérbio italiano Tanto buon, che val niente).

1017. Adeo familiare est hominibus omnia sibi ignoscere, nihil aliis remittere. [Veleio Patérculo, Historia Romana 2.30.3] É natural aos homens tudo perdoar a si mesmos, e nada desculpar aos outros.

1018. Adeo natura a rectis in vitia, a vitiis in prava, a pravis in praecipitia pervenitur! [Veleio Patérculo, Historia Romana 2.10.1] Passa-se naturalmente das virtudes aos erros, dos erros aos vícios, dos vícios ao abismo!

1019. Adeo vel infelix bellum ignominiosae paci praeferebant. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 4.1] Preferiam mesmo uma guerra infeliz a uma paz ignominiosa.

1020. Adesse alicui. Prestar assistência a alguém. Defender alguém na justiça.

1021. Adesse gaudet, sed laboranti, Deus. [Ésquilo / Schottus, Adagia 625] Deus tem satisfação de ajudar, mas a quem trabalha. ¦Deus ajuda a quem trabalha. ¦Põe tu a mão, e Deus te ajudará. VIDE: ?Ad opus manum admovendo fortunam invoca. ?Cum Minerva et manum move. ?Cum Minerva manus etiam move. ?Cum Minerva manum quoque move. ?Di facientes adiuvant. ?Deus facientes adiuvat. ?Deus laborantibus opem fert prospere. ?Deus laborantes ope adiuvat sua. ?Fac aliquid ipse, deinde Numen invoca. ?Fac interim aliquid ipse, dein deos voca. ?Facientes Deus adiuvat. ?Huic qui laborat, Numen adesse assolet. ?Manum admoventem Deum quemvis invocare debere. ?Manum admoventi fortuna est imploranda. ?Manum admoventi fortuna est invocanda. ?Manum admoventi sunt vocanda numina. ?Minerva auxiliante, manum etiam admove. ?Nulla preces numina flectunt ignavorum. ?Nunc ipse quid peragito, dein deos voca. ?Nunc ipse quid peragito, dein Deum voca. ?Quisquis laborat, huic manum praebet Deus. ?Sine opera tua, nihil di facere possunt.

1022. Adest Deus ubique. [Divisa] Deus está em toda parte.

1023. Adeste, fideles, laeti triumphantes, venite, venite in Bethlehem; natum videte regem angelorum; venite, adoremus, venite adoremus; venite adoremus Dominum. [Hino religioso, cantado no Natal, cuja melodia é de John Reading] Vinde, fiéis, alegres, triunfantes; vinde, vinde a Belém; vede o rei dos anjos que nasceu; vinde, adoremos, vinde, adoremos, vinde, adoremos o Senhor.

1024. Adhaereat lingua mea faucibus meis, si non meminero tui. [Vulgata, Salmos 136.6] Fique pegada a minha língua às minhas fauces, se eu não me lembrar de Ti.

1025. Adhaerens potenti adversitatem non timet. [Medina 606] Quem se liga a um poderoso não teme a adversidade. ¦Quem a boa árvore se chega, boa sombra o cobre.

1026. Adhaesit pavimento anima mea. [Vulgata, Salmos 118.25] A minha alma esteve pegada com o chão. VIDE: ?Prostrata est in pulvere anima mea.

1027. Adhibenda est in iocando moderatio. [Cícero, De Oratore 2.238] É necessário ter moderação no divertimento. ¦Brinca, mas não ofende.

1028. Adhuc aliquis deus respicit nos. [Erasmo, Adagia 3.9.42] Até aqui algum deus está olhando por nós.

1029. Adhuc caelum volvitur! [Erasmo, Adagia 4.4.8] O céu ainda gira! ¦Ainda está Deus onde estava. ¦Mais dias há que lingüiças.

1030. Adhuc et semper iustitia. Justiça, ainda e sempre.

1031. Adhuc neminem cognovi poëtam qui sibi non optimus videretur. [Cícero, Tusculanae Disputationes 5.63] Jamais encontrei um poeta que não se considerasse muito bom.

1032. Adhuc seges in herba est. [Pereira 108] A plantação ainda está na rama. ¦Isto ainda está muito verde. ¦Ainda tem muitas noites que dormir fora. ?Adhuc tua messis in herba est. [Ovídio, Heroides 17.263] ?Adhuc est herba. [Pereira 94] VIDE: ?Negotium in herba est. ?Nimium properas, et adhuc tua messis in herba est.

1033. Adhuc sub iudice lis est. [Horácio, Ars Poetica 78] A causa ainda está sujeita ao juiz. (=A questão ainda não está resolvida). VIDE: ?Grammatici certant, et adhuc sub iudice lis est.

1034. Adhuc tempus. [Inscrição em quadrante solar] Ainda há tempo.

1035. Adhuc tranquilla res est. [Terêncio, Phormio 478] Até aqui as coisas caminham tranqüilas.

1036. Adicere aliquem canibus. Atirar alguém aos cães. ¦Atirar às feras.

1037. Adiciam quod me docuit usus, magister egregius. [Plínio Moço, Epistulae 20.12] Mostrarei o que me ensinou a prática, esse mestre magnífico. VIDE: ?Multa me docuit usus, magister optimus.

1038. Aditum nocendi perfido praestat fides. [Sêneca, Oedipus 686] A confiança dá ao traidor oportunidade de fazer o mal. ¦Confia desconfiando.

1039. Adiuncta est parvis gratia rebus. [Grynaeus 109] As coisas pequenas têm encanto. ¦Em pequena caixa está bom ungüento. ¦Em pequena fonte se bebe à vontade.

1040. Adiuvante Deo labor proficit. Com a ajuda de Deus o trabalho progride. VIDE: ?Deo adiuvante labor proficit.

1041. Admirabilior in femina quam in viro virtus. A coragem é mais admirável na mulher do que no homem.

1042. Admirati sunt omnes. [Erasmo, Moriae Encomium 54] Todos ficaram pasmos. VIDE: ?Mirati sunt omnes.

1043. Admiratio parit scientiam. [Signoriello 39] A admiração gera o conhecimento.

1044. Admiratione afficiuntur ii qui anteire ceteris virtute putantur. [Cícero, De Officiis 2.37] Causam-nos admiração aqueles que achamos que superam os demais em coragem.

1045. Admirationem autem, quae maxima est, non verba parere, sed silentium. [Aulo Gélio, Noctes Atticae 5.1] Não são as palavras, mas é o silêncio que revela a grande admiração.

1046. Admiror nec rerum solum, sed verborum elegantiam. Admiro não só a elegância das coisas, mas também a das palavras.

1047. Admittatur. Que ele seja admitido. (=O candidato está aceito).

1048. Admitte ad te alienigenam; et subvertet te in turbine, et abalienabit te a tuis propriis. [Vulgata, Eclesiástico 11.36] Aceita um estranho na tua casa, e ele provocará desordens, e te afastará dos teus próprios familiares.

1049. Admoneri bonus gaudet: pessimus quisque correptorem asperrime patitur. [Sêneca, De Ira 3.37] O homem bom aprecia que o critiquem; o mau suporta com dificuldade qualquer crítico.

1050. Admonitio non est supervacua. [Sêneca, Epistulae Morales 94] Uma advertência não é inútil. ¦Conselho de amigo, aviso do céu.

1051. Admonitio taedium facit, exprobratio odium. [Sêneca, De Beneficiis 2.11.6] Uma advertência causa enfado, uma reprimenda causa ódio.

1052. Adoptio est actus legitimus, quo extranei tamquam liberi in familiam assumuntur. [Jur] Adoção é o ato legítimo, pelo qual estranhos são recebidos na família como filhos.

1053. Adoptio est actus legitimus, quo quis sibi filium facit quem non generavit. Adoção é o ato legítimo pelo qual alguém torna seu um filho que não gerou.

1054. Adoptio est legitimus actus, naturam imitans, quo liberos nobis quaerimus. [Jur] A adoção é um ato legítimo, que imita a natureza, pelo qual buscamos filhos para nós.

1055. Adora quod incendisti, incende quod adorasti! [S.Gregório de Tours, Historia Francorum 2.32] Adora o que queimaste; queima o que adoraste!

1056. Adsit laetitiae Bacchus dator. [Virgílio, Eneida 1.734] Que Baco, o distribuidor da alegria, nos assista.

1057. Adsum! Estou aqui! ¦Presente! VIDE: ?Ecce adsum. ?Ecce ego.

1058. Adulandi gens prudentissima laudat sermonem indocti, faciem deformis amici. [Juvenal, Satira 3.86] Essa raça de bajuladores louva o discurso do amigo ignorante, e o rosto do amigo horroroso.

1059. Adulari parentibus non dubita. [Rezende 145] Não hesites em agradar a teus pais.

1060. Adulatio est fallaci laude seductio. [S.Agostinho, Super Psalmos / Rezende 146] A lisonja é um engano feito por louvor falso.

1061. Adulatio inimica amicitiae. A bajulação é inimiga da amizade.

1062. Adulatio perpetuum malum regum, quorum opes saepius assentatio, quam hostis evertit. [Quinto Cúrcio, Historiae 8.5] A adulação é aquele perpétuo mal dos reis, cuja grandeza muitas vezes mais destruiu a lisonja que o inimigo.

1063. Adulatio quam similis est amicitiae! [Sêneca, Epistulae Morales 45.7] Como a adulação se parece com a amizade!

1064. Adulatio vitiorum altrix. [Amiano Marcelino, Historia 15.5.38, adaptado] A adulação alimenta os vícios.

1065. Adulator blandus inimicus dicitur. Considera-se o adulador um inimigo gentil. VIDE: ?Adulator quippe blandus inimicus est.

1066. Adulator cum laudat, pungit. O adulador, quando louva, corrói.

1067. Adulator niger est: hunc tu caveto. O adulador é perigoso: cuidado com ele.

1068. Adulator non est verus amator. O adulador não é amigo de verdade.

1069. Adulator propriis commodis tantum studet. [DAPR 30] O adulador apenas deseja os próprios benefícios. ¦Abana-se o cão não por ti, mas pelo pão.

1070. Adulator quippe blandus inimicus est. [S.Jerônimo, Epistulae 22] O adulador, por ser insinuante, é um inimigo. VIDE: ?Adulator blandus inimicus dicitur.

1071. Adulatores sunt simulatores. Os aduladores são simuladores.

1072. Adulatores ut inimicos cave; corrumpunt fictis laudibus leves animas. [S.Jerônimo / Peraldus, De Eruditione Principum 2.12] Guarda-te dos aduladores como dos inimigos: com falsos elogios eles corrompem as cabeças fracas.

1073. Adulatoris laus est speciosa fraus. O elogio do adulador é uma armadilha encantadora.

1074. Adulescens cum sis, tum cum est sanguis integer, rei tuae quaerendae convenit operam dare. [Plauto, Mercator 550] Quando se é moço, quando o sangue ainda está vigoroso, convém esforçar-se para adquirir patrimônio.

1075. Adulescens, durius est mihi hoc dicere quam facere. [Xenofonte / Bacon, Advancement of Learning 1.7.28] Jovem, para mim é mais duro dizer isso do que fazê-lo.

1076. Adulescentem verecundum esse decet. [DAPR 695] Convém que o jovem seja respeitoso. VIDE: ?Decet verecundum esse adulescentem.

1077. Adulescentes a lascivia sevocare difficile bellum. É uma guerra difícil afastar jovens da lascívia.

1078. Adulescenti morigerari oportet. Ao jovem convém ser gentil.

1079. Adulescentia deferbuit. O fogo da juventude esfriou. VIDE: ?Nondum illi deferbuit adulescentia.

1080. Adulescentia nihil esse melius, senectute nihil detestabilius. [Erasmo, Moriae Encomium 14] Nada há melhor que a juventude, nada mais detestável que a velhice.

1081. Adulescentia nulla re magis quam exemplis instruitur. [Esopo] A juventude aprende mais com exemplos. ¦Exemplos farão mais que doutrina. ¦Frei exemplo é o melhor pregador.

1082. Adulescentibus praesertim fugienda est occasio mali. Os jovens devem fugir à oportunidade do mal.

1083. Adulter est uxoris amator acrior. [Publílio Siro] O adúltero ama sua mulher com mais ímpeto.

1084. Adulteratores monetae. [Digesta 48.19.16.9] Falsificadores de moeda.

1085. Adulterium certe sine duobus committi non potest. [S.Jerônimo, Epistulae 1.6] O adultério certamente não pode ser cometido sem a participação de duas pessoas.

1086. Adulterium est ad alterum torum vel uterum accessio. [Jur] Adultério é o acesso ao leito ou ao útero alheio.

1087. Adulterium sine dolo malo non comittitur. [Gaio, Digesta 48.5.44] Não se comete adultério sem dolo.

1088. Aduncos ungues habentes ne alas. [Apostólio 5.93] Não alimentes animais que tenham unhas em forma de gancho. ¦De ave de bico encurvado, guarda-te dela como do diabo. VIDE: ?Animalia recurvis unguibus ne nutrias. ?Quae uncis sunt unguibus ne nutrias.

1089. Advena fui in terra aliena. [Vulgata, Êxodo 2.22] Peregrino fui em terra estranha.

1090. Advenae, et pupillo, et viduae non feceritis calumniam. [Vulgata, Jeremias 7.6] Não oprimirás o estrangeiro, nem o órfão, nem a viúva.

1091. Adveniente die iudicii, non quaeretur a nobis quid legimus, sed quid fecimus. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 1.3.26] Quando chegar o dia do juízo, não nos será perguntado o que lemos, mas o que fizemos.

1092. Adveniente die praefixo. Chegado o dia marcado.

1093. Adventicia bona. [Jur / Black 66] Bens que não se originam de herança.

1094. Adventicia doctrina. [Cícero, De Oratore 33] Uma doutrina importada.

1095. Adversa ex secundis, ex adversis secunda nascuntur. [Plínio Moço, Panegyricus 6] A adversidade nasce da prosperidade e esta da adversidade. VIDE: ?Ex adversis secunda, ex secundis adversa nascuntur.

1096. Adversa fortuna. A má sorte. O infortúnio. ?Adversa. VIDE: ?Adversae res.

1097. Adversa magnos probant. O infortúnio revela os grandes homens. VIDE: ?Secunda felices, adversa magnos probant.

1098. Adversa quae mutuo amici ferunt leviora sunt. [Grynaeus 116] As dificuldades que os amigos enfrentam ajudando-se mutuamente tornam-se mais suaves.

1099. Adversa virtute repello. [Divisa] Com coragem, enfrento a adversidade.

1100. Adversae res. A má sorte. VIDE: ?Adversa fortuna. ?Adversa.

1101. Adversae res admonent ad religionem. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 5.51.8] O infortúnio nos leva à religião. ¦Na hora da aflição todo o mundo se lembra de Deus. ¦O medo é o pai da crença.

1102. Adversante fortuna. Com a sorte contrariando.

1103. Adversante natura. Com a oposição da natureza. Contra a vontade da natureza. ?Adversante et repugnante natura. Quando a natureza se opõe e repele. VIDE: ?Nihil decet invita Minerva, id est, adversante et repugnante natura. ?Repugnante natura, nihil medicina proficit.

1104. Adversarius vester diabolus tamquam leo rugiens circuit, quaerens quem devoret. [Vulgata, 1Pedro 5.8] O diabo, vosso adversário, anda ao redor de vós, como um leão que ruge, buscando a quem possa tragar.

1105. Adversis etenim frangi non esse virorum. [Sílio Itálico, Punica 10.617] Homens não se deixam abater pela adversidade.

1106. Adverso flumine. Contra o fluxo do rio. Contra a corrente. ?Adverso flumine remigare. Remar contra a corrente. ¦Remar contra a água. ¦Remar contra a maré. ?Adverso flumine niti. VIDE: ?Contra aquam remigare. ?Contra impetum fluminis tendis. ?Contra ictum fluvii natare. ?Contra torrentem niti. ?Contra torrentem bracchia dirigere.

1107. Adversum me susurrabant omnes inimici mei. [Vulgata, Salmos 40.8] Contra mim murmuravam todos os meus inimigos.

1108. Adversum necessitatem ne dii quidem resistunt. [Erasmo, Adagia 2.3.41] Ao inevitável nem mesmo os deuses resistem. VIDE: ?Cum necessitate ne dii quidem pugnant. ?Necesse ne vitet quidem vel Iuppiter. ?Necessitatem ne deos quidem cogere posse. ?Necessitatem ne dii quidem superant.

1109. Adversus aërem certare. [S.Agostinho, De Agone Christiano 5.5] Lutar contra o ar.

1110. Adversus bonos mores. [Digesta 4.2.3.1; 47.10.15] Contra os bons costumes.

1111. Adversus clavos calcitrare. [S.João Crisóstomo] Dar chutes em pregos. ¦Dar murro em ponta de faca. VIDE: ?Adversus stimulum ne calcitres. ?Contra stimulum calcitrare.

1112. Adversus deum non oportet contendere. [Píndaro / Schottus, Adagialia Sacra 97] Contra um deus não convém lutar. ¦Contra a força não há resistência.

1113. Adversus doli exceptionem non dari replicationem doli. [Digesta 44.4.4.13] Não se dá réplica de dolo à exceção de dolo.

1114. Adversus experimenta pertinaces sumus. [Sêneca, De Beneficiis 1.1] Contra as provações nós somos persistentes.

1115. Adversus fiscum usucapio non procedit. [Digesta 41.3.18] Não cabe usucapião contra o patrimônio público.

1116. Adversus fontes fluunt amnes. [Suidas / Albertatius 38] Os rios estão correndo para as fontes. (=Diz-se de pessoa que diz ou faz algo contrário à razão). VIDE: ?Ad locum unde exeunt flumina revertuntur ut iterum fluant. ?Sursum versus fluminum feruntur fontes.

1117. Adversus hostes necessaria est ira. [Sêneca, De Ira 1.11] Contra os inimigos a cólera é inevitável.

1118. Adversus leonem capra pugnam non ineat. [Suidas / Albertatius 40] Não vá a cabra lutar com o leão. ¦Contra a força não há resistência. ?Adversus leonem damae pugnam ineunt. [Apostólio 16.87] Os gamos estão procurando briga com o leão. VIDE: ?Cum sis nanus, cede. ?Nanus cum sis, cede. ?Ne ad pugnam vocet aquilam luscinia. ?Ne capra contra leonem pugnet. ?Non cum leone capra decertem fero. ?Non cum leone caprea pugnare audeas. ?Pumilio cum sis, cede.

1119. Adversus miseros inhumanus est iocus. [Quintiliano, Institutio Oratoria 6.3.33] Chistes contra infelizes são desumanos.

1120. Adversus numinis decretum nihil valet humana providentia. [Grynaeus 771] Contra a decisão de um deus, de nada vale a cautela do homem.

1121. Adversus omnes. Contra todos. Para com todos. VIDE: ?Erga omnes.

1122. Adversus periculum naturalis ratio permittit se defendere. [Gaio, Digesta 9.2.4] O direito natural permite defender-se contra o perigo.

1123. Adversus solem loqui. [Rezende 155] Falar contra o sol. (=Rebater verdade inegável. Falar contra pessoa poderosa). ¦Negar a luz ao meio-dia. ?Adversus solem ne loquaris, ne videlicet incidas in periculum. [Grynaeus 212] Não falarás contra o sol para que não te exponhas a perigo. ¦Não digas mal de el-rei nem entre dentes, porque em toda parte tem parentes. ?Adversus solem ne loquitor. [Erasmo, Chiliades 16] Não fales contra o sol. ?Adversus solem ne loquere. VIDE: ?In astra nunquam intende digitum.

1124. Adversus stimulos calces iaces. [Schottus, Adagia 247] Dás coices no aguilhão. ¦Dás murro em ponta de faca. ?Adversus stimulum ne calcitres. [Binder, Thesaurus 80] ¦Não dês coice contra o aguilhão. VIDE: ?Calcitrare contra acumina. ?Contra stimulum calcitrare. ?Contra stimulos calces iacere. ?Durum est tibi contra stimulum calcitrare. ?Inscitia est adversum stimulum calces. ?Ne contra stimulum calcitres.

1125. Advocati nascuntur, iudices fiunt. Advogados nascem feitos, juízes fazem-se.

1126. Advocati temperent se ab iniuria. [Jur] Abstenham-se os advogados da injúria.

1127. Advocatorum error litigatoribus non noceat. [Codex Iustiniani 2.9.3] Que o erro dos advogados não prejudique os litigantes.

1128. Advocatus diaboli. O advogado do diabo. (=Advogado do diabo. 1.O encarregado de levantar objeções contra a proposta de canonização de um santo. 2.Pessoa encarregada de opor e sustentar objeções a qualquer tese. 3.Pessoa que sempre levanta dificuldades ou cria objeções).

1129. Advocatus et non latro? Res miranda gentibus. [DAPR 19] Advogado e não ladrão? É coisa que causa admiração às pessoas. ¦Deus desavenha quem nos mantenha. VIDE: ?Res miranda populo. ?Sanctus Yvo erat Brito, advocatus et non latro, res miranda populo.

1130. Advocatus non accusat. [Jur] O advogado não acusa.

1131. Aedes sine libris est similis corpori sine spiritu. Uma casa sem livros é semelhante a um corpo sem alma.

1132. Aedibus in cinerem redactis sero infunditur aqua. [Manúcio, Adagia 901] Tarde se joga a água quando a casa já está reduzida a cinzas. ¦Casa roubada, trancas à porta. VIDE: ?Aegroto mortuo, sero venit medicus. ?Medicina mortuorum sera est.

1133. Aedibus in nostris ego regem gessero sane. [Pereira 98] Sem dúvida na minha casa serei o rei. ¦Cada um em sua casa é rei.

1134. Aedibus in nostris quae prava aut recta geruntur. [Erasmo, Adagia 1.6.85] O que acontece de errado ou de certo só se trata dentro de casa. ¦Cada um trate de si e deixe os outros. ¦Roupa suja se lava em casa. ?Aedibus in propriis quae rectave, pravave fiant. [Manúcio, Adagia 3] ?Aedibus in nostris quae prava aut recta geruntur attendas, et extra non cures. Presta atenção ao que de errado ou certo acontece em nossa casa, e não cuides do que está fora. ?Aedibus in nostris quae prava aut recta geruntur attendere fas est. O correto é cuidar dentro de nossa casa do que de errado ou certo acontece.

1135. Aedibus in propriis canis est mordacior omnis. [Binder, Thesaurus 82] Todo cão em sua casa é mais mordedor. ¦Em sua casa cada qual é rei. ¦Muito pode o galo em seu poleiro. VIDE: ?Ante suas aedes semper canis est animosius. ?Canis audax iuxta proprias aedes. ?Canis domi ferocissimus.

1136. Aedificando fiunt aedificatores, et citharizando citharistae. [S.Tomás de Aquino] Construindo é que se fazem os construtores, e tocando cítara os citaristas.

1137. Aedificant domos, et non habitabunt. [Grynaeus 336] Constroem casas e não morarão nelas. ¦O bocado não é para quem o faz.

1138. Aedificare in tuo proprio solo non licet quod alteri noceat. [Jur / Broom 292] Não é permitido edificar em teu próprio terreno o que pode prejudicar a terceiro.

1139. Aedificate domos, et habitate; et plantate hortos, et comedite fructum eorum. [Vulgata, Jeremias 29.5] Edificai casas, e habitai-as, e plantai hortas, e comei o seu fruto.

1140. Aedificatum solo, solo cedit. [Jur / Broom 309] O que é construído no solo fica subordinado ao solo. VIDE: ?Aedificia solo cohaerent. ?Aedificia solo cedunt. ?Aedificium solo cedit. ?Omne quod inaedificatur solo cedit.

1141. Aedificaturus turrem futuri operis sumptus supputa. [S.Jerônimo / Stevenson 253] Quando fores construir uma torre, estima a despesa da futura obra.

1142. Aedificia et lites pauperiem faciunt. [DAPR 146] Obras e processos levam à pobreza. ¦Demandar e urinar levam um homem ao hospital. ¦Quem faz casa ou se casa, a bolsa arrasa. ?Aedificia et lites faciunt pauperem. Obras e disputas fazem o homem pobre.

1143. Aedificia solo cohaerent. [Jur] O edifício está ligado ao solo. ?Aedificia solo cedunt. [Jur / Black 70] ?Aedificium solo cedit. VIDE: ?Aedificatum solo, solo cedit. ?Omne quod inaedificatur solo cedit.

1144. Aeger consulit medicum; medicus consulit aegro. O doente consulta o médico; o médico consola o doente.

1145. Aeger dives habet nummos, se non habet ipsum. [Dionísio Catão, Disticha 4.5] Um doente rico possui dinheiro, mas não possui a si mesmo. VIDE: ?Cum fueris locuples, corpus curare memento: aeger dives habet nummos, sed se non habet ipsum.

1146. Aegis fortissima virtus. [Divisa] A virtude é um escudo muito forte. ?Aegis fortissima honos. [Divisa] A honra é um escudo muito forte. VIDE: ?Virtus mille scuta.

1147. Aegre reprehendas, quod sinas consuescere. [Publílio Siro] Dificilmente corrigirás o que deixares tornar-se hábito.

1148. Aegre tegit prudentia immodicum dolorem. [Pereira 109] A sabedoria com dificuldade esconde a grande dor. ¦Leve é a dor que o siso encobre.

1149. Aegrescit medendo. [Virgílio, Eneida 12.46] Com o tratamento fica mais doente. ¦Pior o remédio que o mal. ¦Pior a cura que o mal.

1150. Aegri somnia. [Horácio, Ars Poetica 7] Delírios de enfermo. VIDE: ?Tamquam aegri somnia. ?Velut aegri somnia.

1151. Aegris nil movisse salus rebus. [Sílio Itálico, Punica 7.395] Nos momentos difíceis nada fazer é a salvação. ¦Deixar como está, para ver como fica.

1152. Aegritudines exedunt animos. As tristezas arruínam os espíritos. ?Aegritudines exedunt homines. As tristezas arruínam os homens. VIDE: ?Sollicitudines exedunt animos.

1153. Aegritudo autem in sapientem virum non cadit. [Sêneca, De Clementia 2.5.4] A aflição não toma conta do homem sábio.

1154. Aegro sanato frustra dices “numerato”. [Trench, Proverbs 150] Ao doente curado é inútil dizer “paga”. ¦Quando o doente escapa, foi Deus que o salvou; e, quando morre, foi o médico que o matou.

1155. Aegrotanti omnia amara. [Grynaeus 434] Tudo é amargo para quem está doente.

1156. Aegrotare incipimus mox ubi nascimus. [S.Agostinho, Psalmus 102] Começamos a ficar doentes assim que nascemos.

1157. Aegrotat. Está doente. (=Nas Universidades de Oxford e de Cambridge, um certificado de que o estudante está doente e não pode comparecer ao exame).

1158. Aegrotat fama vacillans. [Lucrécio, De Rerum Natura 1126] Uma reputação vacilante é sinal de doença.

1159. Aegrotavit daemon, monachus tunc esse volebat; daemon convaluit, daemon ut ante fuit. [CODP 65] O diabo adoeceu, quis então ser monge; o diábo se curou, continuou diabo como era antes. ¦O que o berço dá só a cova o tira. VIDE: ?Cum languebat lupus, agnus ut esse volebat; postquam convaluit, talis ut ante fuit. ?Daemon languebat, monachus bonus esse volebat; sed cum convaluit, manet ut ante fuit. ?Lupus languebat, monachus tunc esse volebat; sed cum convaluit, lupus ut ante fuit.

1160. Aegroti curantur in libris, et moriuntur in lectis. [Sydenhan / Benito Jerónimo Feijoo, Cartas 5.21] Os doentes são tratados nos livros, e morrem nos leitos.

1161. Aegroto animo medicus est oratio. [Plutarco / Grynaeus 45] A palavra é o médico do espírito doente. ¦Quais palavras te dizem, tal coração te fazem. VIDE: ?Animo aegrotanti medicus est oratio. ?Animo laboranti medicus oratio est. ?Animo male affecto sermones sunt medicinae. ?Nam pharmacum aegri mentis est oratio.

1162. Aegroto dum anima est, spes est. [Erasmo, Adagia 2.4.12] Enquanto o doente tem vida, há esperança. ¦Enquanto há vida, há esperança. ¦Enquanto se vive, se tem esperança. ¦De esperança vive o homem até a morte. VIDE: ?Anima dum aegroto est, spes est. ?Dum anima est, spes est. ?Dum spiramus, speramus. ?Dum spiramus, speremus. ?Dum spiro, spero. ?Dum vita est, spes est. ?Dum vivis, sperare decet. ?Dum vivo, spero. ?Modo liceat vivere, est spes.

1163. Aegroto mortuo, sero venit medicus. [Manúcio, Adagia 901] Quando já está morto o doente, o médico chega tarde. ¦Casa arrombada, tranca às portas. ¦Asno morto, cevada ao rabo. VIDE: ?Aedibus in cinerem redactis sero infunditur aqua.

1164. Aegrotus ieiunat ut valeat, fastidiosus ut appetat, avarus ut parcat, hypocrita ut appareat. [S.Agostinho, Ad Fratres in Eremo / Bernardes, Nova Floresta 1.8] Jejua o enfermo para recuperar a saúde, o enfastiado para abrir o apetite, o avarento para economizar, o hipócrita para chamar atenção sobre si.

1165. Aegrotus non quaerit medicum eloquentem, sed sanantem. O enfermo não procura um médico eloqüente, mas um que cure. VIDE: ?Non quaerit aeger medicum eloquentem, sed sanantem.

1166. Aemulantis angi alieno bono quod ipse non habet. [Cícero, Tusculanae Disputationes 4.56] É próprio do invejoso sofrer com o bem alheio, que ele mesmo não possui. ¦O invejoso emagrece de ver a gordura alheia. VIDE: ?Obtrectantis est angi alieno bono.

1167. Aemulatio aemulationem parit. [Schrevelius 1170] Competição gera competição.

1168. Aemulatio alit ingenia. A emulação alimenta o talento. VIDE: ?Alit aemulatio ingenia. ?Aluntur aemulatione ingenia.

1169. Aequa et iniqua. [Grynaeus 121] O justo e o injusto.

1170. Aequa lege Necessitas sortitur insignes et imos. [Horácio, 3.1.14] A (deusa) Necessidade sorteia os poderosos e os humildes de acordo com uma lei imparcial.

1171. Aequa lege pauperi cum divite non licet. [Plauto, Cistellaria 265] Lei igual para pobre e para o rico não pode ser.

1172. Aequa mors est. [Sêneca, Troades 435] A morte é imparcial. ¦A morte iguala todos os viventes.

1173. Aequa tellus pauperi recluditur regumque pueris. [Horácio, Odes 2.18.32] A terra, imparcial, se abre tanto para os filhos do pobre como para os dos reis. VIDE: ?Pallida mors aequo pulsat pede pauperum tabernas regumque turres.

1174. Aequa Venus Teucris, Pallas iniqua fuit. [Ovídio, Tristia 2.6] Vênus foi favorável aos troianos, Palas foi desfavorável. ¦Quando uma porta se fecha, outra se abre. VIDE: ?Mulciber in Troiam, pro Troia stabat Apollo.

1175. Aequabiliter et diligenter. [Cícero, Ad Quintum 1.7.20] Com imparcialidade e diligência.

1176. Aequabit nigras candida sola dies. [Rezende 166] Um só dia feliz compensará os dias maus. ?Aequabit nigras candida una dies.

1177. Aequalem uxorem quaere. [Cleóbulo / Erasmo, Adagia 1.8.1] Procura mulher igual a ti. ¦Casar, com os da tua igualha. ¦Se queres bem casar, casa com o teu igual. ¦Casar e compadrar, cada qual com seu igual. ¦Casar e viajar, cada qual com seu igual. ?Aequalem tibi uxorem quaere. [Erasmo, De Ratione Studiorum / Medina 609] ?Aequalem uxorem ducito. ?Aequalem tibi mulierem inquire. [Albertatius 44] VIDE: ?Si qua voles apte nubere, nube pari. ?Si quietem mavis, duc uxorem parem. ?Si vis apte nubere, nube pari. ?Si vis nubere, nube pari. ?Tuae sortis uxorem ducito. ?Uxorem duc ex aequalibus.

1178. Aequalis aequalem delectat. [Apostólio 9.78] Igual tem prazer com seu igual. ¦Cada qual com seu igual. ¦Cada um procura o seu semelhante. ¦Todo pé aleijado procura uma bota torta. ?Aequales aequalia delectant. Os iguais gostam das mesmas coisas. VIDE: ?Cascus cascam ducit. ?Cicada cicadae cara, formicae formica. ?Pares cum paribus facillime congregantur. ?Simile gaudet simili. ?Similes similibus gaudent.

1179. Aequalis fuit in tanta inaequalitate fortunae. [Sêneca, Epistulae Morales 104.28] Ele se manteve constante no meio de tão grande inconstância da sorte. (=O autor se refere a Sócrates).

1180. Aequalitas amicitia. [Apostólio 10.60] Amizade é igualdade. ?Aequalitas est amicitia. [Schottus, Adagia 449] ?Aequalitas amicitiae auctor est. A igualdade é a autora da amizade. VIDE: ?Amicitia, aequalitas.

1181. Aequalitas bellum non parit. [Solon / Apostólio 10.59] A igualdade não causa guerra. ¦Lobo não come lobo. ?Aequalitas haud parit bellum. [Erasmo, Adagia 4.2.96] ?Aequalitas non parit bellum. ?Aequalitas non facit bellum.

1182. Aequalitas ordinem nescit pati. [Ausônio, Ludus Septem Sapientum, Solon 5] A igualdade não admite classificação.

1183. Aequam memento rebus in arduis servare mentem. [Horácio, Carmina 2.3.1] Lembra-te de manter a mente tranqüila na adversidade. ?Aequam servare mentem. [Divisa]. Manter a tranqüilidade.

1184. Aequanimiter. [Divisa] Com equanimidade.

1185. Aequat cum lucibus umbras. Iguala a sombra à luz. ¦Mistura verdes com maduras.

1186. Aequat omnes cinis. A cinza a todos iguala. ¦A morte iguala todos os viventes. ?Aequat omnes cinis, impares nascimur, pares morimur. [Sêneca, Epistulae Morales 91.16] A cinza iguala a todos, nascemos diferentes, morremos iguais. VIDE: ?Impares nascimur, pares morimur.

1187. Aeque facilitas amoris, quam difficultas nocet. [Sêneca, Epistulae Morales 116] Tanto a facilidade como a dificuldade no amor são igualmente prejudiciais.

1188. Aeque pars ligni curvi ac recti valet igni. [DAPR 399] Pedaço de madeira curvo ou reto serve igualmente para o fogo. ¦Pau torto faz fogo direito.

1189. Aeque pauperibus prodest, locupletibus aeque. [Horácio, Epistulae 1.1.25] Favorece igualmente ao pobre e ao opulento.

1190. Aequilibrium indifferentiae. O equilíbrio das forças.

1191. Aequiparat factum nobile velle bonum. [Pereira 93] Querer o bem equivale a uma ação nobre. ¦A boa vontade supre a obra.

1192. Aequitas est iustitia dulcore misericordiae temperata. [Jur] A eqüidade é justiça temperada com a doçura da misericórdia.

1193. Aequitas est quasi aequalitas. [Jur / Black 70] Eqüidade é como se fosse igualdade. (=Eqüidade é uma espécie de igualdade ou equalização).

1194. Aequitas in dubio praevalet. [Jur] Em caso de dúvida, prevalece a eqüidade.

1195. Aequitas in omnibus, in iudiciis maxime servanda est. [Jur] Deve-se observar a imparcialidade em tudo, principalmente nos julgamentos. ?Aequalitas in omnibus, in iudiciis maxime servanda est. [Rezende 169]

1196. Aequitas in paribus causis, paria iura desiderat. [Jur] Em causas iguais, a eqüidade deseja direitos iguais.

1197. Aequitas lucet ipsa per se. A imparcialidade brilha por si mesma. ?Aequitas lucet ipsa per se, dubitatio cogitationem significat iniuriae. [Cícero, De Officiis 1.30] A imparcialidade brilha por si mesma; a indecisão indica o propósito de injustiça.

1198. Aequitas nihil aliud est quam ius quod lex scripto praetermisit. [Jur] A eqüidade não é senão o direito que a lei omitiu no texto. ?Aequitas nihil aliud est quam ius quod lex scripta praetermisit. A eqüidade não é senão o direito que a lei escrita omitiu.

1199. Aequitas non facit ius, sed iuri auxiliatur. [Jur / Black 70] A equidade não faz lei, mas assiste a lei.

1200. Aequitas nunquam contravenit leges. [Jur / Black 70] A eqüidade nunca contraria a lei.

1201. Aegrotus ieiunat ut valeat, fastidiosus ut appetat, avarus ut parcat, hypocrita ut appareat. [S.Agostinho, Ad Fratres in Eremo / Bernardes, Nova Floresta 1.8] Jejua o enfermo para recuperar a saúde, o enfastiado para abrir o apetite, o avarento para economizar, o hipócrita para chamar atenção sobre si. 

1202. Aegrotus non quaerit medicum eloquentem, sed sanantem. O enfermo não procura um médico eloqüente, mas um que cure. VIDE: Non quaerit aeger medicum eloquentem, sed sanantem. 

1203. Aemulantis angi alieno bono quod ipse non habet. [Cícero, Tusculanae Disputationes 4.56] É próprio do invejoso sofrer com o bem alheio, que ele mesmo não possui.  O invejoso emagrece de ver a gordura alheia. VIDE: Invidia iusta est nimis, namque invidentem morsicat. Obtrectantis est angi alieno bono. 

1204. Aemulatio aemulationem parit. [Schrevelius 1170] Competição gera competição. 

1205. Aemulatio alit ingenia. A emulação alimenta o talento. VIDE: Alit aemulatio ingenia. Aluntur aemulatione ingenia. 

1206. Aequa et iniqua. [Grynaeus 121] O justo e o injusto. 

1207. Aequa lege Necessitas sortitur insignes et imos. [Horácio, 3.1.14] A (deusa) Necessidade sorteia os poderosos e os humildes de acordo com uma lei imparcial. 

1208. Aequa lege pauperi cum divite non licet. [Plauto, Cistellaria 265] Lei igual para pobre e para o rico não pode ser. 

1209. Aequa mors est. [Sêneca, Troades 435] A morte é imparcial.  A morte iguala todos os viventes.  Tanto morre o papa como quem não tem capa. VIDE: Aequa tellus pauperi recluditur regumque pueris. Aequat omnes cinis. Aequat omnes cinis, impares nascimur, pares morimur. Certe aequa mors est. Debilis ac fortis veniunt ad limina mortis. Dispar vivendi ratio est, mors omnibus una. Dissimiles, sed morte pares. Est commune mori, mors nulli parcet honori. Grandia cum minimis mors ferit ense pari. Impares nascimur, pares morimur. Metit Orcus grandia cum parvis. Moritur doctus similiter ut indoctus. Mors aequabit quos pecunia separavit. Mors dat cunctis legem: tollit cum paupere regem. Mors dominos servis et sceptra ligonibus aequat. Mors nulli parcit honori. Mors omnes homines manet, divites et pauperes. Mors omnibus communis. Mors omnibus imminet, non minus regibus quam plebeiis. Mors sceptra ligonibus aequat. Mors servat legem: tollit cum paupere regem. Nec mors humano subiacet arbitrio. Nec vis Herculea fatum evitabit acerbum. O dives, dives, non omni tempore vives! Pallida mors aequo pulsat pede pauperum tabernas regumque turres. Rapimur quo cuncta feruntur.  Rigidum ius est et inevitabile mortis.  Romae quoque homines moriuntur. 

1210. Aequa tellus pauperi recluditur regumque pueris. [Horácio, Odes 2.18.32] A terra, imparcial, tanto se abre para os filhos do pobre como para os dos reis.  A morte não poupa nem o fraco nem o forte.  Tanto morre o papa como quem não tem capa. VIDE:  Aequa mors est.  Mors sceptra ligonibus aequat. 

1211. Aequa Venus Teucris, Pallas iniqua fuit. [Ovídio, Tristia 2.6] Vênus foi favorável aos troianos; Palas foi desfavorável.  Quando uma porta se fecha, outra se abre. VIDE:  Mulciber in Troiam, pro Troia stabat Apollo.  Saepe, premente deo, fert deus alter opem. 

1212. Aequabiliter et diligenter. [Cícero, Ad Quintum 1.7.20] Com imparcialidade e diligência. 

1213. Aequabit nigras candida sola dies. [Rezende 166] Um só dia feliz compensará os dias maus.  Aequabit nigras candida una dies. 

1214. Aequalem uxorem quaere. [Cleóbulo / Erasmo, Adagia 1.8.1] Procura mulher igual a ti.  Casar, com os da tua igualha.  Se queres bem casar, casa com o teu igual.  Casar e compadrar, cada qual com seu igual.  Casar e viajar, cada qual com seu igual.  Aequalem tibi uxorem quaere. [Binder, Thesaurus 86]  Aequalem uxorem ducito.  Aequalem tibi mulierem inquire. [Albertatius 44] VIDE:  Eligat aequalem prudens sibi quisque sodalem.  Par pari iugator coniunx: quidquid impar, dissidet.  Quilibet ducat uxorem sui similem.  Si qua voles apte nubere, nube pari.  Si quietem mavis, duc uxorem parem.  Si vis apte nubere, nube pari.  Si vis nubere bene, nube pari.  Si vis nubere, nube pari.  Tuae sortis uxorem ducito.  Uxorem duc ex aequalibus.  Uxorem primo quaere tibi similem. 

1215. Aequalis aequalem delectat. [Apostólio 9.78] Igual gosta do seu igual.  Cada qual com seu igual.  Cada um procura o seu semelhante.  Todo pé aleijado procura uma bota torta.  Cada qual ama seu semelhante.  Aequales aequalia delectant. Os iguais gostam das mesmas coisas. VIDE:  Assidet usque graculus graculo.  Balbum balbus amat, quoniam sua verba capessit.  Cascus cascam ducit.  Cicada cicadae cara, formicae formica.  Concolores aves facillime congregantur.  Corvus corvo assidet.  Cum paribus pares habitant vivuntque libenter.  Firmissima est inter pares amicitia.  Formicae grata est formica, cicada cicadae, accipiter placet accipitri.  Garrulus garrulo semper assidet.  Gaudens gaudenti, flens flenti, pauper egenti, prudens prudenti, stultus placet insipienti.  Graculus graculo assidet.  Graculus graculo assidet, semperque Deus simile agit ad simile.  Graculus graculo, pica picae sociatur.  Hoc fuit, est, et erit: similis similem sibi quaerit.  Malus cum malo colliquescit voluptate.  Omne animal diligit simile sibi.  Omnis caro ad similem sibi coniungetur.  Omnis homo simili sui sociabitur.  Par pari coit.  Pares cum paribus facillime congregantur.  Pares paribus irresolubili nexu iunguntur.  Plerumque similem ducit ad similem Deus.  Quam male inaequales veniunt ad aratra iuvenci.  Qui similibus vitiis laborant amant sese mutuo.  Quisque pari gaudet se iungere asellus asello.  Semper ducit Deus similem ad similem.  Semper graculus assidet graculo.  Semper graculus cum graculo.  Semper similem ducit Deus ad similem.  Sic fuit, est et erit: similis similem sibi quaerit.  Simile appetit simile.  Simile gaudet simili.  Simile simili amicum.  Simile simili iungi.  Similes similibus gaudent.  Similia similibus percipiunt.  Similis simili semper haeret.  Similitudo causa est dilectionis.  Solent pares facile congregari cum paribus.  Unusquisque suum quaerit habere parem.  Volatilia ad sibi similia conveniunt. 

1216. Aequalis fuit in tanta inaequalitate fortunae. [Sêneca, Epistulae Morales 104.28] Ele se manteve constante no meio de tão grande inconstância da sorte. (=O autor se refere a Sócrates). 

1217. Aequalis nulli confringit sarcina dorsum. [Binder, Thesaurus 87] O fardo que se costuma carregar não fere as costa de ninguém. 

1218. Aequalitas amicitia. [Apostólio 10.60] Amizade é igualdade.  Aequalitas est amicitia. [Schottus, Adagia 449]  Aequalitas amicitiae auctor est. A igualdade é a autora da amizade. VIDE:  Amicitia, aequalitas. 

1219. Aequalitas bellum non parit. [Solon / Apostólio 10.59] A igualdade não causa guerra.  Lobo não come lobo.  Aequalitas haud parit bellum. [Erasmo, Adagia 4.2.96]  Aequalitas non parit bellum.  Aequalitas non facit bellum. VIDE:  Canis caninam non est mordere pellem.  Canis canem non est.  Cornix cornici numquam oculos effodit.  Corvus corvi oculum non eruit.  Lupus lupum non est.  Lupus non mordet lupum.  Parcit cognatis maculis similibus fera.  Quando leoni fortior eripuit vitam leo? 

1220. Aequalitas concordiae mater. [Gaal 738] A igualdade é a mãe da concórdia. VIDE:  Similitudo morum est mater amorum. 

1221. Aequalitas haud parit bellum. [Wander 1720] Igualdade não provoca guerra.  

1222. Aequalitas mater est iustitiae, ceterarum virtutum dux et magistra. [S.Ambrósio, Tractatus de Mansionibus] A igualdade é mãe da justiça, guia e mestra das demais virtudes. 

1223. Aequalitas ordinem nescit pati. [Ausônio, Ludus Septem Sapientum, Solon 5] A igualdade não admite classificação. 

1224. Aequam memento rebus in arduis servare mentem. [Horácio, Carmina 2.3.1] Lembra-te de manter a mente tranqüila na adversidade.  Aequam servare mentem. [Divisa]. Manter a tranqüilidade.

1225. Aequanimiter. [Divisa] Com equanimidade.

1226. Aequat cum lucibus umbras. Iguala a sombra à luz.  Mistura verdes com maduras. 

1227. Aequat omnes cinis. A cinza a todos iguala.  A morte nivela tudo.  A morte iguala todos os viventes.  Aequat omnes cinis, impares nascimur, pares morimur. [Sêneca, Epistulae Morales 91.16] A cinza iguala a todos, nascemos diferentes, morremos iguais. VIDE:  Impares nascimur, pares morimur.  Mors omnia aequat.  Omnia cinis aequat.  Omnia mors aequat. 

1228. Aeque facilitas amoris, quam difficultas nocet. [Sêneca, Epistulae Morales 116] Tanto a facilidade como a dificuldade no amor são igualmente prejudiciais. 

1229. Aeque pars ligni curvi ac recti valet igni. [Binder, Thesaurus 89] Tanto o pedaço de madeira curvo como o reto servem igualmente para o fogo.  Pau torto faz fogo direito. VIDE:  E fissis lignis componitur optimus ignis. 

1230. Aeque pauperibus prodest, locupletibus aeque. [Horácio, Epistulae 1.1.25] Favorece igualmente ao pobre e ao opulento. 

1231. Aequilibrium indifferentiae. O equilíbrio das forças. 

1232. Aequiparat factum nobile velle bonum. [Pereira 93] Querer o bem equivale a uma ação nobre.  A boa vontade supre a obra. 

1232b. Aequitas est correctio legis generaliter latae, qua parte deficit. [Jur] Eqüidade é a correção da lei excessivamente geral, na parte em que é falha. 

1233. Aequitas est iustitia dulcore misericordiae temperata. [Jur] A eqüidade é justiça temperada com a doçura da misericórdia. 

1234. Aequitas est quasi aequalitas. [Jur / Black 70] Eqüidade é como se fosse igualdade. (=Eqüidade é uma espécie de igualdade ou equalização). 

1235. Aequitas in dubio praevalet. [Jur] Em caso de dúvida, prevalece a eqüidade. 

1236. Aequitas in omnibus, in iudiciis maxime servanda est. [Jur] Deve-se observar a imparcialidade em tudo, principalmente nos julgamentos.  Aequalitas in omnibus, in iudiciis maxime servanda est. [Rezende 169] 

1237. Aequitas in paribus causis, paria iura desiderat. [Jur] Em causas iguais, a eqüidade deseja direitos iguais. 

1238. Aequitas lucet ipsa per se. A imparcialidade brilha por si mesma.  Aequitas lucet ipsa per se, dubitatio cogitationem significat iniuriae. [Cícero, De Officiis 1.30] A imparcialidade brilha por si mesma; a indecisão indica o propósito de injustiça. 

1239. Aequitas nihil aliud est quam ius quod lex scripta praetermisit. [Aristóteles / Jacob Cujacius, Opera, Vol.10, Pág.601 ] Eqüidade não é senão o direito que a lei escrita omitiu. 

1240. Aequitas non facit ius, sed iuri auxiliatur. [Jur / Black 70] A eqüidade não faz lei, mas assiste a lei.

1241. Aequitas numquam contravenit leges. [Jur / Black 70] A eqüidade nunca contraria a lei. 

1242. Aequitas praefertur rigori. [Jur] Prefere-se a eqüidade ao rigor. 

1243. Aequitas religio iudicantis. [Jur] A eqüidade é a religião do julgador. 

1244. Aequitas sequitur legem. [Jur / Black 70] A eqüidade segue a lei. 

1245. Aequitas supervacua odit. [Jur / Black 70] A eqüidade detesta o supérfluo. 

1246. Aequitas tollitur omnis, si habere suum cuique non licet. [Cícero, De Officiis 2.78] Tira-se toda a eqüidade, se não se permite a cada um ter o que é seu. 

1247. Aequitatem ante oculos habere debet iudex. [Jur / Digesta 13.4.4.1] O juiz deve ter a eqüidade diante dos olhos. VIDE:  Homo debet sequi aequitatem legis, non proprii capitis. 

1248. Aequitatem sequimur cum iure deficimur; ius autem scriptum sequimur contra aequitatem. [Jur] Seguimos a eqüidade quando a lei é omissa; porém seguimos o direito escrito contra a eqüidade.

 1249. Aequitatis ratio non patitur inaudita causa quem condemnari. [Jur] A natureza da eqüidade não permite que ninguém seja condenado sem ser ouvida a sua causa. 

1250. Aequo animo. Com a mente tranqüila. Com serenidade. De bom grado.

 1251. Aequo animo audienda sunt imperitorum convicia. [Sêneca, Epistulae Morales 76.4] As queixas dos ignorantes devem ser ouvidas com serenidade. 

1252. Aequo animo esto, et noli pavere in corde tuo! [Vulgata, Judite 11.1] Coragem! Não tenhas medo! 

1253. Aequo animo excipe necessaria. [Sêneca, Epistulae Morales 99] Suporta o inevitável com espírito sereno. VIDE:  Quod non queo mutare, fero aequo animo. 

1254. Aequo animo poenam qui meruere ferunt. [Ovídio, Amores 2.7.12] Os que merecem a punição aceitam-na com o espírito sereno. 

1255. Aequo animo qui malis miscetur, est malus. [Publílio Siro] Quem se mistura com desonestos sem se perturbar também é desonesto.  Cada um procura o seu semelhante.  Dize-me com quem andas, dir-te-ei as manhas que tens. VIDE:  Homo a suo socio cognoscitur.

1256. Aequo Marte. [César, De Bello Gallico 7.19] Com forças iguais.

1257. Aequo pede propera. [Divisa] Avança com passo firme. 

1258. Aequum aut iniquum regis imperium feras. [Sêneca, Medea 195] Justa ou injusta, tu te submeterás à ordem do rei.  Manda quem pode, e obedece quem tem juízo.  Não faltará rei que vos mande, nem papa que vos excomungue. VIDE:  A magnis proprio vivitur arbitrio.  Ego primam tollo, nominor quoniam leo.  Nemo suos - haec est aulae natura potentis - sed domini mores Caesarianos habet.  Numquam est fidelis cum potente societas.  Pati nos oportet quo ille faciat, cuius potestas plus potest.  Potentis est facere quod velit.  Regis voluntas suprema lex esto.  Voluntas principis suprema lex est. 

1259. Aequum est. É justo. VIDE:  Par est. 

1260. Aequum est, a quo quid velis, ad eum currere. [Binder, Thesaurus 90] É justo que se corra àquele de quem se quer alguma coisa.  Quem não pede, Deus não ouve. VIDE:  Petenti dabitur.  Petite, et accepietis.  Si non poscatur, vili res nulla paratur. 

1261. Aequum est neminem cum alterius detrimento locupletiorem fieri. [Digesta 12.6] É justo que ninguém se torne mais rico com prejuízo de outrem. VIDE:  Iure naturae aequum est neminem cum alterius detrimento et iniuria fieri locupletiorem. 

1262. Aequum est ut quis participavit lucrum participet et damnum. [Digesta 17.2.55] É justo que quem participou do lucro participe também do prejuízo. 

1263. Aequum et bonum colere. Cultuar a eqüidade e o bem. 

1264. Aequum et bonum est lex legum. [Jur / Black 71] O justo e bom é a lei das leis. 

1265. Aequum iudica. [Dionísio Catão, Monosticha 39] Julga de acordo com o direito. 

1266. Aër est onerosior igne. [Ovídio, Metamorphoses 1.51] O ar é mais pesado que o fogo. 

1267. Aera Christiana. A era cristã. 

1268. Aera lupinis distant. [Pereira 111] As moedas são diferentes dos tremoços. (=Nas comédias usava-se o tremoço, lupinus, para fingir que era dinheiro).  Muito vai de alhos a bugalhos. VIDE:  Nec tamen ignorat quid distent aera lupinis.  Quid distent aera lupinis! 

1269. Aera nitent usu. [Ovídio, Amores 1.8.51] Os bronzes brilham com o uso.  Ferro que não se usa enche-se de ferrugem. 

1270. Aerarii praefectus. O tesoureiro.  Aerarii praetor. [Tácito, Annales 1.75] 

1271. Aere alieno premi. [César, De Bello Gallico 6.13] Estar sobrecarregado de dívidas. 

1272. Aere quandoque salutem redimendam. [Alciato, Emblemata 153] Às vezes a segurança precisa ser comprada com dinheiro. 

1273. Aëre tranquillo remigas. [Manúcio, Adagia 180] Navegas no bom tempo. (=A sorte está a teu favor). 

1274. Aërem ferire. Bater no ar. (=Um ato inútil).  Aërem verberare. [Polydorus, Adagia] VIDE:  Actum agere.  Nebulas diverberas.  Nebulas pectis. 

1275. Aeris alieni comes miseria. [Binder, Thesaurus 91] A miséria é companheira das dívidas.  Quem deve, não dorme quando quer.  Aeris alieni atque litis comes miseria est. [Seybold, Adagia Latino-Germanica 18] A desgraça é companheira das dívidas e das disputas. VIDE:  Creditor in somnis verbera saeva quatit.  Debito soluto, tranquilla agitur vita.  Felix qui nihil debet.  Mutua quae debes, ridendo solvere debes.  Qui debet, limen creditoris non amat.  Qui nulli debet, fortunatissimus ille est.  Ter quaterque felix qui non est debitor ulli.

1276. Aerugo animi cura pecuniae. A preocupação com o dinheiro é a ferrugem do espírito.  Aerugo animi cura peculii. [Divisa do Papa Clemente XI]. 

1277. Aerugo animi robigo ingenii. [Robert Burton, The Anatomy of Melancholy 1.2.2] A ferrugem da mente é a destruição da inteligência. 

1278. Aes alienum est quod nos aliis debemus; aes suum, quod alii nobis debent. [Digesta 50.16.213.1] Dívida é o que nós devemos a outros; crédito é o que outros nos devem. 

1279. Aes alienum faciendum puto. [Cícero, Ad Atticum 13.46] Julgo que há necessidade de pedir um empréstimo. 

1280. Aes alienum solvere. [Digesta 30.39.2] Pagar a dívida. 

1281. Aes debitorem leve, grave inimicum facit. [Publílio Siro] Dívida pequena faz um devedor, dívida grande faz um inimigo.  Dinheiro emprestaste, inimigo ganhaste. VIDE:  Leve aes alienum debitorem facit, grave inimicum.  Mutua qui dederat, repetens, sibi comparat hostem.  Qui dat mutuum, amicum vendit, inimicum emit.  Si cui mutuum quid dederit, fit pro proprio perditum.  Si non mutuo, inimicus ero; si repeto, amicitias perdo. Quid ergo melius est? Non mutuando inimicum habere, quam mutuum perdere et inimicitias nihilominus incurrere. 

1282. Aes formae speculum est, vinum mentis. [Ésquilo / Bernardes, Nova Floresta 1.32] O bronze é o espelho do rosto, o vinho é o espelho do coração.  O vinho é o espelho da alma. VIDE:  Vinum animi speculum.  Vinum animi speculum, ingenii fontes.  Vultus speculum index ferreum, mentis merum. 

1283. Aestas non semper fuerit; componite nidos. [Hesíodo / Manúcio, Adagia 1055] O verão não durará para sempre; construí vossos ninhos.  Mocidade desprevenida, velhice arrependida.  Velho abandonado não foi moço ajuizado.  Aestas non semper durabit; condite nidos. [Binder, Thesaurus 92] VIDE:  Cum ferrum candet, cudere quemque decet.  Fronte capillata, post est occasio calva.  Labor senectutis obsonium.  Non semper aestas erit: venit hiems.  Quae peccamus iuvenes, ea luimus senes.  Quae in iuventute tua non congregasti, quomodo in senectute tua invenies?  Quaere adulescens, utere senex.  Senem iuventus pigra mendicum creat.  Senex non molieris quae iuvenis non molitus es.  Sera sunt barba post vigesimum, scientia post trigesimum, divitiae post quadragesimum.  Si quis ad vigesimum usque annum non formosus factus fuerit, ad trigesimum robustus, ad quadragesimum prudens, ad quinquagesimum dives, ille non facile speret se post assecuturum illa.  Venturae memores iam nunc estote senectae, sic nullum vobis tempus abibit iners. 

1284. Aestate cecinistis, hieme igitur saltate. [Esopo / Grynaeus 269] No verão cantastes, dançai, pois, no inverno.  Aestate cantasti, hieme tripudiasti. [Apostólio 7.91] No verão cantaste, no inverno bailaste. VIDE:  Proxima aestate cecinistis, nunc choros ducitote.  Si aestate cecinisti, hieme salta. 

1285. Aestatem temperat umbra. A sombra acalma o verão. 

1286. Aestatis hirundo est nuntia. [Grynaeus 554] A andorinha é a anunciadora do verão. VIDE:  Hirundo aestatem loquitur.  Nova hirundo veris est initium. 

1287. Aestimare magni aliquid. Dar grande valor a alguma coisa. VIDE:  Quisque aestimat magni illud ipsum quo caret.

1288. Aestimatio capitis. A estimativa da cabeça. (=O preço ou valor de um homem). VIDE:  Pretium hominis. 

1289. Aestimes iudicia, non numeres. [Sócrates / Sêneca, Epistulae Morales 29.12] Pesarás as opiniões dos homens, não as contarás. 

1290. Aestuat ingens imo in corde pudor. [Virgílio, Eneida 12.666] No fundo do coração, ferve um grande pudor. 

1291. Aetas acta honeste et splendide. [Cícero, Tusculanae Disputationes 3.25] Uma vida vivida com honestidade e brilho.

 1292. Aetas alia ex alia oritur. [Grynaeus 559] Uma época nasce da outra. 

1293. Aetas Augusti. A época de Augusto. 

1294. Aetas cinaedum celat, aetas indicat. [Publílio Siro] O tempo oculta o libertino, o tempo o revela. VIDE:  Astus cinaedum celat, aetas indicat.

1295. Aetas cito pede praeterit. [Inscrição em relógio solar] O tempo nos escapa a passo rápido. 

1296. Aetas enim excusationem meretur. [Digesta 29.5.1.32] A idade merece ser desculpada. 

1297. Aetas mala est, merx mala ergo est. [Plauto, Menaechmi 674] (A velhice) é uma idade ruim, é portanto um mau negócio.  A velhice é um pesado fardo. VIDE:  Aetas senilis mala merx.  Ipsa senectus morbus est.  Senectutem plurima opprimunt incommoda. 

1298. Aetas media tutissima est, quae neque iuventae calore, neque senectutis frigore infestatur. [Celso, De Medicina 2.1.5] A meia idade é a mais segura, pois não é atacada nem pelo calor da juventude nem pelo frio da velhice. 

1299. Aetas parentum, peior avis. [Horácio, Carmina 3.6.46] O tempo de nossos pais era pior do que o dos nossos avós. 

1300. Aetas semper apportat aliquid novi. [Binder, Medulla 27] O tempo sempre traz alguma novidade.  Aetas semper aliquid novi affert. 

1301. Aetas senilis mala merx. [DAPR 659] A velhice é uma mercadoria ruim.  A velhice é um pesado fardo. VIDE:  Aetas mala est, merx mala ergo est.  Senectutem plurima opprimunt incommoda. 

1302. Aetate et usu doctus. [Tito Lívio, Ab Urbe Comdita 4.46; 7.38] Instruído pelo tempo e pela experiência. VIDE:  Doctus usu. 

1303. Aetate fruere: mobili cursu fugit. [Sêneca, Hippolytus 446] Aproveita a juventude: ela foge em rápida carreira.  O tempo voa.  Tempo e maré não esperam por ninguém.  Tempo e hora não se ata com soga. VIDE:  Carpamus dulcia.  Carpamus dulcia; nostrum est quod vivis; cinis et manes et fabula fies.  Labitur occulte, fallitque volatilis aetas.  Utendum est aetate: cito pede labitur aetas. 

1304. Aetate nostra. Em nosso tempo. Na nossa época. VIDE:  Nostra aetate. 

1305. Aetate prudentiores reddimur. [Erasmo, Adagia 3.9.57] Com a idade ficamos mais ajuizados.  Com os anos vem o siso.  Aetate prudentiores sumus. 

1306. Aetate sapimus rectius. [Terêncio, Adelphi 832] Com a idade ficamos mais sábios.  Com os anos vem o siso.  Aetate recte sapimus. [DAPR 609] VIDE:  Dies diem docet.  Dies posterior prioris est discipulus.  Discipulus est prioris posterior dies.  Magister est prioris posterior dies.  Qui fuit incautus, multa fit luce peritus.  Seris venit usus ab annis. 

1307. Aetatem animae numeramus, non pro ratione temporis, sed pro qualitate virtutis. [S.Ambrósio / Bernardes, Nova Floresta 1.280] A idade da alma não se conta pelo tempo, mas pelas virtudes. VIDE:  Senectus non annis computanda, sed factis. 

1308. Aetatem habet, ipse de se loquatur. [Vulgata, João 9.21] Ele idade tem: que fale ele mesmo de si. 

1309. Aetatem habet, ipse sibi consulet expertus. [Pereira 93] O homem experimentado já tem idade para aconselhar-se a si mesmo.  A boi velho não busques abrigo. VIDE:  Bos senior caute consulit ipse sibi.  Senes in otia tuta recedunt. 

1310. Aetatis cuiusque notandi sunt tibi mores. [Horácio, Ars Poetica 156] Os costumes de cada época devem ser observados por ti. 

1311. Aetatis suae. De sua idade. 

1312. Aeterna sapientia lucet. A sabedoria brilha eterna. VIDE:  Forma bonum fragile est, aeterna sapientia lucet. 

1313. Aeterna urbs. [Tibulo, Elegiae 2.5] A cidade eterna. (=Roma). 

1314. Aeternum fieri nihil. [Sêneca, Hercules Oetaeus 1035] Nada é eterno. 

1315. Aeternum tibi dapinabo victum, si vera autumas. [Plauto, Captivi 827] Eu te darei um banquete eterno, se me dizes a verdade. 

1316. Aeternum servans sub pectore vulnus. [Virgílio, Eneida 1.36] Guardando no fundo do coração sua eterna ferida. 

1317. Aeternum tenet per saecula nomen. [Virgílio, Eneida 6.235] Através dos séculos mantém um nome eterno. 

1318. Aeternum vale! [Virgílio, Eneida 11.98] Adeus para sempre! VIDE:  Supremum vale.

 1319. Aethiopem dealbas. [Erasmo, Adagia 1.4.50] Branqueias um etíope. (=Trabalhas em vão).  Carregas água em balaio.  Aethiopem lavas. [Apostólio 1.98]  Aethiopem abstergis. [Schottus, Adagia 341]  Aethiopem amne lavas. [Schottus, Adagia 589] Lavas um etíope no rio. VIDE:  Aquilam volare doces.

1320. Aethiopem ex vultu iudico. [Erasmo, Adagia 1.9.38] Pelo rosto reconheço o etíope.  Pela casca se conhece o pau.  Pela voz se conhece o músico.  Aethiopem de facie. [Schottus, Adagia 220]. (=Comparar com os provérbios:  Não julgues pelas aparências.  Nem tudo que parece, é.  Terra negra dá bom pão.)  

1321. Aethiops non albescit. [Apostólio 1.95] O etíope não fica branco.  Ninguém sai da sua pele.  Natural e figura, até a sepultura.  O leopardo não pode mudar suas malhas.  O que o berço dá só o túmulo tira.  Aethiops non candescit. [Manúcio, Adagia 992] VIDE:  Abluis Aethiopem frustra.  Abluis Aethiopem quid frustra?  Cum languebat lupus, agnus ut esse volebat; postquam convaluit, talis ut ante fuit.  Mutare non potest Aethiops pellem suam.  Mutare non potest pardus varietates suas.  Nemo potest tollere quod natura dedit.  Osse radicatum raro de carne recedit.  Si mutare potest Aethiops pellem suam, aut pardus varietates suas, et vos poteritis benefacere cum didiceritis malum.  Pardus maculas non deponit.  Quod natura dat, nemo negare potest.  Vestem mutare potest Aethiops, faciem non potest. 

1322. Aevo rarissima nostro simplicitas. [Horácio, Ars Poetica 1.242] A sinceridade é muito rara no nosso tempo. 

1323. Affatim si cui fortuna est, interitum non longe habet. [Publílio Siro] Se a sorte está muito favorável a alguém, sua morte não está longe.  A fortuna é vária: hoje a favor, amanhã contrária. 

1324. Affectio possidendi. [Jur] A vontade de possuir.

1325. Affectio societatis. [Jur] A intenção das partes de constituir uma sociedade.

1326. Affectio tenendi. [Jur] O desejo de reter a coisa. 

1327. Affectus cito cadit, aequalis est ratio. [Sêneca, De Ira 1.17.5] A paixão logo se esvazia; a razão é constante. 

1328. Affectus non punitur, nisi sequatur effectus. [Binder, Thesaurus 97] Não se pune a intenção, se não se segue o efeito.  Affectus punitur licet non sequatur effectus. [Jur / Black 72] Pune-se a intenção, mesmo que não ocorra o resultado desejado.  

1329. Affectus quidem tam mali ministri quam duces sunt. [Sêneca, De Ira 1.9.4] Os impulsos são tão maus como servidores quanto como chefes. 

1330. Affectuum omnium capita sunt delectatio et dolor. As fontes de todas as paixões são o prazer e a dor. 

1331. Afficere aliquem contumelia. Fazer uma afronta a alguém. 

1332. Afficere poena. Aplicar uma punição. 

1333. Afficiunt corpora fames et sitis. [Tito Lívio, Ad Urbe Condita 28.15, adaptado] A fome e a sede enfraquecem os corpos. 

1334. Affidavit. [Jur] Deu fé. Certificou. Confirmou. 

1335. Affinem nullum dives avarus habet. [Rezende 185] O avarento rico não tem nenhum parente.  O avarento rico não tem parente nem amigo. 

1336. Affines inter se non sunt affines. [Jur] Os afins não são afins entre si. 

1337. Affines sunt viri et uxoris cognati. [Digesta 38.10.4.3] Afins são os parentes do marido e da mulher.

1338. Affinitas affinitatem non parit. [Jur] Um parentesco por afinidade não gera outro.  Affinitas affinitatem non generat.  Affinitas affinitatem non causat. 

1339. Affinitas et invidere sunt simul. [Schottus, Adagia 623] Parentesco e inveja andam juntos.  Não se tem inveja a defuntos e apartados, senão a vizinhos e a chegados. VIDE:  Cognatio movet invidiam.  Inimicus oculus esse vicini solet.  Inimicus et invidus vicinorum oculus.  Invidere didicit ipsa affinitas.  Invidia fera est domestica.  Invidus vicini oculus.  Vicinus invidet vicino. 

1340. Affirmans probet. [Jur] Prove quem afirma.  

1341. Affirmanti, non neganti, incumbit probatio. [Jur / Black 75] Ao que afirma, não ao que nega, incumbe a prova.  Affirmantis est probare. [Jur / Black 75] Provar cabe ao que afirma.  Affirmanti incumbit probatio. A prova cabe a quem afirma. VIDE:  Alleganti probatio incumbit.  Ei incumbit probatio, qui dicit, non qui negat.  Factum asseverans onus subit probationis.  Probatio incumbit asserenti. 

1342. Affirmatio unius exclusio est alterius. [Jur] A afirmação de uma coisa é a exclusão da outra. 

1343. Afflavit Deus et dissipati sunt. [Inscrição em medalha] Deus soprou, e eles foram destruídos. (=Refere-se à destruição da Invencível Armada, em 1588). 

1344. Afflictatio facit religiosos. O sofrimento faz os religiosos. 

1345. Afflictis longae, celeres gaudentibus horae. [Inscrição em relógio solar / DAPR 696] Longas para os aflitos, as horas são céleres para os jubilosos.  O tempo voa para quem goza, arrasta-se para quem padece.  Estou cuidando como o tempo passa, / e quão escassa é toda alegre vida, / e quão comprida, quando é triste e dura. [Camões]  Afflictis lentae, celeres gaudentibus horae. [Inscrição em relógio solar] Lentas para os aflitos, as horas são céleres para os felizes.  Afflictis lentae. [Inscrição em relógio solar] Para quem padece (as horas são) lentas. 

1346. Afflicto non est addenda afflictio. [Jur] Não se deve dar mais aflição ao aflito.  Afflicto non est danda afflictio. [Rezende 188]  Afflictis non est addenda afflictio. [Caro y Cejudo, Refranes 262]  Afflictio non est addenda afflictis. [Mota 134] Não se deve dar mais aflição aos aflitos. VIDE:  Calamitosis non est addenda calamitas.  Malo malum non addendum. 

1347. Affligetur malo, qui fidem facit pro extraneo. [Vulgata, Provérbios 11.15] Aquele que se faz responsável por um estranho cairá na desventura. 

1348. Africa semper aliquid affert mali. [Schottus, Adagia 183] A África sempre traz alguma notícia má. VIDE:  Ex Africa semper aliquid novi.  Fert Africa noxia semper.  Semper affert Lybia mali quippiam.  Semper Africa aliquid novi affert.  Semper Africa gignit aliquid mali.  Semper Africa novi aliquid apportat.  Semper aliquid novi affert Africa.  Semper aliquid novi Africam afferre.  Vulgare Graeciae dictum, semper Africam aliquid novi afferre. 

1349. Agamus pingui Minerva. [Polydorus, Adagia] Usemos o simples bom-senso. 

1349b. Agamus quod agendum. Façamos o que deve ser feito. 

1350. Age, libertate Decembri utere! [Horácio, Sermones 2.7.4] Vamos, aproveita da liberdade de dezembro. (=Dezembro era o mês das Satunais). 

1351. Age magna, non magna pollicens. [Sixto Pitagórico / Bernardes, Luz e Calor 1.223.118] Faze coisas grandes, mas não as prometas. 

1352. Age nunc principalem veniamus ad causam. [S.Agostinho, Epistulae 50] Agora vamos ao que interessa. 

1353. Age quid libet. Faze o que te agrade. 

1354. Age quod agis. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 3.47.2] Faze o que estás fazendo. (=Concentra-te na tua tarefa. Presta atenção ao que fazes).  Não se pode tocar o sino e acompanhar a procissão. VIDE:  Tu fac, quod facis. 

1355. Age quod agis, et sine loqui. Faze o que estás fazendo, e deixa falar. 

1356. Age sic alienum, ut tuum non obliviscaris negotium. [Cecílio Balbo] Cuida do negócio alheio de tal maneira que não te esqueças do teu. 

1357. Age, si quid agis. [Plauto, Miles Gloriosus 217; Epidicus 196; Persa 659] Se fazes alguma coisa, faze-a logo.  Mãos à obra! VIDE:  Fac, si facis. 

1358. Age sis, tu sine pennis vola. [Plauto, Asinaria 93] Está bem, mas tu primeiro voa sem asas. 

1359. Age ut omnia sint parata. Cuida para que tudo fique pronto. VIDE:  Da operam ut omnia sint parata. 

1360. Agenda. Coisas que devem ser feitas. (=Agenda. Caderneta em que se aponta dia a dia o que se tem de fazer). VIDE:  Facienda. 

1361. Agens et consentiens eadem poena digni. [Binder, Thesaurus 100] O agente e o consentidor merecem a mesma pena.  Tão bom é o ladrão como o consentidor.  Agentes et consentientes pari poena puniendi. [Medina 582] Os que fazem e os que consentem devem ser punidos com pena igual.  Agentes et consentientes pari poena plectuntur. Os que fazem e os que consentem são castigados com pena igual.  Agentes et consentientes pari poena puniuntur. [Mota 216]  Agentes et consentientes pari poena digni. Os que fazem e os que consentem merecem punição igual. VIDE:  Consentientes et agentes pari poena plectuntur.  Consentientes et cooperantes pari poena sunt plectendi.  Consentientes et facientes pari poena sunt plectendi.  Facientem et consentientem par poena constringit.  Non solum qui male agunt, sed qui consentiunt facientibus, digni sunt poena.  Par poena agentes et consentientes comprehendit.  Qui talia agunt digni sunt morte; et non solum qui ea faciunt, sed etiam qui consentiunt facientibus.  Receptores non minus delinquunt quam aggressores.  Utrique sunt fures, et qui accipit, et qui furatur. 

1362. Agens non datur sine patiente. [Signoriello 233] Não existe agente sem paciente. 

1363. Ager, quamvis fertilis, sine cultura fructuosus esse non potest. [Cícero, Tusculanae Disputationes 2.14] Um campo, por mais fértil que seja, sem cultivo não pode ser produtivo.  Não há lucro sem trabalho. VIDE:  Cui sit condicio dulcis sine pulvere palmae?  Nemo athleta sine sudore coronatur.  Nemo coronatur, nisi certando mereatur.  Nemo coronabitur, nisi qui legitime certaverit.  Nemo enim praemium percipit ante experimentum.  Non contingit ignavis praeda.  Omne commodum cum suo onere pertransit.  Omnis commoditas sua fert incommoda secum.  Praemia nobis posita sunt post laborem.  Ut ager, quamvis fertilis, sine cultura fructuosus esse non potest, sic sine doctrina animus. 

1364. Ager publicus. Terra pública. 

1365. Ager spurcus sterilis est. O campo coberto de ervas daninhas é estéril. 

1366. Agere Bacchanalia. [Pereira 105] Festejar as Bacanais. VIDE:  Agitare Dionysia. 

1367. Agere causam. Defender uma causa. 

1368. Agere considerate pluris est quam cogitare prudenter. [Cícero, De Officiis 1.160] Agir com prudência vale mais que pensar com prudência. 

1369. Agere etiam is videtur qui exceptione utitur, nam reus in exceptione actor est. [Ulpiano, Digesta 44.1.1] Considera-se que também aciona quem opõe exceção, pois na exceção o réu passa a autor. 

1370. Agere flammam. Alimentar a chama. 

1371. Agere gratias. Agradecer. 

1372. Agere invitus nemo compellitur. [Agostinho Barbosa, Thesaurus Locorum Communium Jurisprudentiae 1.72] Ninguém é obrigado a demandar, contra a vontade. 

1373. Agere, non loqui. [Divisa do Conde de Figueiredo / Rezende 195] Agir, não falar.  Atos, não palavras.  Obras falam, palavras calam. VIDE:  Efficacior vox operis quam sermonis.  Facta plus valent quam dicta.  Facta, non verba.  Facta plus valent quam dicta.  Factis non verbis.  Non est loquendum, sed gubernandum.  Non lingua quis mihi sit amicus, sed magis facto.  Non verbis, at factis opus est.  Non verbis at factis spectari vult Graecia.  Parum loqui et multa facere.  Plurimum facere, et minimum de se ipso loqui.  Res, non verba.  Verbis non iacta te, sed facias bona facta. 

1373b. Agere non valenti non currit praescriptio. [Jur] A prescrição não corre contra quem não pode agir. 

1374. Agere publicum ministerium. [Valério Máximo, Facta et Dicta Memorabilia 7.3.9] Exercer uma função pública. 

1375. Agere sequitur credere. O agir acompanha o crer. 

1376. Agere volentem semper meditari decet. [Ausônio, Ludus Septem Sapientum, Periander 10] A quem quer fazer alguma coisa sempre convém refletir. 

1377. Agitare Dionysia. [Pereira 105] Festejar as Dionísias. (=1.Dionísias, festas em honra de Dioniso, na antiga Grécia. 2.Dioniso, nome grego de Baco). VIDE:  Agere Bacchanalia. 

1378. Agitatur vento. [Grynaeus 355] Agita-se com o vento. (=Não tem opinião firme). VIDE:  Animo nunc huc, nunc fluctuat illuc. 

1379. Agite gratias Domino bonorum omnium largitori. [RSA 49] Dai graças ao Senhor, que é o distribuidor de todos os bens. 

1380. Agninis lactibus alligare canem. [Erasmo, Adagia 4.9.94] Amarrar o cão com tripas de carneiro. VIDE:  Alligem fugitivam canem agninis lactibus. 

1381. Agninis moribus homines. [Schottus, Adagia 354] Homens de costumes de cordeiros. (=Homens calmos, pacíficos, honestos). 

1382. Agnosce me fratrem; agnosco te fratrem. [S.Agostinho, Sermo 358] Reconhece-me como teu irmão, e eu te reconheço como meu irmão. VIDE:  Esto frater meus, et ego sim frater tuus, ut ambo simus eius qui Dominus est et meus et tuus. 

1383. Agnosci amat, qui quod agit ostendit. [DM 54] Quem divulga o que faz gosta de ser reconhecido. 

1384. Agnosco veteris vestigia flammae. [Virgílio, Eneida 4.23] Reconheço os vestígios da minha velha chama.  Onde houve fogo, sempre sobram cinzas.  O primeiro amor nunca se esquece. 

1385. Agnovi erratum meum. [Cícero, Ad Atticum 16.6.5] Reconheci meu engano. 

1386. Agnovisti, fili, nostrum regnum esse nobilem servitutem? [Rezende 200] Percebeste, meu filho, que o meu governo é uma nobre servidão? (=Palavras do rei Antígono a seu filho). VIDE:  An non novisti, fili, nostrum regnum esse nobilem servitutem? 

1387. Agnum lupo eripere velle. Querer arrancar o cordeiro ao lobo. (=Querer coisa impossível). VIDE:  Lupo agnum eripere postulant. 

1388. Agnum lupus vorat. O lobo devora o cordeiro.  Quem se faz de cordeiro, o lobo o devora. 

1389. Agnus Dei. [Da liturgia católica] O cordeiro de Deus. VIDE:  Ecce agnus Dei, ecce qui tollit peccatum mundi. 

1390. Agrestem ne contemnas oratorem. [Apostólio 1.28] Não desprezes o orador rústico.  Debaixo de ruim capa há um bom dizedor.  As aparências enganam.  Agrestem ne contemneres rhetorem. [Schottus, Adagia 335] VIDE:  Ne rusticanum temne, sodes, rhetorem.  Ne tenues fastidiamus.  Philosophantem rhetorem intellegunt pauci, loquentem rusticum multi.  Rusticanum oratorem ne contempseris.  Rusticum ne contempseris rhetorem.  Rusticum noli rhetorem contemnere.  Saepe sub palliolo sordido latet sapientia.  Saepe summa ingenia in occulto latent. 

1391. Agri fusci optimas dant fruges. [Bebel, Proverbia Germanica 43] Terras negras dão ótimas colheitas.  Diz o rifão: terra negra dá bom pão.  Galinha preta põe ovo branco. VIDE:  Etiam atra gallina candida ova excludit.  Fuscus ager fructus et farra ministrat opima.  Nigrae vaccae album lac praebent.  Praebet candoris lac nigri vacca coloris.  Saepe seges melior in nigris pullulat agris.  

1392. Agri non omnes frugiferi sunt qui coluntur. [Cícero, Tusculanae Disputationes 2.13] Nem todos os campos que se cultivam são produtivos. 

1392b. Agricolam impigrum esse oportet. [Wander 26] É preciso que o agricultor seja diligente.

1393. Agricola semper dives annum in proximum. [Schottus, Adagia 38] O camponês sempre (será) rico no próximo ano.  Agricola semper in futurum dives est. [Apostólio 1.56] VIDE:  Semper agricola dives in novum annum.  Semper rusticus in sequentem annum est dives. 

1394. Agricolae ad duas metas dirigere debent, ad utilitatem et voluptatem; utilitas quaerit fructum, voluptas delectationem. [Varrão, De Agri Cultura 1.4] Os agricultores devem visar a dois objetivos: a utilidade e o prazer; a utilidade busca o lucro, o prazer busca a satisfação. 

1395. Agros et civitates sapientia, et navim gubernat. [Schrevelius 1171] A sabedoria pilota tanto os campos e as cidades como o navio. 

1396. Agunt opus suum fata. [Sêneca, De Consolatione 21.7] O destino cumpre sua tarefa. 

1397. Ais, aio; negas, nego. [Bernardes, Nova Floresta 2.242] Dizes que sim, digo eu também; não queres, eu também não quero. VIDE:  Negat quis, nego; ait, aio.

1398. Ait praetor: si non habebunt advocatum, ego dabo. [Ulpiano, Digesta 3.1.1.4] Diz o pretor: Se não tiverem advogado, eu lhes darei.

1399. Aiunt, aio; negant, nego. Afirmam, eu afirmo; negam, eu nego. 

1400. Aiunt divinare sapientem. [S.Jerônimo] Dizem que o sábio sabe prever.  

1401. Aiunt enim multum legendum, non multa. [Plínio Moço, Epistulae 7.9.15] Dizem que se deve ler muito, não muitas coisas.  Livros e amigos, poucos e bons. VIDE:  Multum legendum, non multa.  

1402. Aiunt fertiles in Oceano iacere terras ultraque Oceanum rursus alia litora, alium nasci orbem. Facile ista finguntur, quia Oceanus navigari non potest. [Sêneca Retórico, Suasoriae 1.1.1] Dizem que há terras férteis no oceano, e que além do oceano há outras praias, começa outro mundo. É fácil fantasiar essas coisas, pois o oceano não pode ser navegado. 

1403. Aiunt solere senem rursum repuerascere. [Plauto, Mercator 295] Dizem que o velho costuma voltar a ser criança.  O velho torna a engatinhar. VIDE:  Bis puer senex.  Bis pueri senes.  Senectus est velut altera pueritia.  Senes bis pueri.  Senex bis puer. 

1404. Alas accidere. [DAPR 43]  Cortar as asas.

1405. Alata aetas. [Binder, Thesaurus 104] O tempo tem asas. 

1406. Alauda non est sine crista. [Grynaeus 360] Não há andorinha sem crista.  A acha sai ao madeiro.  Filho de gato mata rato. VIDE:  Nec alauda est absque crista. 

1407. Alba avis. [Cícero, Ad Familiares 7.28.2] Um pássaro branco. (=Um fato favorável. Algo raro). 

1408. Alba avis volabat. [Schottus, Adagia 645] Uma ave branca estava voando. (=A sorte estava favorável). 

1409. Alba charta. [VES 19] O papel branco. A carta branca. (=Carta branca. Autorização plena dada a alguém para agir como achar conveniente). 

1410. Alba decent fuscas. [Ovídio, Ars Amatoria 3.191] O branco assenta bem nas morenas. 

1411. Alba ligustra cadunt, vaccinia nigra leguntur. [Virgílio, Eclogae 2.18] As brancas alfenas caem, colhem-se as negras bagas.  A alva neve pisam-na os cavalos; a pimenta negra, comem-na os fidalgos. 

1412. Alba linea signare. [DAPR 496] Assinar com linha branca.  Passar a esponja em algo. 

1413. Alba nautis stella refulsit. [Horácio, Carmina 1.12.27] A estrela branca brilhou para os marinheiros. 

1414. Alba sicut nix. [Vulgata, Mateus 17.2] Brancas como a neve. 

1415. Albae gallinae filius. [Erasmo, Adagia 1.1.78] Filho de uma galinha branca. (=Um homem de sorte). VIDE:  Filius gallinae albae.  Tu gallinae filius albae, nos viles pulli nati infelicibus ovis? 

1416. Albo corvo rarior. [Erasmo, De Copia Verborum 71] Mais difícil de encontrar que um corvo branco. VIDE:  Aquila alba.  Corvo quoque rarior albo.  Corvus albus. 

1417. Albo lapillo notare diem. [Plínio Antigo, Naturalis Historia 7.40.41] Marcar o dia com uma pedra branca. (=Considerá-lo feliz).  Albo notanda lapillo dies. Dia que se deve marcar com uma pedra branca. (=Um dia feliz).  Albo notanda dies lapillo. [Júlio Ribeiro, A Carne, Capítulo 13]  Albo signanda lapillo dies. VIDE:  Dies albo notanda lapillo.  Dies albo signanda lapillo.  Dies aureo signanda lapillo.  Nigro notanda lapillo dies. 

1418. Album calculum addere. [Erasmo, Adagia 1.5.53] Colocar uma pedrinha branca. (=Aprovar. Absolver). 

1419. Album colorem ab atro non distinguit. [Grynaeus 432] Ele não faz distinção entre o branco e o preto. 

1420. Album et nigrum novit. Conhece o branco e o preto. (=Conhece o mal e o bem). 

1421. Album nigrum et de nigro album. Fazer do branco preto e do preto branco. 

1422. Album tibi panem pinso. [Dumaine 238] Estou preparando pão branco para ti. 

1423. Albus an ater sit ignoras. [Cícero, Philipicae 2.16.41] Não sabes se é branco ou preto. (=Não lhe dás a menor importância).  Albus an ater sit, nescio. [Erasmo, Adagia 1.6.99] Não sei se é branco ou preto.  Albus an ater sit non curo. Não me importo se é branco ou preto. VIDE:  Natum non novi.  Nomine tantum novit.

1424. Albus aterve. Branco ou preto. (=É indiferente).  Albus aut ater. 

1425. Albus calculus. Uma pedrinha branca. (=Um homem feliz). 

1426. Albus dies. [Grynaeus 105] Um dia branco. (=Um dia feliz. Um dia favorável). 

1427. Albus Liber. [Jur / Black 88] Livro Branco. (=Um livro antigo contendo uma compilação da lei e dos costumes da cidade de Londres). 

1428. Alcinoo poma dare. [Ovídio, Ex Ponto 4.2.10] Dar frutas a Alcínoo. (=Alcínoo era festejado pelo seu amor à agricultura).  Levar água ao mar.  Levar ferro a Biscaia. VIDE:  Crocum in Ciliciam ferre. Noctuas Athenas afferre.  In silvam non ligna feras.  In silvam ne ligna feras, nec in mare aquam.  In silvam ligna ferre.  Lapidem mittere ad acervum Mercurii.  Ligna in silvam fers.  Noctuas Athenas portare.  Noctuas Athenas mittere.  Noctuam Athenas.  Noctuas Atheniensibus.  Sicut qui mittit lapidem in acervum Mercurii, ita qui tribuit insipienti honorem.  Sidera caelo additis.  Silvam lignum ferre. 

1429. Ale flammam. [Divisa] Alimenta a chama. VIDE:  Alere flammam. 

1430. Ale luporum catulos. [Erasmo, Adagia 2.1.86] Alimenta filhotes de lobos.  Acalenta a serpente, que ela te dará o pago.  Criai o corvo, tirar-vos-á os olhos.  Ale catulos lupi. [Pereira 100] Alimenta filhotes do lobo. VIDE:  Alis catulos lupi.  Alis luporum catulos.  Colubram foves in sinu.  Colubrum foves in sinu.  Colubrum in sinu fove.  Leonis catulum ne alas.  Malos tueri haud tutum.  Pabula da corvis, dement tibi lumina corvi.  Pasce canes qui te lanient.  Quos ipse alueris, tibi invenire maxime contrarios.  Serpens eiciundus e domo.  Tu viperam sub alis nutricas.  Tu viperam sub ala nutricaris.  Viperam in sino alit.  Viperam sub ala nutricaris. 

1431. Alea fortunae fortes examinat; aurum in fornace, fides anxietate nitet. A imprevisibilidade da sorte prova os fortes; o ouro se mostra na fornalha, a fidelidade, no sofrimento. 

1432. Alea iacta est. O dado está lançado.  O jogo está feito!  A sorte está lançada!  Agora seja o que Deus quiser!  Alea iacta esto. [Erasmo] Que o dado seja lançado. VIDE:  Iacta alea est!  Omnem iacere aleam. 

1433. Alea iudiciorum. A incerteza dos julgamentos. O risco dos julgamentos. 

1434. Alea multis exitio fuit. Os dados foram a desgraça de muitos. 

1435. Alea non facit omnia. Não é a sorte que decide tudo. 

1436. Alea turpis, turpe et adulterium mediocribus. [Juvenal, Satira 11.174] Os jogos de azar são indecentes para os medíocres, o adultério também. 

1437. Alea, vina, Venus, per quae sum factus egenus. Jogo, vinho, amor, por causa deles fiquei na miséria.  Jogo, mulher e bebida, casa perdida.  Alea, vina, Venus, tribus his sum factus egenus. Jogo, vinho, amor, por esses três fiquei na miséria. VIDE:  Dives eram dudum, fecerunt me tria nudum: alea, vinum, Venus, per quae sum factus egenus.  Haec tria perdunt hominem: vinum, femina, tesserae.  Qui in vino indulget, quemque alea decoquit, ille in venere putret.  Vinum, mulier, tesserae: tria mala. 

1438. Aleam emere. [Binder, Thesaurus 110] Comprar um dado de jogar. (=Comprar correndo risco).  Comprar nabos em saco. 

1439. Aleam fuge. [Dionísio Catão, Monosticha 47] Foge dos jogos de azar. 

1440. Aleam invenit daemon. [Bernham's Book of Quotations] Foi o diabo que inventou o dado. 

1441. Aleator quanto in arte est melior, tanto est nequior. [Publílio Siro] Quanto mais habilidoso o jogador, mais perigoso. 

1442. Alere flammam. [Divisa] Alimentar a chama. Manter viva a chama. Alere flammam veritatis. [Divisa] Manter viva a chama da verdade. VIDE:  Ale flammam.

1443. Alexander victor tot regum atque populorum irae succubuit. [Sêneca, Epistulae Morales 113.29] Alexandre, vencedor de tantos reis e povos, sucumbiu à ira. 

1444. Alga vilior. Vale menos que uma alga.  Não vale um caracol. VIDE:  Cassa nuce non emam.  Exiguum oboli pretium.  Ne allii quidem caput.  Parvum oboli pretium.  Vilior alga. 

1445. Alget qui non ardet. [Divisa] Quem não arde, fica gelado. 

1446. Alia aestivo, atque hiberno tempore fiunt. [Manúcio, Adagia 315] No verão fazem-se coisas diferentes das que se fazem no inverno.  Cada coisa a seu tempo.  Todas as coisas têm seu tempo, e os nabos no Advento.  Alia aestate, alia hieme. [Pereira 123] Algumas coisas no verão, outras no inverno. VIDE:  Alia hieme, alia aestate.  Nonne videmus alia florere verno tempore, alia aestivo? 

1447. Alia aetas alios mores postulat. [Medina 602] Época diferente exige costumes diferentes.  Os tempos não são iguais.  Outros tempos, outros costumes. VIDE:  Aliam aetatem alia decent. 

1448. Alia aliis placent. [Grynaeus 585] Coisas diferentes agradam a pessoas diferentes.  Cada qual com seu gosto.  Alia apud alios bona. [Erasmo, Chiliades 32] Entre pessoas diferentes são consideradas boas coisas diferentes.  Alia aliis conveniunt. A pessoas diferentes convêm coisas diferentes. VIDE:  Alii aliis rebus delectantur.  Aliis alia placent.  De gustibus non est disputandum.  Delectant alia alios.  Diversa sunt hominum studia.  Non eadem miramur.  O quam varia sunt hominum studia!  Sua cuique voluptas.  Suo quisque studio gaudet. 

1449. Alia clariora, alia maiora. [Plínio Moço, Epistulae 3.16.1] Umas ações são mais famosas, outras são mais importantes. 

1450. Alia claritas solis, alia claritas lunae, et alia claritas stellarum. [Vulgata, 1Coríntios 15.41] Uma é a claridade do sol, outra é a claridade da lua, e outra a claridade das estrelas. VIDE:  Stella enim a stella differt in claritate. 

1451. Alia committenda, alia celanda. [Erasmo, Adagia 3.10.20] Umas coisas devem-se dizer, outras, ocultar. VIDE:  Alia dicenda, alia reticenda. 

1452. Alia condicio oratorum, alia poëtarum. [Plínio Moço, Epistulae 9.26.8] Uma é a liberdade dos oradores, outra a dos poetas. 

1453. Alia dantur, alia negantur. [Erasmo, Adagia 3.9.1] Algumas coisas se concedem, outras se recusam. 

1454. Alia diaeta, vita et alia. [Schottus, Adagia 619] Dieta diferente, vida também diferente. VIDE:  Alia vita, alia diaeta.  Alia vita, alius victus. 

1455. Alia dicenda, alia reticenda. [Homero / Dumaine 247] Há coisas que devem ser ditas, outras que devem ser caladas. VIDE:  Alia committenda, alia celanda. 

1456. Alia dicis ac sentis. Dizes coisa diferente do que sentes. 

1457. Alia dicunt, alia faciunt. [Grynaeus 315] Dizem umas coisas, fazem outras. 

1458. Alia erit ratio incidendi lignum propter domum construendam, et alia propter navim. [Dante, De Monarchia 1.2.42] Um é o critério para o corte da madeira para construir uma casa, outro, para construir um barco. 

1459. Alia erudita, alia popularis oratio. [Cícero, Paradoxa 1, adaptado] A linguagem dos homens cultos é uma, a do povo é outra. VIDE:  Aliam enim videtur habere naturam sermo vulgaris, aliam viri eloquentis oratio. 

1460. Alia est auctoritas praesentium testium, alia testimoniorum quae recitari solent. [Digesta 22.5.3.4] Uma coisa é a autoridade das testemunhas presentes, outra a dos depoimentos que se costumam ler. 

1461. Alia ex aliis eveniunt. Umas coisas nascem de outras. 

1462. Alia ex aliis mala oriuntur. Uns males nascem de outros. 

1463. Alia ex aliis nascentur bella. [Petrarca, Africa 2.125] Umas guerras nascem das outras. 

1464. Alia hieme, alia aestate. Umas coisas no inverno, outras no verão.  Cada coisa a seu tempo.  Todas as coisas têm seu tempo, e os nabos no advento. VIDE:  Alia aestivo, atque hiberno tempore fiunt.  Alia aestate, alia hieme.  Nonne videmus alia florere verno tempore, alia aestivo? 

1465. Alia noctuae, alia vox coturnicis. A voz da coruja é uma, a da codorniz é outra.  Cada passarinho canta a sua canção.  Cada um fala como quem é.  Cada qual como Deus o fez.  Alia noctuae, alia vox cornicis. [Manúcio, Adagia 817] Uma é a voz da coruja, outra a da gralha. VIDE:  Alia voce psittacus, alia voce coturnix loquitur.  Aliud cornix, et noctua cantat.  Aliud noctua sonat, aliud cornix.  Alium noctua, cornix alium sonum edit.  Canit avis quaevis sicut rostrum sibi crevit.  Doribus dorice loqui fas est.  Habent sua verba miseri, sua verba felices.  Index est animi sermo.  Qualia verba viri, talis et ipse vir est.  Sermo index animi.  Tale ingenium, talis oratio.  Unusquisque prout recipit sua commoda, fatur.  Ut quisque fortuna utitur, ita loquitur.  Ut vivat, quemque etiam dicere.  Verba sunt indices animi.  Viri nota ore proprio dignoscitur. 

1466. Alia res sceptrum, alia plectrum. [Erasmo, Adagia 4.1.56] Uma coisa é o cetro, outra o plectro. VIDE:  Aliud sceptrum, aliud plectrum. 

1467. Alia sunt tempora, alii mores.  Outros tempos, outros costumes.  Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. [Camões, Soneto 92]  Alia tempora, alii mores.  Alia tempora, alii mores; aliae quoque leges sint necesse est. São outros os tempos, são outros os costumes; é preciso, portanto, que haja outras leis. VIDE:  Nunc hic dies aliam vitam affert, alios mores postulat. 

1468. Alia tentanda est via. [Sêneca, Oedipus 392] Deve-se procurar outro caminho. 

1469. Alia terra alios mores postulat. Outra terra exige outros costumes.  Cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso. VIDE:  Aliud regnum alios mores postulat.  Mores hominis regioni respondent.  Qualis fusus, talis colus.  Quot regiones, tot mores.  Regio quaeque suis utitur legibus.  Si fueris Romae, Romano vivito more.  Sunt usus rerum totidem, quot climata mundi.  Suus est mos cuique genti.  

1470. Alia vice. Outra vez. Em outra ocasião. Mais uma vez. 

1471. Alia vita, alia diaeta. [Erasmo, Adagia 1.9.6] Vida diferente, alimentação diferente.  Alia vita, alius victus. [Apostólio 2.76] VIDE:  Alia diaeta, vita et alia. 

1472. Alia vita, alia vivendi ratio. [Grynaeus 261] Vida diferente, outra maneira de viver.  Alia vita, alia victus ratio. [Schottus, Adagia 178] 

1473. Alia vita alios mores postulat. Vida diferente exige costumes diferentes.  Cada um vive a seu modo. 

1474. Alia voce psittacus, alia voce coturnix loquitur. [Erasmo, Adagia 2.5.59] Com uma voz fala o papagaio, com outra voz a codorniz.  Cada passarinho canta sua canção.  Cada qual como Deus o fez. VIDE:  Alia noctuae, alia vox coturnicis.  Aliud cornix, et noctua cantat.  Aliud noctua sonat, aliud cornix.  Alium noctua, cornix alium sonum edit.  Canit avis quaevis sicut rostrum sibi crevit. 

1475. Aliae autem donationes sunt quae sine ulla mortis cogitatione fiunt, quas inter vivos appellamus. [Institutiones 2.7.2] Há outras doações que se fazem sem qualquer pensamento de morte, as quais denominamos (doações) entre vivos. VIDE:  Inter vivos. 

1476. Aliae in historia leges observandae, aliae in pöemate. [Cícero, De Legibus 1.5] Umas sãos as regras que devem ser observadas na história, outras no poema. 

1477. Aliae viae aliis efficaciores. [Grynaeus 190] Modos diferentes são mais eficazes para pessoas diferentes.  Cada um é um. 

1478. Aliam aetatem alia decent. [Erasmo, Adagia 3.9.32] A tempo diferente convêm coisas diferentes.  Os tempos não são iguais.  Outros tempos, outros costumes. VIDE:  Alia aetas alios mores postulat.  Non omnibus annis omnia conveniunt.  Sua cuique rei tempestivitas. 

1479. Aliam enim videtur habere naturam sermo vulgaris, aliam viri eloquentis oratio. [Quintiliano, Institutio Oratoria 12.43] Vê-se que tem uma natureza a linguagem vulgar, e outra a linguagem do homem eloqüente. VIDE:  Alia erudita, alia popularis oratio. 

1480. Aliam quercum excute! [Apostólio 2.46] Vai derrubar outro carvalho!  A outro perro com esse osso.  Bater a outra porta, que esta não se abre. VIDE:  Alterius pulsa fores.  Os rosum rodere non possum.  Tollat te qui non novit. 

1481. Alias. De outra maneira. Aliás. Em outro momento.  Alias dictum. Dito de outro modo. 

1482. Alias secundis, alias adversis rebus. De um modo na prosperidade, de outro na adversidade. 

1483. Alibi. Em outra parte. Em outro lugar. Alhures. (=Em linguagem jurídica, alegar um álibi significa oferecer provas de que o acusado se encontrava em outra parte ao ser cometido o fato delituoso). 

1484. Alibi tumet Corinthus, aliubi cava est. [Manúcio, Adagia 582] Corinto, em alguns lugares se eleva, em outros se abaixa.  Salamanca, a uns sara, a outros manca. VIDE:  Corinthus et collibus surgit, et vallibus deprimitur. 

1485. Alibi natus. Nascido em outro lugar. Estrangeiro. 

1486. Alibi tu medicamentum obligas. Amarras a atadura em lugar errado. (=Corries um erro com outro).  Alibi medicamentum obligas. 

1487. Aliena capella gerit distentius uber. [Horácio, Sermones 1.1.110, adaptado] A cabrita do vizinho carrega tetas mais cheias.  A cabra da vizinha dá mais leite que a minha. VIDE:  Aliena nobis, nostra plus aliis placent.  Vicinum pecus grandius uber habet. 

1488. Aliena claritudo, si tuam non habes, splendidum te non efficit. [Boécio, De Consolatione Philosophiae 3.6, adaptado] Si tu não tens luz própria, a luz alheia não te tornará brilhante. 

1489. Aliena concupiscere noli. Não cobices o alheio. 

1490. Aliena curanda non sunt. Não devemos cuidar das coisas alheias. VIDE:  Aliena negotia curans, excussus propriis.  Alienos rigas agros, tuis sitientibus.  Alienos agros irrigas, tuis sitientibus.  Propria prius quam aliena curanda. 

1491. Aliena gratia. [Jur] Em favor de terceiro. Por interesse de terceiro. 

1492. Aliena insania frui. [Pereira 104] Tirar proveito da loucura alheia.  Experimentar em cabeça alheia. VIDE:  Aliena optimum frui insania.  Optimum aliena insania frui. 

1492b. Aliena laudat, qui genus iactat suum. [Florilegium Ethico-Politicum 1.4]  Quem sua geração gaba, coisa alheia louva. VIDE:  Ea nostra sunt, quae virtute propria fecimus.  Qui genus iactat suum, aliena laudat. 

1493. Aliena melius vident homines quam sua. Os homens vêem melhor o alheio do que o próprio.  Vemos um argueiro no olho do vizinho e não uma trave no nosso.  O macaco vê o rabo da cutia, mas não vê o seu.  Aliena melius vident et diiudicant quam sua. Eles vêem e julgam melhor as coisas alheias do que as suas.  Aliena melius ut videant et diiudicent quam sua. [Terêncio, Heauton Timorumenos 503] Para que vejam e julguem melhor as coisas alheias do que as suas. VIDE:  Aliena vitia in oculis habemus, a tergo nostra sunt.  Alterius vitium acute cernis, et tua non vides.  Cernere festucam mos est in fratris ocello, in propriis oculis non videt ipse trabem.  Festucam in oculo fratris cernimus; at in proprio ne trabem quidem animadvertimus.  Festucam in alterius oculo vides, in tuo trabem non vides.  Homines aliena melius vident et diiudicant quam sua.   Homines plus in alienis negotiis vident quam in suo.  In alienis vitiis lyncei sumus, in nostris caeci.  In alienis vitiis oculati, in nostris caeci.  In alio pediculum vides, in te ricinum non vides.  In propriis vitiis talpae, in alienis lynces sumus.  Lynx foris, talpa domi.  Non videmus manticae quod in tergo est.  Praecedenti spectatur mantica tergo.  Quid autem vides festucam in oculo fratris tui, et trabem in oculo tuo non vides?  Quid autem vides festucam in oculo fratris tui, trabem autem, quae in oculo tuo est, non consideras? 

1494. Aliena negotia curo excussus propriis. [Horácio, Sermones 2.3.20] Cuido dos negócios alheios, mas fico afastado dos meus.  Aliena negotia curans, excussus propriis. [Grynaeus 39] Cuidas dos negócios alheios, mas ficas afastado dos próprios.  Aproveitas a outros e a ti esperdiças. VIDE:  Aliena curanda non sunt.  Alienos rigas agros, tuis sitientibus.  Alienos agros irrigas, tuis sitientibus. 

1495. Aliena negotia exacto officio geruntur. [Jur / Black 91] Os negócios alheios devem ser administrados com muita atenção. 

1496. Aliena nobis, nostra plus aliis placent. [Publílio Siro] A nós agradam mais as coisas alheias, aos outros, as nossas.  A galinha da vizinha é mais gorda que a minha.  A cabra da vizinha dá mais leite que a minha. VIDE:  Aliena capella gerat distentius uber.  Alienum nobis, nostrum plus aliis placet.  Fertilior seges est alieno in arvo.  Maiorque videtur et melior vicina seges. Nulli ad aliena respicienti sua placent.  Pinguius est lardum vicini semper in olla.  Quod domi non est, et habet vicinus, amatur.  Vicinum pecus grandius uber habet. 

1497. Aliena noli curare. [Gaal 56] Não te preocupes com negócios alheios. 

1498. Aliena optimum frui insania. [MacDonnel 7] É muito bom aproveitar da loucura alheia.  O tolo faz o jantar, e o esperto come-o. VIDE:  Optimum est aliena insania frui.  Optimum aliena insania frui. 

1499. Aliena ornatus veste nudatus contumeliose abit. [Branco 326] Que se enfeita com a roupa alheia, acaba afrontosamente despido.  Quem o alheio veste, na praça o despe. VIDE:  Indutus rapto nudus abire parat.  Qui furtim accipit, palam exsolvit.  Res parta furto durabit tempore curto. 

1500. Aliena pericula, cautiones nostrae. [Geffrey Whitney, Choice of Emblems 154] As experiências dos outros são advertências para nós.  Mal alheio dá conselho.  Quando o sandeu se perdeu, o sisudo aviso colheu.  Aliena peccata nos cautiores efficiunt. Os erros dos outros nos fazem mais precavidos. VIDE:  Accensa domo proximi, tua quoque periclitatur.  Bonum est fugienda aspicere in alieno malo.  Casus dementis correctio fit sapientis.  De alieno disce periclo.  Ex alieno periculo sapiens se corrigit et emendat.  Ex vitio alterius sapiens emendat suum.  Feliciter sapit qui alieno malo sapit.  Feliciter sapit qui periculo alieno sapit.  Felix, alterius cui sunt documenta flagella.  Felix est quem faciunt aliorum cornua cautum.  Felix quem faciunt aliena pericula cautum.  Felix quicumque dolore alterius discere posse cavere suo.  Nam tua res agitur, paries cum proximus ardet.  Optimum est aliena frui experientia.  Periculum ex aliis facito tibi quod ex usu sit.  Quid cautus caveas aliena exempla docebunt.  Saepius emendant incautum damna aliena, flammarumque minae vicino ardente timentur.  Satis exemplorum nobis alienae praebent calamitates.  Vita est nobis aliena magistra.  

1501. Aliena quaerens regna, deserui mea. [Sêneca, Medea 477] Para ganhar um reino estrangeiro, abandonei o meu. 

1502. Aliena res. [Jur / Black 92] Propriedade alheia. 

1503. Aliena spectans, doctus evasi, mala. [Manúcio, Adagia 41] Vendo os males alheios, fiquei sabido.  Mal alheio dá conselho. 

1504. Aliena vero negotia exacto animo geruntur. [Jur] Os negócios alheios são administrados com cuidado extremo. 

1505. Aliena vitia in oculis habemus, a tergo nostra sunt. [Sêneca, De Ira 2.28.8] Os vícios alheios, nós os temos ante nossos olhos; os nossos estão às nossas costas.  O macaco olha o rabo da cutia e não vê o seu.  Não vê a trave que tem no olho e vê um argueiro no do vizinho.  Não há cego que se veja, nem torto que se conheça. VIDE:  Alterius vitium acute cernis, et tua non vides.  Cum accusas alium, propriam prius inspice vitam.  Eice primum trabem de oculo tuo, et tunc perspicies ut educas festucam de oculo fratris tui.  Foeda tui cordis respice, mutus eris.  In alienis vitiis lyncei sumus, in nostris caeci.  In alienis vitiis oculati, in nostris caeci.  In alio pediculum vides, in te ricinum non vides.  In tuum ipsius sinum inspice.  In te descende!  Non soles respicere te, cum dicas iniuste alteri?  Non videmus manticae quod in tergo est.  Nosce teipsum.  Papulas observatis alienas, obsiti plurimis ulceribus.  Peras imposuit Iuppiter nobis duas: propriis repletam vitiis post tergum dedit, alienis ante pectus suspendit gravem.  Praecedenti spectatur mantica tergo.  Proprium est stultitiae aliorum vitia cernere, oblivisci suorum.  Quando voles alios verbis mordere caninis, foeda tui cordis respice, mutus eris.  Qui alteri vult iniuste dicere, se prius respiciat.  Vitia qui aliorum punit, sua prius corrigere debet. 

1506. Aliena vivere quadra. [Juvenal, Satirae 5.2] Viver do pão alheio.  Viver à custa da barba longa. VIDE:  Bona summa putes aliena vivere quadra.  Miserum est aliena vivere quadra. 

1507. Alienam metis messem. [Aristófanes / Erasmo, Adagia 1.4.41] Tu segas a seara alheia.  Metei-vos onde não vos chamam.  Metes o nariz onde não te compete.  Não te metas onde não és chamado.  Não te metas na réstea sem ser cebola.  Não metas a foice em seara alheia.  Alienam messem metis. [Apostólio 2.69] VIDE:  Alterius hic messem metis.  Ex aliena arbore fructum legis.  Falcem in messem alienam mittere nemo debet.  Falcem in messem alienam inicere non licet.  Falcem in segetem alienam noli mittere.  In alieno choro pedem ne ponas.  In alieno choro qui pedem ponit non bene facit.  Messem metis alienam.  Metis ubi non seminasti, et congregas ubi non sparsisti.  Ne depugnes in alieno negotio.  Ne in alienam messem falcem mittas.  Ne pugnes de alieno.  Non depugnes in alieno negotio. Non falx mittenda in messem est alienam tibi.  Quae non posuisti, ne tollas.  Sub aliena arbore fructum legis.  Tuam ipsius terram calca.  Ut vites poenas, non tangas res alienas.  Vicini in messem nolito mittere falcem. 

1508. Alienam qui orat causam se culpat reum. [Publílio Siro] Quem defende causa de outrem, inculpa-se como réu. 

1509. Alienam virtutem et bonum alienum invidi oderunt. Os invejosos odeiam a virtude e o bem alheio. VIDE:  Virtutem et bonum alienum oderunt. 

1510. Alienam vitam et bona salvare. [Divisa do Corpo de Bombeiros / J. Braga Martins, Migalhas de Língua Latina e de Educação Musical] Proteger a vida e os bens alheios. 

1511. Alienare qui non potest, nec alienatione consentire. [Jur] Quem não pode alienar também não pode consentir na alienação. 

1512. Alienare videtur qui rem suam patitur usucapi. [Jur] Entende-se que aliena quem permite que bem seu seja usucapto. 

1513. Alienatio, omnis actus per quem dominium transfertur. [Codex Iustiniani 5.23.1] Alienação é todo ato pelo qual se transfere o domínio. 

1514. Alienatio rei. [Jur] A alienação da coisa. 

1515. Alienatus a se. Fora de si. (=Alienado. Louco). 

1516. Alieni appetens, sui profusus. [Salústio, Catilina 5.1] Ávido do alheio, dissipador do próprio. 

1517. Alieni arbitrii et sub paedagogo fuit. [Suetônio, Claudius 2] Perdeu a independência e ficou sob a direção de um pedagogo. 

1518. Alieni generis. De outra espécie. 

1519. Alieni iuris. (Pessoa) de direito alheio. (=Pessoa submetida aos poderes de outra pessoa. Pessoa juridicamente incapaz). VIDE:  Alieno iuri subiectus.  Non sui iuris.  Persona alieni iuris.  Persona non sui iuris. 

1519b. Alieni temporis flores. [Riley 16] Flores de um tempo que passou. 

1520. Alienis abstine. Fica longe do alheio.  O alheio chora por seu dono.  Alienis abstine, maxime amicorum. Abstém-te do alheio, especialmene do que é dos amigos. 

1521. Alienis malis discere. [Pereira 104] Aprender com os males alheios.  Aprender em cabeça alheia.  Experimentar em cabeça alheia.  Aprender à custa alheia. VIDE:  Alieno periculo sapere. 

1522. Alienis malis ridere. [Grynaeus 421]  Rir da desgraça alheia. 

1523. Alienis meritis non superbias. [L.Rhodin, Svenska Ordsprak 55] Não te vanglories com os méritos alheios.  Não te enfeites com as penas alheias. VIDE:  Respue quod non es. 

1524. Alienis plumis te ornas.  Enfeitas-te com as penas alheias.  Enfeitas-te com as penas do pavão.  Alienis plumis te exornas.  Alienis te coloribus adornas. Enfeitas-te com as cores dos outros.  Alienis pennis superbire. [Anton Bernolak, Grammatica Slavica 301] Brilhar com as penas alheias.  

1525. Alieno arbitrio. Sob o arbítrio de outrem. Conforme a vontade de outrem.  Alieno arbitrio agere. Agir sob as ordens de outrem.  Alieno arbitrio vivere. Viver sob o arbítrio de outrem.  Alieno arbitratu vivere. [Grynaeus 245] VIDE:  Alieno more vivere.  Alieno nutu vivere.  Alterius sub nutu degere vitam.  Alterius sub nutu degitur aetas.  Non ex alieno arbitrio pendet.  Suis stat viribus. 

1526. Alieno corio ludere facile. É fácil brincar com a pele do outro. VIDE:  De alieno ludit corio.  Ludis de alieno corio. 

1527. Alieno ferox praesidio. [Erasmo, Adagia 3.8.25] É valente sob a proteção de outrem.  É valente quando tem as costas quentes.  Alieno praesidio ferox. [Binder, Thesaurus 119]  Alieno auxilio potentes. [Erasmo, Adagia 3.9.37] São poderosos com a ajuda de outrem. 

1528. Alieno in loco haud stabile regnum est. [Sêneca, Hercules Furens 347] Governo em terra alheia não é estável. 

1529. Alieno iuri subiectus. [Jur] Pessoa submetida aos poderes de outra pessoa. (=Pessoa juridicamente incapaz). VIDE:  Alieni iuris.  Non sui iuris.  Persona alieni iuris.  Persona non sui iuris. 

1530. Alieno more vivendum est mihi. [Terêncio, Andria 151] Sou obrigado a viver conforme a vontade de outros. 

1531. Alieno nomine. [Jur] Em nome alheio. 

1532. Alieno nutu vivere. Viver conforme a vontade de outrem.  Alieno more vivere. VIDE:  Alieno arbitrio.  Alieno arbitrio vivere.  Alieno arbitratu vivere.  Alterius sub nutu degere vitam.  Alterius sub nutu degitur aetas.  Non ex alieno arbitrio pendet.  Suis stat viribus. 

1533. Alieno periculo lucrum capere. [Pereira 123] Tirar vantagem com o risco de outrem.  Tirar as castanhas do fogo com a mão do gato. 

1534. Alieno periculo sapere. [Branco 403] Escarmentar em cabeça alheia.  Aprender em cabeça alheia.  Experimentar em cabeça alheia. VIDE:  Alienis malis discere. 

1535. Alieno tempore. Em outro tempo. Em outro momento. Fora do tempo. 

1536. Alienos rigas agros, tuis sitientibus. [Pereira 96] Regas os campos alheios, enquanto os teus estão sedentos.  Aproveitas a outros e a ti esperdiças.  Alienos agros irrigas, tuis sitientibus. [Binder, Thesaurus 120] VIDE:  Aliena curanda non sunt.  Aliena negotia curans, excussus propriis.  Fundum alienum arat, incultum familiarem deserit. 

1537. Alienum aes, homini ingenuo, acerba est servitus. [Publílio Siro] As dívidas, para o homem honesto, são uma servidão amarga. 

1538. Alienum amamus, proximum contemnimus. [Grynaeus 537] Valorizamos o alheio; desprezamos o que está ao nosso alcance.  A cabra da minha vizinha dá mais leite que a minha. VIDE:  Ita plerique ingenio sumus omnes: nostri nosmet paenitet.  Fertilior seges est alieno in arvo.  Fertilior seges est alienis semper in agris.  Fertilior seges est alieno semper in agro.  Maiorque videtur et melior vicina seges.  Miramur enim exotica, cum interdum domi habeamus meliora.  Vicinum pecus grandius uber habet. 

1539. Alienum aras arvum. [Schottus, Adagia 619] Aras o campo alheio.  Não te importes com moitas que não são do teu alqueive.  Alienum arare fundum. [Erasmo, Adagia 3.1.42] Lavrar o campo alheio.  Alienum irrigare fundum. Regar o campo alheio. VIDE:  Fundum alienum arat, incultum familiarem deserit. 

1540. Alienum concupiscere noli. [Dionísio Catão, Monosticha 50] Não cobices o alheio. 

1541. Alienum est omne, quicquid optando evenit. [Publílio Siro] É dos outros tudo que se obtém mediante pedidos. 

1542. Alienum factum nemo promittere potest. [Jur] Ninguém pode prometer ato a ser praticado por outrem. 

1543. Alienum fundum arare. [Binder, Thesaurus 121] Arar terra alheia.  Meter a foice em seara alheia. VIDE:  Alienam messem metis. 

1544. Alienum nobis, nostrum plus aliis placet. [Publílio Siro] A nós agrada mais o alheio, aos outros, o nosso.  A galinha da vizinha é mais gorda que a minha. VIDE:  Aliena nobis, nostra plus aliis placet.  Alienum amamus, proximum contemnimus. 

1545. Alii affirmant, alii negant. Uns afirmam, outros negam. VIDE:  Quidam affirmant, alii negant. 

1546. Alii aliis opitulemur. Ajudemo-nos uns aos outros. 

1547. Alii aliis rebus delectantur. Pessoas diferentes gostam de coisas diferentes.  Cada qual com seu gosto. VIDE:  Alia aliis placent.  Alia apud alios bona.  Aliis alia placent.  Delectant alia alios. 

1548. Alii aliter. Outros (fariam) de outra maneira.  Cada um tem seu modo de catar pulgas.  Alii alio modo. VIDE:  Quot capita, tot sententiae.  Suus cuique mos. 

1549. Alii aliter sentiunt. Pessoas diversas sentem de modo diverso. 

1550. Alii aliter tradunt. Uns constam de uma maneira, outros, de outra. 

1551. Alii dividunt propria et ditiores fiunt, alii rapiunt non sua, et semper in egestate sunt. [Vulgata, Provérbios 11.24] Uns repartem o que é seu, e ficam mais ricos; outros arrebatam o que não é seu, e sempre estão em pobreza. 

1552. Alii homines, alii mores. Pessoas diferentes, costumes diferentes. VIDE:  Magis alii homines quam alii mores. 

1553. Alii laborarunt, alii fructum ceperunt. [Schottus, Adagia 188] Uns cultivaram, outros colheram o fruto.  Um semeia, outro colhe.  O bocado não é para quem o faz.  Nem sempre dança quem paga a música.  Alii laborarunt, lucrum alii reportarunt. [Schottus, Adagia 21] Uns trabalharam, outros ficaram com o lucro.  Alii laborabant, alii autem fruebantur. [Apostólio 2.60] Uns cultivavam, mas outros desfrutavam.  Alii laborarunt, alii perceperunt emolumentum. [Manúcio, Adagia 204] Uns trabalharam, os outros receberam o salário. VIDE:  Aedificant domos, et non habitabunt.  Alii sementem faciunt, alii metent.  Alii seminant, metent alii.  Alii serunt, alii metunt.  Alius est qui seminat, et alius est qui metit.  Alter lucrum tantum, alter damnum sentiret.  Alter occidit apros, alter pulpamento fruitur.  Conserit unus agrum, sed fruges demetit alter.  Ego apros occido, sed alter fruitur pulpamento.  Ego semper apros occido, sed alter semper utitur pulpamento.  Ego seram, et alius comedat.  Hic consevit agrum, sed fruges demetit alter.  Leonina societas.  Messem metis alienam.  Metis ubi non seminasti, et congregas ubi non sparsisti.  Non sibi, sed aliis aries sua vellera portat.  Sub aliena arbore fructum legis.  Tollis quod non posuisti, et metis quod non seminasti. 

1554. Alii laboraverunt, et vos in laborem eorum introistis. [Vulgata, João 4.38] Outros foram os que trabalharam, e vós entrastes nos seus trabalhos. 

1555. Alii linguam, alii molares. Uns (usam) a língua, outros (usam) os dentes. (=Uns são loquazes, outros, vorazes). VIDE:  Aliis lingua, aliis dentes.  Aliis lingua, aliis vero molares.  Alteri loquaces, alteri voraces.  Est lingua quibusdam, molares at aliis.  Illi enim loquaces, hi voraces. 

1556. Alii meliora dabunt. Outros darão coisas melhores. 

1557. Alii nunc sunt mores. [Plauto, Bacchides 402] Os costumes agora são outros.  Os tempos não são iguais. 

1558. Alii serunt, alii metunt. [Apostólio 2.54] Uns semeiam, outros colhem.  Um semeia, outro colhe.  O bocado não é para quem o faz.  Uns levantam a caça, outros a matam.  Alii sementem faciunt, alii metent. [Erasmo, Adagia 1.5.32] Uns fazem a sementeira, outros colherão.  Alii seminant, metent alii.  Alii serunt, alii metunt. VIDE:  Alii laborabant, alii autem fruebantur.  Alii laborarunt, alii fructum ceperunt.  Alii laborarunt, lucrum alii reportarunt.  Alius est qui seminat, et alius est qui metit.  Ego seram, et alius comedat.  Hic consevit agrum, sed fruges demetit alter. 

1559. Aliis alia licentia. Para pessoas diferentes liberdade diferente.  Uns são filhos, outros, enteados.  Nem tudo é para todos. VIDE:  Aliis si licet, tibi non licet.  Cuiuslibet non est Corinthum appellere.  Non cuilibet Corintho fas esse adnavigare.  Non cuivis homini contingit adire Corinthum.  Non est Corinthum fas cuique appellere.  Non est cuiuslibet Corinthum appellere.  Non est datum cuivis Corinthum appellere.  Non licet omnibus adire Corinthum.  Omnia nemo potest, non omnes omnia possunt.  Non omnium est virorum ad Corinthum navigatio.  Quod licet Iovi, non licet bovi.  Reges qui vivunt non omnia omnes possunt.  Velle licet, potiri non licet. 

1560. Aliis alia placent. [DAPR 330] A pessoas diferentes agradam coisas diferentes.  Uns gostam dos olhos, outros, da ramela.  Cada um tem seu gosto.  Gostos não se discutem.  Aliis aliae res arridentque, placentque. [Homero / Manúcio, Adagia 121] A pessoas diferentes favorecem e agradam coisas diferentes. VIDE:  Alia aliis placent.  Alia apud alios bona.  Alii aliis rebus delectantur.  Trahit sua quemque voluptas. 

1561. Aliis cavet, non cavet ipse sibi. [Ovídio, Ars Amatoria 1.84] Ele se previne contra os outros, mas não toma cuidado consigo mesmo.  O sandeu trata do alheio e deixa o seu. 

1562. Aliis inserviendo consumor. [Inscrição em vela] Eu me consumo servindo aos outros. 

1563. Aliis leporem excitavit. [Petrônio, Satiricon 131] Levantou a lebre para os outros.  Pôs a azeitona na empada de outro. 

1564. Aliis lingua, aliis dentes. [Erasmo, Adagia 3.2.72] Uns (usam) a língua, outros (usam) os dentes. (=Uns são loquazes, outros, vorazes).  Aliis lingua, aliis vero molares. [Apostólio 2.68] VIDE:  Alii linguam, alii molares.  Alteri loquaces, alteri voraces.  Est lingua quibusdam, molares at aliis.  Illi enim loquaces, hi voraces. 

1565. Aliis mederi conantes, cum ipsi ulceribus scateant. [S.Gregório Nazianzeno / Schottus, Adagialia Sacra 72] Procuram curar aos outros, quando eles mesmos estão cheios de feridas.  Casa de ferreiro, espeto de pau.  Aliis mederis, ipse plenus ulcerum. [Apostólio 2.57] Tratas dos outros e tu mesmo estás cheio de feridas.  Aliis medens, ipse ulceribus scates. [Rezende 230] VIDE:  Aliorum medicus, ipse ulceribus scates.  Aliorum medicus ipse vulneribus scatens.  Mederis aliis, ipse at ulceribus scates.  Sutor dissutus, et impexus tonsor. 

1566. Aliis ne feceris, quod tibi fieri non vis. [Grynaeus 437]  Não faças aos outros o que não queres que te façam. VIDE:  Alteri ne facias quod tibi fieri non vis.  Ne alteri feceris quod tibi non vis fieri.  Quod ab alio oderis fieri tibi, vide ne tu aliquando alteri facias.  Quod tibi fieri non vis, alteri ne feceris.  Quod tibi non optes, alii ne feceris ulli.  Quod tibi non vis fieri, alii ne feceris.  Quod tibi non vis fieri, alteri ne feceris.  Quod tibi non vis, alteri ne facies.  Quod tibi fieri non vis, alteri ne facias.  Quod tibi non vis, utinam alteri ne facias.  Quod sibi quis fieri non vult, alii ne faciat. 

1567. Aliis quia defit quod amant, aegre est; tibi, quia superest, dolet. [Terêncio, Phormio 162] Os outros são infelizes porque não têm o que amam; quanto a ti, sofres por teres mais do que desejas. 

1568. Aliis quod triste et amarum est, hoc tamen esse aliis possit praedulce videri. [Lucrécio, De Rerum Natura 4.637] O que para uns é triste e amargo para outros pode parecer extremamente doce. 

1569. Aliis regulas facimus, nobis exceptiones. Para os outros formulamos regras, para nós reservamos as exceções. 

1570. Aliis si licet, tibi non licet. [Terêncio, Heauton Timorumenos 796] Se aos outros é permitido, a ti não é.  Nem tudo é para todos.  Quem pode, pode.  Uns são filhos, outros, enteados. VIDE:  Aliis alia licentia.  Cuiuslibet non est Corinthum appellere.  Cum duo faciunt idem, non est idem.  Idem duo cum faciunt, non tamen est idem. Non cuilibet Corintho fas esse adnavigare.  Non cuivis homini contingit adire Corinthum.  Non est Corinthum fas cuique appellere.  Non est cuiuslibet Corinthum appellere.  Non est datum cuivis Corinthum appellere.  Non licet omnibus adire Corinthum.  Non omnium est virorum ad Corinthum navigatio.  Quod licet Iovi, non licet bovi. 

1571. Aliis tempora desunt; aliis tempora supersunt. [Sêneca, De Tranquillitate Animi 27.10] A uns falta tempo, a outros, sobra. 

1572. Alimenta cum vita finiri. [Digesta 2.15.8.10] Os alimentos se extinguem com a vida. 

1573. Alimenta denegans necare videtur. [Digesta 5.3.4] Considera-se que quem nega alimento mata. VIDE:  Necare videtur is qui alimonia denegat. 

1574. Alimenta solum debentur pro tempore quo alimentandus vivit. [Jur] Os alimentos somente são devidos pelo tempo em que vive quem deve ser alimentado. VIDE:  Alimenta cum vita finiri. 

1575. Alio relinquente fluctu, alius excepit. [Aristóteles / Erasmo, Adagia 1.6.34] Quando uma onda o deixou, outra o apanhou.  Fugindo do alcaide, caiu no meirinho. 

1576. Aliorum exempla me commovent. [Terêncio, Andria 812] Os exemplos dos outros me servem de advertência. 

1577. Aliorum medicus, ipse ulceribus scates. [Plutarco / Erasmo, Adagia 2.5.38] És médico de outros, mas tu mesmo estás coberto de feridas.  Aproveitas a outros e a ti esperdiças.  Aliorum medicus ipse vulneribus scatens. [Binder, Thesaurus 125] VIDE:  Aliis mederi conantes, cum ipsi ulceribus scateant.  Aliis mederis, ipse plenus ulcerum.  Aliis medens, ipse ulceribus scates.  Mederis aliis, ipse at ulceribus scates.  Flagitium est foris sapere, tibi non posse auxiliari.  Medice, cura te ipsum.  Medice, tibi ipsi medicus esto.  Nequicquam sapit qui sibi non sapit. 

1578. Alios adito penates. [Medina 584] Vai a outra casa.  A outra porta, que esta não se abre. 

1579. Alios docere volentes, quae et ipsi nesciunt et ignorant. [Nicolau Galico, Ignea Sagitta, Cap. 4] Querem ensinar aos outros o que eles mesmos não sabem e ignoram. VIDE:  Arroganter faciunt ii qui quod ipsi nesciunt, id docent ceteros. 

1580. Alios enim praesumitur male regere qui seipsum regere nescit. [Burton's Legal Thesaurus 269] Supõe-se, portanto, que quem não sabe governar a si mesmo, governa mal os outros. VIDE:  Absurdum est ut alios regat, qui seipsum regere nescit. 

1581. Alios ex ingenio suo metitur. [Branco 708] Julga os outros de acordo com a própria natureza.  Cada qual julga os outros por si.  Toda raposa pensa que todos têm o rabo comprido como o dela. VIDE:  Cum sis fur, alios esse fures suspicaris.  Cum sit fur, alios esse fures suspicatur.  Esse sibi similes alios fur iudicat omnes.  Ex se de aliis facit coniecturam.  Ex sua natura fingit ceteros.  Ex se de aliis facit coniecturam.  Ex suo ipsius ingenio quisque alios metitur.  Ex tuo ingenio alios iudicas.  Qualis quis est, talem et alium esse putat.  Tuo ex ingenio mores alienos probas. 

1582. Alios potes effugere, te autem numquam. [DM 59] De outros podes fugir, mas, de ti, nunca. 

1583. Alios salvos fecit, seipsum non potest. [Vulgata, Marcos 15.31] Salvou a outros, a si próprio não pode salvar. 

1584. Aliqua quisque parte imbecillus est maxime. [Alfred de Wailly, Nouveau Dictionnaire Français-Latin 396] Cada um é mais fraco em alguma coisa.  Cada um tem seu fraco.  Cada um tem seu pé de pavão. 

1585. Aliqua sunt iniuste facienda, ut multa iuste fieri possint. [Bacon, Advancement of Learning 2.21.11] Algumas coisas devem ser feitas injustamente, para que muitas mais possam ser feitas com justiça. 

1586. Aliquam reperitis rimam. [Plauto, Curculio 51] Encontrarás alguma brecha. (=Encontrarás uma saída para o impasse). 

1587. Aliquando bonus dormitat et Homerus. Até o bom Homero às vezes cochila.  Até o sábio se engana.  Aliquando dormitat et Homerus. Até Homero às vezes cochila. VIDE:  Dormitat et Homerus.  Indignor quandoque bonus dormitat Homerus.  Interdum etiam bonus dormitat Homerus.  Quandoque bonus dormitat Homerus.  Qui enim nimium invigilat, interdum dormitat.

1588. Aliquando enim, etiam si noceat, prodesse creditur quod delectat. [RSA 34] Embora às vezes prejudique, imagina-se que o que agrada faz bem. 

1589. Aliquando et insanire iucundum est. [Menandro / Sêneca, De Tranquillitate Animi 17.10] De vez em quando é bom dar uma de louco. VIDE:  Dulce est desipere in loco.  In loco desipere dulce est. 

1590. Aliquando gratius est quod facili, quam quod plena manu datur. [Riley 16] Às vezes é mais agradável o que é dado com gentileza do que o que é dado com fartura.  Tudo que cai na rede, é peixe. VIDE:  Multo gratius venit quod facili quam quod plena manu datur.  Quamvis sint modica, prosunt tamen omnia lucra. 

1591. Aliquando incutiendus est his metus, apud quos ratio non proficit. [Sêneca, De Ira 14.1] Às vezes é preciso recorrer ao medo com quem a razão não tem sucesso. 

1592. Aliquando magis movent non dicta quam dicta. Às vezes, tem mais força o que não se disse do que o que se disse. VIDE:  Interdum magis afficiunt non dicta quam dicta. 

1593. Aliquando non quaesita prodit veritas. Às vezes, a verdade aparece sem ser chamada.  A verdade por si se descobre. 

1594. Aliquando peccat vir etiam sapientior. [Luciani Samosatensis Colloquia Selecta 160] Às vezes, até o homem preparado erra.  Todo homem põe a mão no chão de quando em quando. 

1595. Aliquando pro facundia silentium est. [Bebel, Proverbia Germanica 287] Às vezes o silêncio substitui a eloqüência.  Silêncio também é resposta. VIDE:  Conviciis non respondendum.  Etiam tacere est respondere.  Inutilis quaestio solvitur silentio.  Me tacito, intellegetis.  Non ad rogata respondendum semper est.  Non minus interdum oratorium esse tacere quam dicere.  Non est omnium rerum reddenda ratio.  Saepe carent multa responsis verbula stulta.  Silentium sapientibus responsi loco est.  Tacendo iam dixi.  

1596. Aliquando qui lusit, iterum ludet. [Grynaeus 295] Quem enganou uma vez, enganará novamente.  Cesteiro que faz um cesto, faz um cento.  Quem faz uma vez faz duas e três.  Quem foi ruim, não deixa de ser. VIDE:  Canis a corio numquam absterrebitur uncto.  Cave illum semper, qui tibi imposuit semel.  Cavendum ab eo qui semel imposuit.  Expedit infido non iterare fidem.  Fallere qui didicit, fallere semper avet.  Falsus in uno, falsus in omnibus.  Fides in animum unde abiit vix unquam redit.  Improbe Neptunum accusat, qui iterum naufragium facit.  Intestina canem semel adgustasse periculum est.  Malus semel semper praesumitur malus.  Ne credas isti, semel a quo laesus abisti.  Periculosum est canem intestina gustasse.  Qui me laesit, item laedet, si laedere possit.  Qui nocuit primo, vult posse nocere secundo.  Qui primo nocuit, vult posse nocere secundo.  Qui semel est malus, is semper praesumitur esse.  Qui semel furatur, semper fur est.  Qui semel malus, semper malus.  Qui semel scurra, numquam paterfamilias.  Quod semel, et saepius. Scurra semel, numquam paterfamilias.  Semel malus, semper malus.  Taurum tollet, qui vitulum sustulerit.  Testis in uno falsus, in nullo fidem meretur.  

1597. Aliquando totum me, Fortuna, vicisti! [Petrônio, Satiricon 101.1] Finalmente, ó sorte, me venceste completamente! 

1598. Aliquem cane peius et angue vitare. [Freire 140] Fugir de alguém mais do que de um cão ou de uma cobra.  Fugir de alguém como o diabo da cruz. VIDE:  Eius consortium cane peius et angue vita.  Odit cane peius et angue. 

1599. Aliquem oculis torvis intueri. [DAPR 574]  Olhar alguém atravessado.  Aliquem truculenter aspicere. [DAPR 574] 

1600. Aliquid crastinus dies ad cogitandum nobis ea de re dabit. [Cícero, Ad Atticum 15.8] O dia de amanhã nos dará alguma coisa para pensar sobre essa questão. 

1601. Aliquid haeret. Alguma coisa está pegando. VIDE:  Audacter calumniare, semper aliquid haeret.  Calumniare fortiter, et aliquid adhaerebit.

1602. Aliquid in tali prato spinosum. [Codex Iustiniani 1.17.1.9] (Nasce) algo espinhoso nesse campo.  Não há rosa sem espinhos, nem bela sem senão. VIDE:  Spinosum aliquid in prato.

1603. Aliquid mali esse propter vicinum malum. [Plauto, Mercator 764] Por causa de um mau vizinho (sempre nos) acontece algo de mau.  Quem com mau vizinho vizinhar com um olho há de dormir e com o outro vigiar.  Má vizinha à porta é pior que lagarta na horta. VIDE:  Nihil molestius esse potest, quam in vicinum malum incidere.  Semper aliquid mali propter vicinum malum.

1604. Aliquid mali est vicinum malum habere. É mau ter um vizinho mau.  Mau vizinho à porta é pior que lagarta na horta. VIDE:  Vicinum habere malum magnum est malum.  Vicinus bonus, ingens bonum; vicinus malus, ingens malum.

1605. Aliquid novi. Algo de novo. Alguma novidade.

1606. Aliquid silentio melius loquere, aut tace. [Apostólio 9.76] Fala alguma coisa que valha mais que o silêncio, ou cala.  Antes calar que mal falar. VIDE:  Aut opportunum silentium, aut sermonem utilem habe.  Aut tace, aut loquere meliora silentio.  Malo tacere mihi quam mala verba loqui.  Melius tacere quam mala verba loqui.  Melius tacere quam falsa proferre.  Praestat silere quam stulte loqui.  Praestat tacere quam stulte loqui.  Praestat silere quam male loqui.  Tacere oportet, aut silentio potiora loqui.  Vel taceas, vel meliora dic silentio.

1607. Aliquis in omnibus, nullus in singulis. Alguém em tudo, ninguém em cada coisa. (=Superficial em tudo, profundo em nada).  Aprendiz de muitos ofícios não chega a mestre em nenhum deles. VIDE:  Multa novit, sed male novit omnia.  Multa sciebat opera, sed male sciebat omnia.  Petrus in cunctis, nihil in omnibus.

1608. Aliquis latet error. [Virgílio, Eneida 2.48] Nisso há alguma armadilha escondida.

1608b. Aliquis malo sit usus ab illo. [Moore 16] Tire-se algum proveito desse mal.

1609. Aliquis non debet esse iudex in propria causa. Ninguém deve ser juiz em causa própria.  Ninguém pode ser juiz em causa própria.  Aliquis non debet esse iudex in propria causa, quia non potest esse iudex et pars. [Jur / Broom 95] Ninguém deve ser juiz em causa própria, porque não pode ser juiz e parte. VIDE:  In propria causa nemo iudex.  Iniquum est aliquem rei suae esse iudicem.  Iniquum est aliquem suae rei iudicem fieri.  Iudex in causa propria nemo esse potest.  Ne quis in sua causa iudicet.  Nemo esse iudex in sua causa potest.  Nemo iudex in sua causa.  Nemo potest esse simul actor et iudex.  Nullus in sua causa iudex sit.

1610. Alis luporum catulos. [Dumaine 245] Estás alimentando filhotes de lobos.  Acalenta a serpente, que ela te dará o pago.  Criai o corvo, tirar-vos-á os olhos.  Alis catulos lupi. Alimentas filhotes de lobo. VIDE:  Ale luporum catulos.

1611. Alis nil grave. [Divisa] Para (quem tem) as asas, nada é difícil.

1612. Alis volat propriis. [Divisa de Oregon, EUA] Voa com as próprias asas.

1613. Alit aemulatio ingenia. [Veleio Patérculo, Historia Romana 1.17.6] A emulação alimenta o talento. VIDE:  Aemulatio alit ingenia.  Aluntur aemulatione ingenia.

1614. Alit lectio ingenium. [Sêneca, Epistulae Morales 84.1] A leitura nutre a inteligência.

1615. Aliter catuli longe olent, aliter sues. [Plauto, Epidicus 580] Os cães cheiram de um modo, os porcos de outro.  Cada passarinho canta a sua canção.  Aliter catuli longe olent quam sues. [Seybold 22] Os cães têm um cheiro muito diferente do cheiro dos porcos.

1616. Aliter cum aliis agendum. [Erasmo, Adagia 3.5.8] Com pessoas diferentes deve-se agir de maneira diferente. VIDE:  Aliter enim cum alio agendum.

1617. Aliter cum tyranno, aliter cum amico vivitur. [Cícero, De Amicitia 3.89] De uma maneira se vive com o rei, de outra, com o amigo.

1618. Aliter de illis ac de nobis iudicamus. [Cícero, De Officiis 1.9] Julgamos de maneira diferente a nós e aos outros.

1619. Aliter enim audita, aliter visa narrantur. [S.Jerônimo, Praefatio ad Pentateucum] O que se ouviu conta-se de um modo e o que se viu conta-se de outro.  Uma coisa é ver, outra ouvir.

1620. Aliter enim cum alio agendum. [Sêneca, Ad Marciam 2.1] Com cada um se deve agir de maneira diferente. VIDE:  Aliter cum aliis agendum.

1621. Aliter in scholis disputamus, aliter vivimus. [Schottus, Adagialia Sacra 54] De um modo discutimos nas academias, de outro vivemos.

1622. Alit lectio ingenium. [Sêneca, Epistulae Morales 84.1] A leitura alimenta a inteligência.

1622a. Aliter loqueris, aliter sentis. Falas de um modo, sentes de outro. VIDE:  Aliud dicis, aliud sentis.

1623. Aliter loqueris, aliter vivis. [Sêneca, De Vita Beata 18.1] Falas de um modo, vives de outro.  Uma coisa é dizer, outra fazer.

1624. Aliter loquitur, aliter sentit. Fala de um modo, sente de outro.  Uma coisa a dizer, outra a sentir.  O coração sente, a boca mente.  Aliter loquitur ac sentit. Fala coisa diferente do que sente. VIDE:  Aliud in ore, aliud in corde.

1625. Alitur malo publico. [Branco 885] Vive às custas dos males públicos.  Pesca em águas turvas. VIDE:  In rem suam publica incommoda convertit.

1626. Alitur vitium vivitque tegendo. [Virgílio, Georgica 3.454] Escondendo, o vício se alimenta e persiste.

1627. Aliud agendi tempus, aliud quiescendi. [Cícero, De Natura Deorum 2.132] É uma a hora de agir, outra a de descansar.

1628. Aliud alii natura iter ostendit. [Salústio, Catilina 2.3] A natureza oferece um caminho diferente a cada um.

1629. Aliud aliis annis magis convenit. [Quintiliano, Institutio Oratoria 5.25] A idades diferentes convêm coisas diferentes.

1630. Aliud aliis videtur optimum. [Cícero, Orator 36] Para pessoas diferentes coisas diferentes parecem melhores.

1631. Aliud aliis vitii est. [Terêncio, Hecyra 270] Outras pessoas, outros defeitos.  Cada sujeito com seu defeito.

1632. Aliud alios decere. [Quintiliano, Institutio Oratoria 11.3.177] A pessoas diferentes convém coisa diferente.  A cada santo, a sua lâmpada.

1633. Aliud appetitus, aliud sapientia suadet. O desejo aconselha uma coisa, a sabedoria, outra.

1634. Aliud autem est meminisse, aliud scire. [Sêneca, Epistulae Morales 33.8] Uma coisa é lembrar-se, outra coisa é saber.

1635. Aliud ceteros, aliud Laconas decet. [Sêneca Retórico, Suasoriae 2.7] Uma coisa serve para os outros, outra para os lacedemônios.  Cada terra com seu uso.  O que é bom para um pode não ser para outro.

1636. Aliud clausum in pectore, aliud in lingua promptum habere. [Salústio, Catilina 10] Ter um pensamento trancado no peito e outro pronto na língua.  Mel nos beiços, fel no coração.  Aliud conditum habere in pectore, aliud sermone fingere. [Erasmo, Moriae Encomium 36] Ter uma coisa guardada no peito, construir outra com a palavra.  Aliud corde premunt; aliud ore promunt. Uma coisa escondem no coração, outra mostram na boca. VIDE:  Aurea verba, cor ferreum.  Quod clausum in pectore, hoc in lingua promptum habeo.

1637. Aliud cornix, et noctua cantat. [Schottus, Adagia 589] Uma coisa canta a gralha, outra a coruja.  Cada passarinho canta sua canção.  Cada louco com sua mania. VIDE:  Alia noctuae, alia vox coturnicis.  Alia voce psittacus, alia voce coturnix loquitur.  Aliud cornix, et noctua cantat.  Aliud noctua sonat, aliud cornix.  Aliud noctua, aliud cornix sonat.  Alium noctua, cornix alium sonum edit.  Canit avis quaevis sicut rostrum sibi crevit.

1638. Aliud Cupido, mens aliud suadet. [Ovídio, Metamorphoses 7.19] O amor me instiga em uma direção, a razão em outra.

1638a. Aliud dicis, aliud sentis. Uma coisa dizes, outra sentes. VIDE:  Aliter loqueris, aliter sentis.

1639. Aliud est audiri, aliud intellegi. Uma coisa é ser ouvido, outra, ser entendido.

1640. Aliud est celare, aliud est tacere. [Diógenes / Cícero, De Officiis 3.12] Uma coisa é ocultar, outra coisa é calar. (=Distinção entre um ato intencional e uma omissão).

1641. Aliud est dare, aliud promittere. [Jur] Uma coisa é dar, outra prometer.  Prometer não é dar, mas a néscios contentar. VIDE:  Dare aliud est, et aliud dare promittere.  Demulcet multum dulcis promissio stultum.  Dum aureos montes pollicetur, nec aereum nummum producit.  Laetificat stultum nil dare, promittere multum.  Laetificat stultum grandis promissio multum.  Promissis nonnisi pueri et stulti deleniri solent.  Promittit, iurat, nil dat, non solvere curat.  Qui pendet alienis promissis saepe decipitur.  Regia, crede mihi, res est promittere multum, sed servare fidem rusticitatis opus.

1642. Aliud est distinctio, aliud separatio. [Jur / Black 93] Distinção é uma coisaç separação é outra.

1643. Aliud est enim credere, aliud deponere. [Digesta 42.5.24.2] Uma coisa é dar em empréstimo, outra coisa dar em depósito.

1644. Aliud est enim epistulam, aliud historiam, aliud amico, aliud omnibus scribere. [Plínio Moço, Epistulae 6.16.22] Uma coisa é escrever uma carta, outra escrever história, uma coisa é escrever a um amigo, outra escrever para o público.

1645. Aliud est enim possidere, longe aliud in possessione esse. [Digesta 41.2.10.1] Sem dúvida, uma coisa é possuir e coisa bem diversa estar de posse. VIDE:  Aliud est possidere, aliud in possessione esse.

1646. Aliud est facere, aliud est dicere. [DAPR 556] Uma coisa é fazer, outra coisa é dizer.  Uma coisa é dizer, outra fazer.  Do dizer ao fazer vai muita diferença. VIDE:  Dicere et facere non semper eiusdem.  Dicere perfacile est, opus exercere molestum.  Minari et caedere non semper eiusdem.

1647. Aliud est falsum, aliud simulatum. [Jur] Uma coisa é a falsidade, outra, a simulação.

1647a. Aliud est falsum dicere, aliud est verum tacere. Uma coisa é dizer uma mentira, outra coisa é calar a verdade.

1648. Aliud est laborare, aliud dolere. [Cícero, Tusculanae Disputationes 2.36] Uma coisa é sofrer, outra coisa sentir dor.

1649. Aliud est male dicere, aliud accusare. [Cícero, Pro Coelio 1.6] Uma coisa é injuriar, outra coisa é acusar.

1650. Aliud est possidere, aliud esse in possessione. [Jur / Black 93] Uma coisa é ser proprietátio, outra ter a posse.

1651. Aliud est velle, aliud est posse. Uma coisa é querer, outra é poder.  Aliud est velle, aliud posse.

1651a. Aliud est ventilare, aliud pugnare. [Henderson 16] Uma coisa é exercitar-se, outra, lutar.

1652. Aliud est virtutem habere, aliud virtutis similitudinem; aliud est umbram sequi, aliud veritatem. [S.Jerônimo / Bernardes, Luz e Calor 1.57] Uma coisa é ter virtude, outra ter uma imitação de virtude; uma coisa é perseguir uma sombra, outra perseguir a verdade.

1653. Aliud ex alio incidit. [Terêncio, Heauton Timorumenos 598] Uma coisa vem de outra.  Uma coisa puxa outra.

1654. Aliud ex alio malum gignitur. [DAPR 423] Um mal nasce de outro.  Uma desgraça nunca vem só.  Desgraça pouca é bobagem.  Aliud ex alio malum nascitur.  Aliud ex alio malum! [Terêncio, Eunuchus 987] VIDE:  Abyssus abyssum invocat.  Nulla calamitas sola.

1655. Aliud ex alio nectitur. [Cícero, De Finibus 3.74] Uma coisa está ligada a outra.

1655a. Aliud in alio malum remedio. [Seybold 22] Para outro mal, outro remédio.

1656. Aliud in ore, aliud in corde. [Rezende 242] Uma coisa na boca, outra no coração.  Uma coisa a dizer, outra a sentir.  Mel nos beiços, fel no coração.  O coração sente, a boca mente. VIDE:  Aliter loquitur, aliter sentit.  Aurea verba, cor ferreum.  Turpe est aliud cogitare, aliud declarare.

1656a. Aliud in titulo, aliud in pyxide. [Erasmo, Epitomes Adagiorum Omnium 196] Uma coisa no rótulo, outra coisa dentro da caixa.  Bainha de ouro e faca de chumbo.  Por cima, muita farofa; por baixo, molambo só. VIDE:  In eburnea vagina plumbeus gladius.

1657. Aliud mihi est agendum. Tenho outra coisa para fazer.  Não tenho tempo para perder.  Tenho outros abacaxis para descascar.

1658. Aliud more, aliud in corde. [Pereira 108] Uma coisa na ação, outra no coração.  Um por dentro, outro por fora.

1659. Aliud noctua sonat, aliud cornix. [Erasmo, Adagia 3.2.74] Uma coisa canta a coruja, outra a gralha.  Cada passarinho canta sua canção.  Cada louco com sua mania.  Aliud noctua, aliud cornix sonat. [Apostólio 2.60] VIDE:  Alia voce psittacus, alia voce coturnix loquitur.  Aliud cornix, et noctua cantat.  Aliud noctua sonat, aliud cornix.  Aliud noctua, aliud cornix sonat.  Alium noctua, cornix alium sonum edit.  Canit avis quaevis sicut rostrum sibi crevit.

1660. Aliud pro alio, invito creditore, dari non potest. [Jur] Não se pode dar uma coisa por outra contra a vontade do credor.  Aliud pro alio invito creditori solvi non potest. [Digesta 12.1.2.1] Contra a vontade do credor, não se pode pagar uma coisa por outra. VIDE:  Debitor aliud pro alio, invito creditore, solvere non potest.

1661. Aliud regnum alios mores postulat. Outra terra exige outros costumes.  Cada terra com seu uso, cada roca com seu fuso. VIDE:  Alia terra alios mores postulat.

1662. Aliud sceptrum, aliud plectrum. [Erasmo, Chiliades 34] Uma coisa é o cetro, outra o plectro. VIDE:  Alia res sceptrum, alia plectrum.

1663. Aliud stans, aliud sedens (loquitur). [Erasmo, Adagia 3.3.56] De pé, diz uma coisa, sentado, outra.  Não diz coisa com coisa. VIDE:  Alter Ianus est.

1664. Aliud vinum, aliud ebrietas. [Robert Burton, The Anatomy of Melancholy 89] Uma coisa é o vinho, outra coisa é a embriaguez.

1665. Alium domi esse caeli haustum, alium lucis aspectum. [Quinto Cúrcio, Historiae 5.5] Na pátria, o ar que se respira é outro; a luz do dia é diferente.

1666. Alium noctua, cornix alium sonum edit. [Suidas / Albertatius 77] A coruja emite um som, a gralha, outro.  Cada passarinho canta sua canção.  Cada louco com sua mania. VIDE:  Alia noctuae, alia vox coturnicis.  Alia voce psittacus, alia voce coturnix loquitur.  Aliud cornix, et noctua cantat.  Aliud noctua, aliud cornix sonat.  Aliud noctua sonat, aliud cornix.  Canit avis quaevis sicut rostrum sibi crevit.

1667. Alium silere quod voles, primus sile. [Sêneca, Hippolytus 876] O que quiseres que outrem cale, cala-o tu primeiro.  O segredo mais bem guardado é o que a ninguém é revelado. VIDE:  Quae tecta tacitaque esse cupis, tu primus ne enuncia.  Quod reticere voles alios, prius ipse taceto.  Quod tacitum esse velis, nemini dixeris, quia non poteris ab alio exigere silentium, si tibi ipse non praestas.  Quod vis taceri, cave ne cuiquam dixeris.  Quod tacitum velis esse, nemini dixeris: si tibi ipse non imperasti, quomodo ab aliis silentium speras?  Quod tribus est notum, non est a plebe remotum.  Quod tribus est notum, nunquam debet esse secretum.  Quod tribus est notum, raro solet esse secretum.

1668. Alium spoliat, ut alium ditet. [Binder, Thesaurus 131] Rouba um para enriquecer outro.  Descobre um santo para cobrir outro. VIDE:  Ab aliis eripit, quod aliis largiatur.  Altare spoliat ut aliud operiat.  Non est spoliandus Petrus ut vestiatur Paulus.  Nudato Petro Paulum tegere.

1669. Aliunde pendere. Depender de outras coisas. Depender de outras pessoas.

1670. Alius alibi proiectus. [Vulgata, Sabedoria 18.18] Um atirado para um lado, outro atirado para o outro lado.

1670a. Alius aliis in rebus praestantior. [Seybold 22] Cada um se destaca em coisas diferentes.  Cada qual em seu ofício. VIDE:  Alius in aliis rebus praestantior.

1671. Alius aliis rebus afficitur. [Grynaeus 32] Cada um gosta de coisas diferentes.  O que é bom para um pode não ser para outro.  Por isso se come toda a vaca, por querer um da perna, outro da espalda. VIDE:  Non omnes eadem mirantur amantque.

1672. Alius aliis vir operibus delectatur. [Homero / Schottus, Adagialia Sacra 109] Cada homem tem prazer em atividades diferentes.

1673. Alius alio nequior. Um é pior que o outro.

1674. Alius alio plura invenire potest, nemo omnia. [Ausonio] Um pode saber mais que outro, mas ninguém pode saber tudo.

1675. Alius alium adiuvat. Um ajuda o outro.  Uma mão lava a outra. VIDE:  Abluit manus manum.

1676. Alius alium beatissimum existimat. Cada qual imagina que o outro é muito feliz.

1677. Alius est Amor, alius Cupido. Amor é uma coisa, desejo é outra.

1678. Alius est atque erat olim. Ele está diferente do que era.

1678a. Alius est clamor graculi, alius lisciniae cantus. [Harleben, Dictionarium Paroemiarum 13] Uma coisa é o clamor do gralho e outra o canto do rouxinol.

1679. Alius est qui seminat, et alius est qui metit. [Vulgata, João 4.37] Um é o que semeia, e outro é o que colhe.  Um semeia, outro colhe.  O bocado não é para quem o faz. VIDE:  Alii laborarunt, alii fructum ceperunt.  Alii laborarunt, lucrum alii reportarunt.  Alii sementem faciunt, alii metunt.  Alii seminant, metent alii.  Ego seram, et alius comedat.  Hic consevit agrum, sed fruges demetit alter.

1680. Alius in aliis rebus praestantior. [Grynaeus 189] Cada um se destaca em coisas diferentes.  Cada qual em seu ofício. VIDE:  Alius aliis in rebus praestantior.  Caprae haud iunguntur aratro.

1681. Alius libidini servit, alius avaritiae, alius ambitioni, omnes spei, omnes timori. [Sêneca, Epistulae Morales 47.17] Um é escravo da sua luxúria, outro da sua avareza, um terceiro de sua ambição, todos da esperança, todos do medo.

1682. Alius peccat, alius plectitur. [Alciato, Emblema 174; Medina 621] Um comete o erro, outro é punido.  Paga o justo pelo pecador.  Papagaio come milho, periquito leva a fama. VIDE:  Canis peccatum sus dependit.  Etiam innocentem poena quandoque obruit.  Faber cadit cum ferias fullonem.  Fabrum caedere cum ferias fullonem.  Innocentes pro nocentibus poenas pendunt.  Ob textoris peccatum coquus vapulavit.  Quicquid coquus peccaverit, tibicen accipere solet plagas.  Quod peccant sontes, insontes saepe luerunt.  Quod peccant sontes, insontes saepe tulerunt.  Quod sus peccavit, succula saepe luit.  Saepe luit populus poenas unius iniqui.  Saepe luit poenas qui nihil peccavit.  Tibicen vapulat, coquo peccante.  Transgreditur opulentus, et plectitur inops.  Unius peccata tota civitas luit.

1683. Allatrat victorem invidia. [Branco 566] A inveja ladra contra o vencedor.  A inveja sempre atina lugares altos. VIDE:  Alta ventos semper excipiunt iuga.  Assidua eminentis fortunae comes invidia.  Eminentis fortunae comes invidia.  Honori comes invidia est.  Ima tenent pacem; perflant altissima venti.  Intacta invidia media sunt.  Invidia comes fortunae.  Invidia, tamquam ignis, summa petit.  Livor summa petit; perflant altissima venti.  Livor velut ignis alta petit.  Male cum eo agitur, qui caret invidis.  Nemo est qui miseros invideat.  Nunquam eminentiae invidia carent.  Nunquam virtutem deserit invidia.  Perflant altissima venti.  Quo maior gloria, eo propior invidiae.  Quo plures hostes, tanto maior honor.  Subiecta semper invidiae felicitas.  Summa petit livor.

1684. Allegans casum fortuitum, illum probare tenetur. [J.P.Molitor, Les Obligations en Droit Romain 2.209] Quem alega o caso fortuito é obrigado a prová-lo.

1685. Allegans contraria non est audiendus. [Jur / Broom 135] Quem apresenta alegações contraditórias não deve ser ouvido.

1686. Alleganti probatio incumbit. [Jur] A prova cabe a quem alega. VIDE:  Affirmanti, non neganti, incumbit probatio.  Affirmanti incumbit probatio.  Ei incumbit probatio, qui dicit, non qui negat.  Factum asseverans onus subit probationis.  Probatio incumbit asserenti.

1687. Allegare nihil, et allegatum non probare, paria sunt. [Jur / Cahier 515] Nada alegar e não comprovar o alegado se equivalem.

1688. Allegari non debuit quod probatum non relevat. [Jur / Black 94] Não devia ser alegado o que, ao ser comprovado, não é relevante.

1689. Allegata et probata. [Jur / Black 94] Coisas alegadas e comprovadas.

1690. Allegatio contra factum non est admittenda. [Jur / Black 94] Uma alegação que contraria o fato não é admissível.

1691. Allegatio et non probatio, quasi non allegatio. [Jur] Alegação sem prova é como não haver alegação.

1692. Allegatio partis non facit ius. [Jur] Alegação da parte não faz direito.

1693. Allegatio sine probatione veluti campana sine pistillo. [Jur] Alegação sem prova é como sino sem badalo.

1694. Allia petra sapit, quae illa capit. A pedra que mói alhos, sabe a alhos.  Quem azeite mede, as mãos se unta.  Cada cuba cheira ao vinho que tem.  Allia petra sapit, quae semel illa capit. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum Medii Aevi 249] A mó que mói alhos uma vez, sabe a alhos.  Allia quando terunt, retinent mortaria gustum. [Pereira 118] Os almofarizes, quando pisam o alho, retêm-lhe o sabor. VIDE:  Dat foetorem per nares mola foetida semper.  Quilibet admenso digitos sordescit olivo.

1695. Alligem fugitivam canem agninis lactibus. [Plauto, Pseudolus 318] Vou amarrar o cão fujão com tripas de carneiro. VIDE:  Agninis lactibus alligare canem.

1696. Alma dies noctem sequitur, somnosque labores. [Columbano 38] O dia propício sucede à noite, e o trabalho sucede ao sono.

1697. Alma mater. A mãe criadora. (=A pátria. A universidade).  Alma parens. [Virgílio, Eneida 2.591; 10.252]

1698. Alme sol, possis nihil urbe Roma visere maius. [Horácio, Carmen Saeculare 9] Ó sol criador, que não possas contemplar nada maior que a cidade de Roma.

1699. Alpha et omega. Alfa e ômega. (=Alfa é a primeira letra do alfabeto grego; ômega, a última. A expressão alfa e ômega significa o começo e o fim). VIDE:  Ego sum alpha et omega, primus et novissimus, principium et finis.

1700. Alpibus ille perit qui plus se diligit ullum. [VES 113] Morre na montanha quem ama a outrem mais do que a si mesmo.

1701. Alta a longe cognoscuntur. [J.P.Migne, Scripturae Sacrae Cursus Completus 22.553] As coisas altas de longe se vêem.

1702. Alta cadunt odiis, parva extolluntur amore. [Dionísio Catão, Monosticha, Appendix 21] Coisas elevadas caem pelo ódio, coisas pequenas se elevam pelo amor.

1703. Alta cadunt vitiis, virtutibus infima surgunt. [G.P.V.Bolzani, Hyerogliphica 100] As coisas elevadas desmoronam pelos vícios; as pequenas crescem pelas virtudes.

1704. Alta die solo non est exstructa Corinthus. [Binder, Thesaurus 134] A insigne Corinto não foi construída num único dia.  Roma não se fez num dia.  É preciso dar tempo ao tempo.  Calma no Brasil! VIDE:  Die solo non est exstructa Corinthus.  Haud facta est una Martia Roma die.  Ne doleas si non contingant cuncta repente: Martia non uno condita Roma die est.  Non fuit in solo Roma peracta die.  Non stilla una cavat marmor, nec protinus uno est condita Roma die.  Non uno est condita Roma die.  Non uno die stet Corinthus.  Roma non fuit una die condita.  Roma non uno condebatur die.

1705. Alta extimesco sceptra. [Sêneca, Medea 529] Tenho medo dos cetros poderosos.  À voz de el-rei não há coisa forte.

1706. Alta fecundi soli silva est. [Sêneca, De Ira 2.15.1] Floresta alta é sinal de solo fértil.

1707. Alta pax gentes alat. [Sêneca, Hercules Furens 929] Que uma paz profunda fortifique as nações.

1708. Alta pete ut media adsint. [Schottus, Adagia 593]  Pede o máximo para ter o que baste. VIDE:  Ad summa quisque contendat, sic enim futurum medium ut teneat.  Iniquum petas, ut aequum feras.  Summa cape, et medio potieris.  Summum cape, et medium habebis.  Summum cape et medium tenebis.  Ut obtineas medium, summum cape.

1708a. Alta qui quaerit, quaerit praecipitia. Quem busca lugares altos, busca precipícios.  Quem muito alto vai, de muito alto cai. VIDE:  Qui quaerit alta, is malum videtur quaerere.

1709. Alta ventos semper excipiunt iuga. [Sêneca, Oedipus 8] Picos elevados sempre sofrem com os ventos.  Raio não cai em pau deitado. VIDE:  Eminentia feriunt procellae.  Ex mediocritate fortunae, pauciora pericula sunt.  Excelsis multo facilius casus nocet.  Feriunt summos fulgura montes.  Feriunt summos fulmina montes.  Feriunt celsos fulmina montes.  Feriunt celsos fulmina colles.  Humilis nec alte cadere, nec graviter potest.  Ima tenent pacem; perflant altissima venti.  Imbres et venti, tonitrus et fulmina turres flatibus evertunt, stare sed ima sinunt.  Non capit unquam magnos motus humilis tecti plebeia domus, circa regna tonant.  Perflant altissima venti.  Qui tulerit per plana gradus, is tutior ibit.  Summa petit livor.  Summa petunt dextra fulmina missa Iovis.  Umida vallis raro patitur fulminis ictus.

1710. Altare spoliat ut aliud operiat. [DAPR 234] Despoja um altar para cobrir outro.  Descobre um santo para cobrir outro. VIDE:  Ab aliis eripit, quod aliis largiatur.  Alium spoliat, ut alium ditet.  Non est spoliandus Petrus ut vestiatur Paulus.  Nudato Petro Paulum tegere.

1710a. Altari serviens de altari vivere debet. [Leopold Volkmar, Paroemia et Regulae Juris 29] Quem serve ao altar, deve viver do altar.  Quem serve o altar, dele deve comer.  O abade onde canta, daí janta. VIDE:  Dei donis ornamur, cui servimus.  Legitimus propria quaestus ab arte venit.  Qui altari deserviunt, cum altari participant.  Qui altari servit, de altari manducat.  Qui altari serviunt, ab altari vivant.  Qui in sacrario operantur, quae de sacrario sunt, edunt.  Qui servit altari, de altari vivat.

1711. Alter alterius auxilio eget. [DAPR 707] Um precisa do auxílio do outro.  Não há rainha sem sua vizinha.  Não há quarenta sem zero. VIDE:  Hominis interest beneficium hominum affici.  Mons absque valle nullus.  Nemo tam dives, qui alterius auxilio non indigeat.  Non est rex sine clientibus.  Serius aut citius paupere dives eget.  Summum non stat sine infimo.

1712. Alter alterius onera portate. [Vulgata, Gálatas 6.2] Levai as cargas uns dos outros. VIDE:  Invicem onera nostra portemus.

1713. Alter ego. [Ovídio, Amores 1.7.32] Um segundo eu. (=Alter ego. Um amigo íntimo em quem se confia como em si mesmo. Um confidente).  Um amigo do peito.

1714. Alter ego est amicus. [Stone 106] Um amigo é um segundo eu.  Alter ego est amicus, cuncta mecum habet omnia. Um amigo é um segundo eu: ele tem tudo em comum comigo. VIDE:  Alter ipse amicus.  Alter se.  Amicum esse alterum se.  Amicus alter ego.  Amicus alter ipse.  Amicus est tamquam alter idem.  Est amicus tamquam alter idem.  Verus amicus est is qui est tamquam alter idem.

1715. Alter ego nisi sis, non es mihi verus amicus; ni mihi sis ut ego, non eris alter ego. Se não forem um outro eu, não és meu verdadeiro amigo; se para mim não fores como eu, não serás um outro eu.

1716. Alter frenis eget, alter calcaribus. [Cícero, Ad Atticum 6.12] Um precisa de freio, outro, de esporas.

1717. Alter Hercules. É um segundo Hércules.

1718. Alter hircum mulgere videtur, alter cribum supponere. [Erasmo, Opera Omnia 2.132] Um parece ordenhar o bode, o outro colocar uma peneira debaixo. (=Diz-se de quem tenta coisas impossíveis).  Buscam água em fonte seca. Alter hircum mulget, alter cribum supponit. VIDE:  Quis stultior: qui hircum mulget, an qui cribrum supponit?

1719. Alter Ianus (est). [Erasmo, Adagia 4.2.93] É um segundo Jano. (=É um homem de duas caras). VIDE:  Aliud stans, aliud sedens (loquitur).

1720. Alter idem [Cícero, De Amicitia 80] Outro igual. Outro eu.

1721. Alter ipse amicus. [Henderson 17] Um amigo é um segundo eu. VIDE:  Alter se.  Amicum esse alterum se.  Amicus alter ego.  Amicus alter ipse.  Amicus est tamquam alter idem.  Est amicus tamquam alter idem.  Verus amicus est is qui est tamquam alter idem.

1722. Alter lucrum tantum, alter damnum sentiret. [Digesta 17.2.29.2] Um sentiria somente a vantagem, o outro somente o prejuízo.  Um semeia, outro colhe. VIDE:   Alii laborarunt, alii fructum ceperunt.  Alii laborarunt, lucrum alii reportarunt.  Alii laborabant, alii autem fruebantur.  Alii sementem faciunt, alii metent.  Alii seminant, metent alii.  Alii serunt, alii metunt.  Alius est qui seminat, et alius est qui metit.  Ego seram, et alius comedat.  Hic consevit agrum, sed fruges demetit alter.  Leonina societas.

1723. Alter occidit apros, alter pulpamento fruitur. [Binder, Thesaurus 137] Um mata os javalis, outro aproveita a carne.  Nem sempre dança quem paga a música.  O bocado não é para quem o faz. VIDE:  Ego semper apros occido, sed alter semper utitur pulpamento.  Ego apros occido, sed alter fruitur pulpamento.

1724. Alter parens. [Cícero, In Verrem 2.5.110] Um segundo pai. (=Um protetor).

1725. Alter remus aquas, alter tibi radat arenas; tutus eris. [Propércio, Elegiae 3.3.23] Dos teus remos, que um toque as águas, que o outro toque a terra; ficarás em segurança.  Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

1726. Alter rixatur de lana saepe caprina. [Horácio, Epistulae 1.18.15] Um deles, muitas vezes, discute a propósito da lã das cabras.  Discute o sexo dos anjos.

1727. Alter se. Um outro eu. VIDE:  Alter ipse amicus.  Amicum esse alterum se.  Amicus alter ego.  Amicus alter ipse.  Amicus est tamquam alter idem.  Est amicus tamquam alter idem.  Verus amicus est is qui est tamquam alter idem.

1728. Alter sementem facit, alter metit. Um semeia, outro colhe.  Nem sempre dança quem paga a música. VIDE:  Alter occidit apros, alter pulpamento fruitur.

1729. Alter statim oblivisci debet dati, alter accepti nunquam. [Sêneca, De Beneficiis 2.10] Um deve logo esquecer-se do que deu, o outro nunca deve esquecer-se do que recebeu.  Cale quem deu, e fale quem recebeu. VIDE:  Accepti nunquam, cito dati obliviscere.

1730. Altera die. [Vulgata, João 1.29] No dia seguinte. No outro dia. VIDE:  Crastino die.  In crastino.  Die altera.

1731. Altera manu do, et accipio altera. [Grynaeus 179] Com uma das mãos eu dou, com a outra recebo.  Altera manu trado, recipio ast altera. [Schottus, Adagia 623]

1732. Altera manu fert aquam, altera ignem. [Erasmo, Adagia 4.4.74] Com uma das mãos traz água, com a outra, fogo. (=Pede com palavras gentis, mas, ao mesmo tempo, faz ameaças).  Altera manu fert lapidem, panem ostentat altera. [Plauto, Aulularia 152] Com uma das mãos leva uma pedra, com a outra oferece pão.  Altera manu panem ostentat, altera fert lapidem. [Polydorus, Adagia]  Altera manu hastam, altera caduceum praeferens. [Manúcio, Adagia 1248] Com uma das mãos traz a lança, com a outra o caduceu. VIDE:  Aquas gestat dextra, flammasque sinistra.  Calidum et frigidum ex eodem ore flat.

1733. Altera manu scabit caput, altera malam ferit. [Pereira 94] Com uma das mãos faz cafuné, com a outra fere o rosto.  Agora dá pão e mel, depois dará pau e fel.  Altera manu scabit, altera ferit. [Henderson 17] Com uma das mãos acaricia, com a outra fere.  Altera manu caput mulcet, altera ferit. Uma das mãos afaga minha cabeça, a outra fere.

1734. Altera mens asini, mens altera qui regit illum. Um é o pensamento do burro, outro o de quem o dirige.  Burro e carroceiro nunca estão de acordo.

1735. Altera natura est habitus; quam iunior artem perdisces, tollet nulla senecta tibi. [Owen, Monosticha 12.103] O hábito é uma segunda natureza; o procedimento que aprendes na juventude, a velhice não tirará de ti.  O que se aprende na mocidade, toda a vida dura.

1736. Altera pars otio, pars ista labori. [Inscrição em relógio solar] A outra parte do dia é para o descanso, mas esta é para o trabalho.

1737. Altera pars revocat quidquid pars altera fecit. [Rezende 255] Uma parte desfaz o que a outra fez.  Desmancha com os pés o que fez com as mãos.

1738. Altera ridicula est, altera putidula. [Marcial, Epigrammata 20.4] Esta é ridícula, a outra é pretensiosa.  Altera rancidula est, altera putidula. Esta é desagradável, a outra é pretensiosa.

1739. Altera vice. Pela segunda vez. VIDE:  Vice altera.

1740. Alteri enim nec prodest nec nocet iusiurandum inter alios factum. [Digesta 25.6.1] Juramento feito entre uns não aproveita nem prejudica a outro. VIDE:  Iusiurandum alteri neque prodest neque nocet.  Iusiurandum inter alios factum nec nocere nec prodesse debet.

1741. Alteri loquaces, alteri voraces. Uns são loquazes, outros vorazes. VIDE:  Alii linguam, alii molares.  Aliis lingua, aliis dentes.  Aliis lingua, aliis vero molares.  Est lingua quibusdam, molares at aliis.  Illi enim loquaces, hi voraces.

1742. Alteri ne facias quod tibi fieri non vis. [Rezende 257] Não faças a outrem o que não queres que te seja feito.  Não faças aos outros o que não queres que te façam. VIDE:  Aliis ne feceris, quod tibi fieri non vis.  Facere non debet quis alteri, quod sibi fieri nolit.  Ne alteri feceris quod tibi non vis fieri.  Quod ab alio oderis fieri tibi, vide ne tu aliquando alteri facias.  Quod tibi fieri non vis, alteri ne feceris.  Quod tibi non optes, alii ne feceris ulli.  Quod tibi non vis fieri, alii ne feceris.  Quod tibi non vis fieri, alteri ne feceris.  Quod tibi non vis, alteri ne facies.  Quod tibi fieri non vis, alteri ne facias.  Quod tibi non vis, utinam alteri ne facias.  Quod sibi quis fieri non vult, alii ne faciat.

1743. Alteri semper ignoscito, tibi ipsi nunquam. [DM 111] Aos outros perdoa sempre, a ti nunca.  Perdoai tudo a todos, e a vós, nada.

1743a. Alteri stipulari nemo potest. [Justiniano 3.19.19] A ninguém é lícito estipular por outrem. VIDE:  Nemo alteri stipulari potest. (=Estipular. Ajustar ou convencionar por meio de contrato ou promessa jurídica).

1744. Alteri sic tibi age! Faze ao outro como fazes a ti!  Alteri sic tibi.

1745. Alteri vivas oportet, si tibi vis vivere. [Sêneca, Epistulae Morales 48.2] É preciso que vivas para teu próximo, se queres viver para ti.  Não se pode viver sem amigos. VIDE:  Miserum est carere consuetudine amicorum.  Quae potest esse iucunditas vitae, sublatis amicitiis?  Sine amico non potes bene vivere.  Tanti homo est sine amico, quanti corpus absque spiritu est.  Tolerabilius vivere sine pecuniis, quam sine amicis.

1746. Alterius alter est sensus. [Grynaeus 178] A percepção de cada um é diferente.  Cada um vê mal ou bem conforme os olhos que tem.  Quantas cabeças, tantas opiniões. VIDE:  Tot capita, tot sensus.

1747. Alterius circumventio alii non praebet actionem. [Digesta 50.17.49] O ato doloso de um não proporciona ação contra o outro (que dele não participou).

1748. Alterius damnum gaudium haud facias tuum. [Publílio Siro] Não faças da desgraça alheia tua satisfação.  Não te alegres do meu luto; quando ele for velho, o teu será novo.

1749. Alterius dictum aut factum ne carpseris unquam, exemplo simili ne te derideat alter. [Dionísio Catão, Disticha 3.7] Nunca critiques o que outrem diga ou faça, para que, em situação igual, outrem não te ridicularize.

1750. Alterius festum solum invitatus adibis. [Pereira 120] A festa alheia só irás convidado.  A boda ou batizado não vás ser sem convidado.  Quem não te roga, não lhe vás à boda. VIDE:  Ad consilium ne accesseris, antequam voceris.  Antequam voceris, ad consilium ne accesseris.  Antequam voceris, ne accesseris.  Consilium ne adeas invocatus.  Haud advocatus ne ad consilium accesseris.  Invocatis nullus est locus.  Non invitatus hospes minime est gratus.

1751. Alterius hic messem metis. [Schottus, Adagia 637] Aqui tu segas a seara alheia.  Metei-vos onde não vos chamam.  Metes o nariz onde não te compete. VIDE:  Alienam metis messem.  Messem metis alienam.  Metis ubi non seminasti, et congregas ubi non sparsisti.  Sub aliena arbore fructum legis.

1752. Alterius litteras, crumenam et abacum ne inspicito. [Bebel / Eiselein 95] Não metas o nariz em carta, nem em bolsa, nem em contas dos outros.

1753. Alterius mora alteri non nocet. [Digesta 22.1.32.4] A mora de um (devedor) não prejudica o outro.

1754. Alterius neglegentia aut cupiditas huic qui diligens fuit, nocere non debet. [Digesta 42.5.6.2, adaptado] A negligência ou a cobiça de um não deve prejudicar a quem foi diligente.

1755. Alterius non sit, qui suus esse potest. [Gualterius Anglicus, Fabulae Aesopicae 21b.22; Pereira 120] Quem pode ser seu, não seja de outrem.  Quem pode ser livre, não se cative.  Quem pode ser seu, sendo de outro, é sandeu.  Alterius non sit, qui potest esse sui.  Alterius ne sit, qui suus esse potest. VIDE:  Cum tuus es, noli servire nisi tibi soli.  Est foculus proprius multo pretiosior auro.  Libertas fulvo pretiosior auro.  Non bene pro toto libertas venditur auro.

1756. Alterius potius quam tua laus tibi sit. [Petrus Abelardus, Carmen ad Astralabium 340] É melhor que o elogio venha de outrem que de ti.

1757. Alterius pulsa fores. Vai bater em outra porta.  Bater a outra porta, que esta não se abre.  Quem não te conhece, que te compre. VIDE:  Aliam quercum excute!  Non mihi fucum facies.  Os rosum rodere non possum.  Tollat te qui non novit.

1757a. Alterius sic altera poscit opem res, et coniurat amice. [Horácio, Ars Poetica 410] Assim uma coisa reclama o auxílio da outra, e conspiram amigavelmente. VIDE:  Gratia gratiam parit.

1757b. Alterius solutio totam obligationem interemit. [Digesta 44.7.44.3] O pagamento de um desfaz toda a obrigação.

1758. Alterius sub nutu degere vitam. Viver a vida sob o arbítrio de outrem.  Alterius sub nutu degitur aetas. [Lucrécio, De Rerum Natura 4.1125] A vida passa sob o arbítrio de outrem. VIDE:  Alieno arbitrio.  Alieno arbitrio vivere.  Alieno arbitratu vivere.  Alieno more vivere.  Alieno nutu vivere.  Non ex alieno arbitrio pendet.  Suis stat viribus.

1759. Alterius vitium acute cernis, et tua non vides. [Schottus, Adagialia Sacra 17] Percebes com clareza o vício alheio, mas os teus não vês.  O macaco vê o rabo da cutia, mas não vê o seu.  Ri-se o roto do esfarrapado, e o sujo do mal lavado.  Alterius vitia acute cernis, et tua non vides. Os vícios alheios vês claramente, mas os teus não vês. VIDE:  Cernere festucam mos est in fratris ocello, in propriis oculis non videt ipse trabem.  Crimina qui cernunt aliorum, non sua cernunt.  Domi talpa, foris lynx.  Ebrietatem patri obicis ebrius.  Festucam in oculo fratris cernimus; at in proprio ne trabem quidem animadvertimus.  Festucam in alterius oculo vides, in tuo trabem non vides.  Foris Argus, domi talpa.  Foris oculatus, caecus domi. Homines aliena melius vident et diiudicant quam sua.  Homines plus in alienis negotiis vident quam in suo.  In admonendum sapimus omnes; verum ubi peccamus ipsi, non videmus propria.  In alienis vitiis lyncei sumus, in nostris caeci.  In propriis vitiis talpae, in alienis lynces sumus.  In se tentat descendere nemo.  Lynx foris, talpa domi.  Manticam in tergo habet.  Nemo in sese tentat descendere!  Nemo videt oculum suum.  Non videmus manticae quod in tergo est.  O miserum bellum, dum tundit asellus asellum!  Oculus videns alia, seipsum non videt.  Parva aliorum vitia ridetis, sed maiora, quae vos ipsos dedecorant, non videtis.  Parva in aliis reprehendimus, et nostra maiora pertransimus.  Plus in alieno, quam in suo videt.  Plus in alieno quam in suo negotio vident homines.  Praecedenti spectatur mantica tergo.  Qui morus omnia cernit, haud sese videt.  Quid autem vides festucam in oculo fratris tui, et trabem in oculo tuo non vides?  Stultitiae est aliorum vitia cernere, oblivisci suorum.  Vitia sua nemo videt.

1760. Alternando boni nos dona manemus amici. [DAPR 488] Trocando presentes, nós permanecemos bons amigos.  É dando que se recebe.  Os pequenos presentes fortalecem a amizade.  Os pequenos obséquios mantêm a amizade.

1761. Alternant spesque timorque fidem. [Ovídio, Heroides 6.40] A esperança e o medo se alternam com a confiança.

1762. Alternis dicetis; amant alterna Camenae. [Virgílio, Eclogae 3.59] Vós cantareis um de cada vez: as Camenas apreciam os cantos alternados.  Alternis cantemus; amant alterna Camenae. [Victor Hugo / Pierre Larousse 34] Cantemos um de cada vez: as Camenas apreciam cantos alternados. VIDE:  Amant alterna Camenae.

1763. Alternis diebus. Em dias alternados.

1764. Alternis horis. Em horas alternadas.

1765. Alternatim. Alternadamente.  Alternis vicibus. [Jur / Black 100]

1766. Alterum illud ignorari non oportet, quod non omnibus aegris eadem auxilia conveniunt. [Celso, De Medicina 3.5] Há outra coisa que não convém ser ignorada: que os mesmos remédios não servem para todos os doentes.

1767. Alterum intuere, ne laedaris, alterum, ne laedas. [Sêneca, Epistulae Morales 103.3] Observa um, para não seres lesado, o outro, para não lesares.

1768. Alterum non laedere. Não se deve prejudicar a outrem. VIDE:  Honeste vivere, alterum non laedere, suum cuique tribuere.

1769. Alterum pedem in cymba Charontis habet. [Erasmo, Adagia 2.1.52] Já tem um pé na barca de Caronte. (=Está próximo da morte. Caronte era o barqueiro dos infernos).  Tem um pé no caixão.  Está com o pé na cova.  Alterum pedem in cumba Charontis habet.  Alterum pedem in tumulo habet. Está com um pé no túmulo.  Alterum pedem in sepulcro habet. [Erasmo] VIDE:  Pedem alterum in cymba Charontis habet.

1770. Alterutra clarescere fama. [Rezende 262] Tornar-se célebre por qualquer meio.

1770b. Altior ascensus, gravior plerumque ruina est. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum Medii Aevi 144] Quando a subida é mais alta, geralmente a queda é mais violenta.  De grande subida, grande caída.  Quanto mais alto se vai, de mais alto se cai.  Quanto mais alto o coqueiro, maior é o tombo.  Altior ascensus casu graviora laborat. [Juan de Yriarte, Obras Sueltas 2.63] Subida mais alta sofre queda mais violenta. VIDE:  De alto peior est ruina.  De excelso graviors casus est.  Ex alto casus gravior.  Excelsis multo facilius casus nocet.  Periculosior casus ab alto.  Quanto altior est ascensus, tanto durior descensus.  Quanto altior gradus, tanto profundior casus.  Quanto altius ascendit homo, lapsus, tanto altius cadet.  Quanto gradus altior, tanto casus gravior.  Quanto in loco superiore, tanto in periculo maiore.  Qui petit alta nimis, retro lapsus ponitur imis.  Qui petit excelsa debet vitare ruinam.  Qui scandunt in altum, lapsu graviore ruunt.  Quo altior gradus, tanto profundior casus.  Ruina quae de alto est, semper magna est.  Ruina quae de alto fit, graviori casu colliditur.  Scansores colum frangunt meliores.  Semper ex alto periculosior casus est.  Tolluntur in altum, ut lapsu graviore ruant.

1771. Altiora in votis. [Divisa] Coisas mais elevadas estão nos meus desejos.

1772. Altiora peto. [DAPR 698] Aspiro a coisas mais elevadas.

1773. Altiora semper petens. [Divisa de Petrópolis, RJ] Buscando sempre coisas mais elevadas.

1774. Altiora te ne quaesieris, et fortiora te ne scrutatus fueris. [Vulgata, Eclesiástico 3.22] Não procurarás saber o que excede a tua capacidade e não especularás o que ultrapassa as tuas forças. VIDE:  Quae supra nos nihil ad nos.  Quod supra nos, nihil ad nos.

1775. Altis plerumque adiacent abrupta. [DAPR 693] Quase sempre os abismos são vizinhos dos cumes.  Quem muito alto vai de muito alto cai.  Quanto mais alta a berlinda, maior o trambolhão. VIDE:  Plerumque altis et excelsis adiacent abrupta.

1776. Altissima quaeque flumina minimo labuntur sono. [Quinto Cúrcio, Historiae 7.4.13] Os rios mais profundos correm com menor ruído.  Águas tranqüilas, águas profundas.  Água silenciosa, a mais perigosa.  Cuidado com o homem que não fala e com o cão que não ladra.  Altissima flumina minimo sono labuntur. VIDE:  A cane muto et aqua silente cave tibi.  Ab homine et flumine taciturno cave.  Amnis qua spumas non agit, ibi altissimus.  Aqua profunda est quieta.  Cave tibi a cane muto et aqua silenti.  Consistenti aquae et silentioso homini non multum fidendum.  Flumina tranquillissima saepe sunt altissima.  Gurgite sub leni fallit metuenda vorago.  Minimo sono labuntur alta flumina.  Ne credas undam placidam non esse profundam.  Non credas undam placidam non esse profundam.  Qua flumen placidum est, forsan latet altius unda.  Quamvis sint lenta, sint credulla nulla fluenta.  Qui fuerit lenis, tamen haud bene creditur amni.  Quietae aquae non credere.  Quo flumen placidum est, forsan latet altius unda.  Quo minus est murmur, plerumque est altior unda.

1777. Altissimus enim est patiens redditor. [Vulgata, Eclesiástico 5.4] O Altíssimo é um pagador paciente.  O castigo demora, mas não falha.

1778. Altius ibunt qui ad summa nituntur. [Divisa] Mais alto subirão os que buscam o cume.

1779. Altius praecepta descendunt, quae teneris imprimuntur aetatibus. [Sêneca, Ad Helviam 18.18] Chegam a maiores profundidades os ensinamentos gravados em tenra idade.  O que se aprende no berço dura até a sepultura. VIDE:  A teneris consuescere, multum est.  Cui puer assuescit, maior dimittere nescit.  Dediscit animus sero quod didicit diu.  Demere nemo potest vasi cuicumque saporem primum sive bonum teneat sive deteriorem.  Difficile corrigitur nequitia quam concipit quis in pueritia.  Difficulter eraditur quod rudes animi perbiberunt.  In teneris consuescere multum est.  Natura tenacissimi sumus eorum, quae rudibus annis percepimus.  Qui non assuescit virtuti, dum iuvenescit, a vitiis nescit desistere, quando senescit.  Quo semel imbuta est recens, servabit odorem testa diu.  Quod iuvenis assuescit, senex dimittere nescit.  Quod nova testa capit, inveterata sapit.  Quod puer assuescit, facile dimittere nescit.  Quod puer assuescit, leviter dimittere nescit.  Quos pueri mores didicere, tenent seniores.  Sapiunt vasa, quicquid primum acceperunt.  Sapor quo nova imbuas vasa, durat.  Stulti qui crescunt, stulti sunt quando senescunt.  Surculus est qualis, talis et arbor erit.

1780. Altivolans volucris victum sibi quaerit in imis. [Binder, Thesaurus 142] Ave que voa alto procura sua comida no chão.

1781. Altum silentium. [Virgílio, Eneida 10.63] Um silêncio profundo.

1782. Alucinari in meridie. Sonhar ao meio-dia.  Ver estrelas ao meio-dia.

1783. Alumni. Os alunos. Os estudantes. Os estudantes de uma universidade.

1784. Alumnus sapientis sapiens. [Manúcio, Adagia 12] O aluno do sábio é sábio.  De bom mestre, bom discípulo.

1785. Ama, et fac quod vis. Ama e faze o que quiseres. VIDE:  Dilige, et quod vis fac.

1786. Ama nesciri et pro nihilo reputari. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 1.2.15] Ama permanecer desconhecido e ser contado como nada.

1787. Ama proximum. [Tales de Mileto / Rezende 271] Ama teu próximo.

1788. Ama tamquam osurus, oderis tamquam amaturus. [Bias / Erasmo, Adagia 2.1.72] Ama como se houvesses de odiar, odiarás como se houvesses de amar. VIDE:  Amare oportet tamquam osuros, et odisse tamquam amaturos.  Amicum ita habeas posse ut fieri hunc inimicum scias.  Et ama tamquam inimicus futurus, et odi tamquam amaturus.  Ex inimico cogita posse fieri amicum.  Ita amare oportere, ut si aliquando esset osurus.  Ita amicum habeas, posse ut facile fieri hunc inimicum putes.  Sicut osurus adama, oderis velut amaturus.

1789. Amabilis increpatio non est damnatio. Uma admoestação gentil não é uma acusação.

1790. Amabilis insania. Gentil loucura. Doce ilusão.  Amabilis insania, et mentis gratissimus error. [Horácio, Carmina 3.4.5] Uma doce ilusão, e um agradável erro da mente.

1791. Amabit sapiens, cupient ceteri. [Afrânio / Apuleio, Apologia 12] O sábio amará, os demais apenas terão desejo.

1792. Amandi nec multi nec nulli. [Rezende 266] Nem devem ser amados muitos, nem nenhum.  Amigos, nem muitos nem nenhum.  Muitos amigos em geral, e um em especial. VIDE:  Amici nec multi, nec nulli.  Amici nec multi, nec nullus.  Nec multis, ac nec nulli dicaris amicus.  Nec nulli sis amicus, nec omnibus.  Neque nulli sis amicus, neque multis.

1793. Amandus est generator, sed creator praeponendus est. O pai deve ser amado, mas o Criador deve ser colocado à frente.

1794. Amans amanti medico. Um namorado é médico do outro.

1795. Amans, amens. Homem apaixonado não tem juízo.  Homem com amores é odre de vento. VIDE:  Amantes, amentes.  Omnis amans amens.

1795a. Amans et amens, non nisi una littera discrepant. As palavras "amans" (amante, apaixonado) e "amens" (louco, desatinado) só se diferenciam por uma única letra.

1796. Amans iratus multa mentitur sibi. [Publílio Siro] O homem apaixonado, quando está zangado, imagina muitas coisas falsas.

1797. Amans, ita ut fax, agitando ardescit magis. [Publílio Siro] O homem enamorado, como a tocha, quando se agita, mais se inflama.  Homem apaixonado e pássaro com visgo, quanto mais se debatem, mais se prendem. VIDE:  Amans, sicut fax, agitando ardescit magis.

1798. Amans quae non oportent, minime adamabis quae oportent. [S.Nilo / Bernardes, Nova Floresta 1.376] Amando o que não deves amar, de modo algum amarás o que deves.  Amans quae non oportet, non amabis quae oportet. [Apostólio 20.22]

1799. Amans quid cupiat scit, quid sapiat non videt. [Publílio Siro] O homem enamorado sabe o que deseja, mas não vê o que precisa saber.

1800. Amans quod suspicatur, vigilans somniat. [Publílio Siro] O homem apaixonado sonha acordado com o que suspeita.

1801. Amans se suaque prodigit. O homem enamorado dissipa a si e a seus bens.  O amor odeia a avareza.

1802. Amans, sicut fax, agitando ardescit magis. O homem enamorado, como a tocha, quando se agita, mais se inflama.  Homem apaixonado e pássaro com visgo, quanto mais se debatem, mais se prendem. VIDE:  Amans, ita ut fax, agitando ardescit magis.

1803. Amans volat, currit et laetatur; liber est, et non tenetur. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 4.5.15] Aquele que ama voa, corre e salta de alegria; é livre, e nada o detém.

1804. Amant alterna Camenae. [Virgílio, Eclogae 3.59] As Camenas apreciam os cantos alternados. (=Camenas, ninfas das fontes, em muitas narrações identificadas com as Musas). VIDE:  Alternis dicetis; amant alterna Camenae.

1805. Amant ignorare, cum alii gaudeant cognovisse. [Tertuliano, Apologeticus 1.3] Esses preferem ignorar, enquanto outros alegram-se com saber.

1806. Amantem iniuria talis cogit amare magis, sed bene velle minus. [Catulo, Carmina 72.7] Tal ofensa obriga o homem enamorado a mais amar, porém a menos querer bem.

1807. Amantem redama. Ama a quem te ama.

1808. Amantes, amentes. [Terêncio, Andria 218; Plauto, Mercator 81] Os apaixonados são uns loucos.  Afeição cega a razão.  Homem com amores é odre de vento.  Amantes amentes sunt. [Henderson 18]  Amantes sunt amentes. [V.Weinreiter, Sprichwörtern 76] VIDE:  Amans, amens.  Amor etiam Argum excaecat.  Omnis amans amens.

1809. Amantes de forma iudicare non possunt, quia sensum oculorum praecipit animus. [Quintiliano, Institutio Oratoria 6.2.6] Os apaixonados não podem julgar a respeito de beleza, porque o coração embota a sensibilidade dos olhos.

1810. Amantes fugis, et insequeris fugientes. [Pereira 106] Foges dos que te amam e segues quem te foge.  Foges de quem te quer bem e queres bem a quem te mata.

1811. Amantes libenter credunt quod optant. Os homens enamorados acreditam de bom grado naquilo que desejam.

1812. Amantes non longe a caro corpore abesse volunt. [Catulo, Carmina 66] Os apaixonados não querem ficar longe do corpo amado.

1813. Amantes pacem amant Deum, qui est auctor pacis. Os que amam a paz amam a Deus, que é o autor da paz.

1814. Amantes sibi somnia fingunt. Os apaixonados criam os próprios sonhos. VIDE:  An qui amant, ipsi sibi somnia fingunt?  Qui amant, ipsi sibi somnia fingunt.  Sibi amantes somnia fingunt.

1814a. Amantes tui ama. [Divisa] Ama os que te amam.

1815. Amanti nihil difficile. [Eiselein 466] Nada é difícil para quem ama.  Quem ama, do longe faz perto. VIDE:  Nihil amantibus durum est.  Nihil difficile amanti.  Quid non possit amor?

1815a. Amanti pulchra sunt et ea quae pulchra non sunt. [Erasmo, Dialogus 80] Para que ama, são belas até as coisas que não são belas.  Quem ama o feio, formoso lhe parece.

1816. Amantibus omnia communia. Para os namorados, tudo é comum.

1817. Amantis iusiurandum poenam non habet. [Publílio Siro] Jura de namorado não tem castigo.  Juramento de quem ama mulher não é para crer.  Jura de namorado não é pecado. VIDE:  Amoris iusiurandum poenam non habet.  Femina nulla viri speret sermones esse fideles.  Iuppiter ex alto periuria ridet amantum.  Iusiurandum venereum non est noxiale.  Nil amori iniurium est.  Periuria ridet amantum Iuppiter et ventos irrita ferre iubet.  Venereum iuramentum non est poenae obnoxium.  Venereum iusiurandum non punitur.

1818. Amantium caeca iudicia sunt. [Cícero, De Amicitia 85] Os julgamentos dos homens enamorados são cegos.

1819. Amantium irae amoris integratio est. [Terêncio, Andria, 555] Arrufos de namorados são a renovação do amor.  Amores arrufados, amores dobrados.  Arrufos de namorados são amores dobrados.  Brigas de namorados, amores renovados.  Pelejas de namorados são amores renovados.  Amantis ira redintegratio amoris est. [Mota 51] Briga de namorado é a renovação do amor. VIDE:  Amor fit ira iucundior.  Cari rixantur, rixantes conciliantur.  Cari rixantur, quoque per se pacificantur.  Discordiā fit carior concordia.  Non bene, si tollas proelia, durat amor.  Pusillo amantum durat ira tempore.  Quae modo pugnarunt, iungunt sua rostra columbae.

1819a. Amara bilis amaris pharmacis proluitur. [Henderson 19] A amarga bilis é expulsa por remédios amargos.  Um prego empurra outro.  Uma peçonha mata outra. VIDE:  Cuneus cuneum trudit.  Daemon daemone pellitur.  Extremis malis, extrema remedia.

1819b. Amara debet portare, qui dulcia vult gustare. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum Medii Aevi 243] Quem quer provar o doce, deve suportar o amargo. VIDE:  Dulcia non meruit, qui non gustavit amara.

1820. Amara est veritas. [S.Agostinho, Sermo 153]  A verdade é amarga.

1821. Amara tempera risu. Ameniza a amargura com o riso.

1822. Amaracinum fugitat sus. [Lucrécio, De Rerum Natura 6.982] O porco foge da manjerona. VIDE:  Sicut sus amaracinum amat.

1823. Amare autem nihil aliud est, nisi eum ipsum diligere, quem ames, nulla indigentia, nulla utilitate quaesita. [Cícero, De Amicitia 100] Amar não é senão dar o coração a quem se ama, sem haver qualquer necessidade ou vantagem.

1824. Amare et sapere vix deo conceditur. [Publílio Siro]  Amar e saber só a Deus se concede.  Amar e saber só a Deus pode ser.  Amare et sapere ne deo quidem conceditur. [Seybold 24] Amar e saber não é concedido nem a um deus.  Amare et sapere nemini conceditur. Amar e saber não é concedido a ninguém. VIDE:  Amans, amens.  Amare simul et sapere ipsi Iovi non datur.  Amare simul et sapere vix deo conceditur.  Omnis amans amens.

1825. Amare filiorum, timere est servorum. [Beda, Proverbiorum Liber] Amar é próprio dos filhos; temer, dos servos.

 

  • VOCABULARIO
  • Aforismos latinos
    Aforismos oriundos del latín
    Aforismos del latín
    Aforismos en latín
    Frases latinas
    Frases oriundas del latín
    Frases del latín
    Frases en latín
    Perífrasis latinas
    Perífrasis oriundas del latín
    Perífrasis del latín
    Perífrasis en latín
    Locuciones latinas
    Locuciones oriundas del latín
    Locuciones del latín
    Locuciones en latín
    Expresiones latinas
    Expresiones oriundas del latín
    Expresiones del latín
    Expresiones en latín
    Oraciones latinas
    Oraciones oriundas del latín
    Oraciones del latín
    Oraciones en latín
    Enunciados en latín
    Enunciados latinos
    Enunciados oriundos del latín
    Enunciados del latín
    Enunciados en latín
    Dichos en latín
    Dichos latinos
    Dichos oriundos del latín
    Dichos del latín
    Giros en latín
    Giros latinos
    Giros oriundos del latín
    Giros del latín
    Jergas en latín
    Jergas oriundas del latín
    Jergas latinas
    Jergas del latín
    Sentencias en latín
    Sentencias latinas
    Sentencias oriundas del latín
    Sentencias del latín
    Palabras en latín
    Palabras latinas
    Palabras oriundas del latín
    Palabras del latín
    Dicciones en latín
    Dicciones latinas
    Dicciones oriundas del latín
    Dicciones del latín
    Voces en latín
    Voces latinas
    Voces oriundas del latín
    Voces del latín
    Plegarias en latín
    Plegarias latinas
    Plegarias oriundas del latín
    Plegarias del latín
    Enunciaciones en latín
    Enunciaciones latinas
    Enunciaciones oriundas del latín
    Enunciaciones del latín

___________________________

Recopilado
de:
Contenido  publicado  con  el  permiso del SR. KOCHER latín/portugués  hkocher.info/minha_pagina/dicionario

 

Principal Arriba Beati mundo corde Calamo Currente Da et accipe Eadem vis est taciti Fabarum arrosor Gallice loquar Habe bonum animum I piger ad formicam Labor omnia vincit